11.15.2008

parte do problema

Hoje é sábado. As pessoas andam atarefadas com coisas sem importância. Às vezes penso que o facto de se andar atarefado durante a semana de trabalho se transforma numa patologia. É por isso que ao sábado se fazem compras de forma atarefada, se toma café de forma atarefada, se almoça num shopping de forma atarefada, se conduz de forma atarefada.
Hoje é sábado. Quando olho para este formigueiro atarefado em que os centros comerciais se transformam ao fim de semana é que percebo que nós nunca nos vemos como parte de um problema, e esse é o nosso maior erro. Se a caixa multibanco nos engole o cartão a culpa é da caixa multibanco, se a menina da caixa se engana no troco a culpa é da menina da caixa, se torcemos um pé no degrau duma escada a culpa é da escada. Nunca pensamos que se calhar nos enganámos no código, que se calhar intimidámos a menina da caixa com a nossa má disposição, que se calhar tentámos subir dois degraus em vez de um.
Hoje é sábado. Nas relações também é assim. Nunca somos parte do problema. Se uma namorada nos deixa é porque não foi honesta connosco ou não percebeu o que nós temos de melhor. Nunca pensamos que as emoções são sempre honestas e que talvez lhe tenhamos mostrado o que temos de pior. Esta forma de fugir à nossa responsabilidade a cada minuto atarefa-nos. Andar atarefado é uma necessidade e um vício.
Hoje é sábado mas para mim é um dia de trabalho. Até à uma da manhã em princípio. Vou andar atarefado e depois vou procurar amigos num bar qualquer por aí, em Aveiro ou no Porto. A ver se converso um bocado e se percebo que eu sou parte integrante dos meu problemas.
Bom sábado para vocês.

14 comentários:

Olga disse...

É mais fácil achar que o mundo inteiro conspira contra nós e que não há nada que se possa fazer. Difícil é arregaçar as mangas e ir à luta.
Eu às vezes acho que o tempo está contra mim e que faz muito frio para andar de mangas arregaçadas. Só perco com isso.
Bom sábado para ti também. :)

bagaco amarelo disse...

olga, lol... eu também tenho a mania das mangas arregaçadas. :)

bia disse...

se vieres ao Porto diz alguma coisa :p

e sim, é natural que os outros sejam sp o problema... mesmo quando os problemas são uma constante, são sempre os outros!!

ceptic disse...

:D
a culpa é sempre dos outros :P mesmo que não seja, passa a ser! :D

bom fds

bagaco amarelo disse...

bia, estou sem o meu pc. não me ligo ao msn hoje... mas se quiseres vir tu a avr diz... até às 23:#0. ;)

ceptic, exacto... bom fds. :)

bagaco amarelo disse...

bia, 23:30... lol

illatonero disse...

chama-se a isso sapiência... já atingi esse estado há algum tempo. Não sei o q é pior, sabermos q temos culpa mas não conseguimos evitá-lo, ou acharmos q a culpa é dos outros.

Sabermos q estamos a cometer erros e saber evitá-los de antemão chama-se a isso ser sobre-humano.

supertux disse...

melhor texto até hoje... isto porque me identifico com ele numa situação que há tão pouco tempo como ontem. algo correu mal e, claro, não pensei por um segundo que a culpa fosse minha.

bagaco amarelo disse...

illatonero, sim... mas não queria que se entrasse naquela noção judaico-cristã de culpa... é mesmo sermos sempre parte da coisa e pronto. :)

supertux, pois... é quase automático, não é? :)

supertux disse...

infelizmente... pior é que se partirmos do principio que é automático , tanto é pra nós como para a outra parte... e nunca há a resolução do problema.

supertux disse...

ah, e aproveito nova visita pra me corrigir...


* numa situação que aconteceu há tão pouco tempo como ontem.

de qualquer forma , acho que deu pra se perceber.

e como não quero deixar o comentário muito vazio, a verdade é que eu até não gosto de blogs. a maior parte deles são lixo. este é o único que visito quase todos os dias. espero pelo livro :)

bagaco amarelo disse...

supertux, obrigado. partimos do princípio que é automático é, na minha opinião, o primeiro passo para que deixe de o ser. :)

zeni disse...

Muito bom, o texto!

É muito difícil perceber que o problema começa em nós. Num casamento por exemplo, uma das partes até pode ser culpada de fazer algo que leva à separação, mas a outra parte também é culpada, por ter possibilitado ou alimentado uma situação que permitiu que isso acontecesse. Esta consciência é a mais difícil de atingir...

bagaco amarelo disse...

zeni, exacto... bom exemplo. :)