11.04.2008

alguma raiva em silêncio

Hoje vi um homem a dizer à mulher, cheio de orgulho e com um ar triunfante: o senhor está à espera, se fosse lá em casa levavas já duas lambadas. O senhor era eu, que estava mesmo atrás deles à espera que ela escolhesse um pastel na pastelaria Bom Gosto, em Aveiro. Ela estava indecisa e por isso demorou um pouco mais do que o normal. Do lado de lá do balcão, a empregada olhou para ele zangada. Reparei que engoliu alguma raiva em silêncio. Eu disse-lhe para não se preocupar, que eu costumo demorar muito mais tempo a escolher um pastel. Mesmo muito mais tempo... insisti. Depois também engoli alguma raiva em silêncio.
Sentei-me a tomar o pequeno-almoço enquanto lia o jornal. Durante cerca de vinte minutos ela não disse uma única palavra. Só ele é que falou e sempre para a humilhar em público. Estão fartos um do outro e o gajo é um parvalhão. Gostava que ele lesse isto mas não o vai fazer quase de certeza, mas gostava que ele lesse que é um parvalhão. Eu também sou... que não me devia limitar a engolir alguma raiva em silêncio.

33 comentários:

Miguel P disse...

Às vezes é preciso engolir a raiva em silêncio, para não estragar o "tecido" da sociedade.. neste caso específico, penso que seria típico que uma intervenção por parte de terceiros iria apenas resultar em mais "lambadas" quando chegassem a casa. Estes homens são do género que descarregam nas mulheres, por engolirem a raiva em silêncio quando não estão com elas.

bagaco amarelo disse...

miguel p, pois.. se calhar é isso, sim. não sei... mas eu fico zangado comigo mesmo. :)

Miguel P disse...

Também já estive em situações semelhantes e sinto-me bastante impotente. Acredito que não intervir, nestes casos, é pelo melhor.

Ah, e sempre poupo levar uma potencial tareia!:)

bia disse...

Tu não estás errado... é claro que não é agradável ouvir e presenciar estas coisas, mas o "grito do ipiranga" deveria ser da senhora, é a vida dela. Bem sei que quem está por fora não tem o direito de opinar sem conhecimento de causa e que as coisas por vezes sao mais complicadas do que pensamos... mas ainda assim, estes casos são para ser resolvidos por quem de direito, por muito que nos irritem e incomodem...

angelasoeiro disse...

Se tivesses dito alguma coisa, ela levava muito mais quando chegasse a casa! Infelizmente!

F. disse...

Esse fulano é um idiota de m****, um ditadorzinho de pila pequena.

bagaco amarelo disse...

miguel p, estamos de acordo em tudo menos num aspecto: eu acho que não intervir é um erro. :)

bia, a violência doméstica é, e muito bem a meu ver, crime público. um crime que diz respeito a todos, portanto. :)

angela soeiro, é provável... mas deixar andar não é o melhor caminho. :)

f. estamos de acordo. :)

MYA disse...

Que pena eu nao estar la nesse momento! Mas que pena mesmo.

bagaco amarelo disse...

mya, acredito bem que sim. :)

angelasoeiro disse...

Eu sei que deixar andar não é mesmo o melhor, e também sei que se trata de um crime publico e temos o dever civico de o denunciar... e também sei que se fosse eu que estivesse no teu lugar, não tinha ficado calada. Mas também sei aquilo que ela iria passar entretanto!

bia disse...

pois é, sem dúvida... concordo contigo. E o sr merecia uma bela sova! Mas a questão não é essa, é que nestes casos só se pode ajudar quem quer ser ajudado e, infelizmente, quem está de fora não pode fazer muito... é uma faca de dois gumes! é complicado! :s

bagaco amarelo disse...

angela soeiro, é verdade... mas passa de qualquer maneira por coisas que não deve. Por isso... :)

bia, acho que concordo contigo... mas às vezes quem mais precisa de ajuda é quem menos forças tem. :)

Anónimo disse...

É o típico casal português: sado-maso!

N.

Anónimo disse...

Li todos os comentários e acho que por vezes se "culpabiliza" um pouco a vítima "ela é que tem que fazer...leva porque quer"(não estou a citar comentários)...vítima, sim é este o nome que estas senhoras (e hoje em dia os homens também já começam finalmente a fazer as suas queixas)têm...vítimas de agressões, de chantagens, de jogos psicológicos...E não é, infelizmente, assim tão fácil elas dizerem: basta! Chega! Vou embora! Mais uma vez infelizmente, em Portugal, ainda não temos uma lei e uma sociedade preparada para acolher estas mulheres... Fica só o pensamento que a mulher que faz queixa e que muitas vezes "fogee" do marido vai para instituições com os filhos, ou por vezes sozinhas, e nem com a família podem contactar...

Abraço

Tixa

Hipatia disse...

Mesmo sabendo que entre marido e mulher não se mete a colher, suponho que eu não engolia a raiva em silêncio. Então se fosse de manhã e ainda não tivesse tomado café, acho que esse imbecil ouvia poucas e boas se não lhe enfiasse logo uma lambada nas trombas. Qualquer coisa do tipo: "estás a falar comigo, meu fdp? Queres ir apanhar no c* ou ver onde anda a p*** da tua mãe que te devia ter dado melhor educação?". Normalmente são uns cag*** que quando lhes aparece uma mulher que rosna mais alto e melhor se encolhem todos. E, sim, já o fiz. Há coisas que não engulo: fazem mal à pele.

Fadinha da Sombra disse...

já vi uma situaçao parecida, a minha vontade era afogar o desgraçado!!! (foi em plena praia, e ele humilhou a mulher em altos berros)
Cambada de cretinos....

kaila disse...

Que homem tão ANORMAL,PARVALHÃO,
A violência não é so apanhar.
Essa mulher já nem deve ter forças para reagir,ás vezes esses merdosos tomam completamente conta da vida(em todos os aspectos) dessas mulheres

bia disse...

pois bagaço, é verdade, tb acho... e por vezes estas mulheres sao financeiramente (e não só) dependentes destas bestas andantes... por isso é que disse que nao podia opinar muito sem conhecimento de causa...
são casos mesmo muito complicados!!

Ana GG disse...

QUE ÓDIO!!!!!!

bagaco amarelo disse...

n. não sei se é típico português... acho que existe um pouco por todo o mundo... é verdade que Portugal é um país machista... mas infelizmente não é nossa exclusividade, essa característica. Antes fosse... :)

Tixa, concordo com a tua ideia. A vítima é normalmente aquela que não está em condições de se defender. :)

hipatia, também já o fiz... desta vez não. não sei porquê. às vezes sai, outras vezes não. :)

fadinha da sombra, sim... acho que não é caso único. situações deste género repetem-se. :)

kaila, tens razão... destrói-se totalmente a pessoas com quem se vive. :)

bia, sim... pelo menos agora podem divorciar-se por decisão unilateral, um dia que acordem mais lúcidas. é pena o PS ter metido na lei a questão das indemnizações... mas pronto. :)

ana gg, eu também. :)

SierraMaestra disse...

"As vezes prefiro despejar copos no meu silêncio macabro, de margens desertas e por entre dedos...o medo"
Escreve assim o poeta e assim é o nosso povo
Seja homem ou mulher, aquele que praticar violência doméstica, verbal, psicológica e física é crime!
Denuncie-se!

Richard disse...

Gajo idiota..

mas olha, num sentido de comédia, aposto que quem manda lá em casa é ela..

Patrícia disse...

Boas..
Nem sempre é fácil reagir correctamente. Neste caso nem sequer é assim tão fácil saber o que é certo ou não.
De qualquer das formas a violência doméstica é um crime público, o que nos permite intervir. O grande problema é que nem sempre a nossa intervenção é (bem) aceite pela vitima.
beijinhos
Patrícia

K disse...

Eu sou mulher e não consigo de modo algum desculpabilizar a mulher. É certo que esse homem é um energúmeno acéfalo, mas ele só a humilha porque ela o permite. Há sempre dois lados numa história e não apenas um. E, apesar de em Portugal a violência doméstica continuar a ser tabu e não haver legislação condigna, todos nós sabemos que quando uma pessoa realmente quer anda em frente por muitas dificuldades que isso possa acarretar. Na verdade estamos perante dois cobardes inseguros - ele no papel de dominador e ela no papel de submissa, aliás, como a sociedade machista continua a ensinar...

E não, não acho que se deva ficar calado...

Anónimo disse...

Pois Mya, se la estivesses a "baiana ia rodar mesmo". O gajo saía com umas trombas diferentes e a gaja ía mais feliz.
Tens pena pois, eu sei, até consigo ouvir-te daqui a dizer isso ;))
Ja te vi em acçao; boa referencia para saberes quem sou ou nao ?? ahahah

V

bagaco amarelo disse...

sierra maestra, tens toda a razão. :)

richard, lol... manda num idiota... é capaz. :)

patrícia, tens razão... mas a questão não é só a vítima em si... somos nós todos. :)

k, eu concordo contigo... mas volto a dizer que as coisas não são assim tão simples, infelizmente. a vítima nem sempre está em condições de se defender. :)

V, acredito que saberá...

TiagoM disse...

Este tipo de comportamento, apesar de ultrapassado, é ainda muito comum, só que, hoje em dia, é mais utilizado dentro de quatro paredes, o que vem sublinhar a grande cobardia de certo tipo de homens.
Apesar de tudo, tenho esperança que este tipo de atitudes mude um dia.
Já agora, Mya, concordo plenamente contigo!

Tiago

bagaco amarelo disse...

tiagom, eu tb tenho essa esperança. :)

Anónimo disse...

Complexa esta questão.

Mas bagaço, tinha que deixar a minha opinião...
Já conheci gente (algumas mulheres, mas também alguns homens), que em nome de uma coisa qualquer (a que alguns teimam chamar de amor...), se permitem a humilhações deste género (algumas piores) em público.
Pois é... mas eu continuo a achar que todos nós temos escolha.
O papel da vítima nestas situações, e podem argumentar como quiserem, não deixa de ser uma escolha.
Comparemos esta mulher com a Omer que falaste acima...
Deixar que um ser nos transforme numa vítima e não conseguir reagir é mais fácil ou difícil que lutar contra um sistema inteiro?

Será que não somos nós que escolhemos o espaço que merecemos ocupar?

Acredito que não seja fácil não reagir, quando se assiste a uma cena destas...
Tenho pena. Muita pena. A tua reacção em nada iria mudar a vida daquela mulher. Em nada.
Faz pensar.

Um beijo
Ana

bagaco amarelo disse...

Ana, ainda bem que deixas a tua opinião... e eu entendo-a muito bem. nó não me sinto tão esclarecido sobre as pessoas... esta mulher e a Omer não são a mesma mulher, por tantos motivos que acho que uma não desculpa a outra, percebes? mas isso sou eu... :)

Anónimo disse...

Tens toda a razão Bagaço.
A mulher de que falas e a Omer, são duas pessoas diferentes, em duas realidades diferentes, com duas forças diferentes. Foi forçada a comparação... :|
Tens toda a razão.
Mas continuo a dizer (aqui é a minha costela transmontana, que é teimosa!), que cada um de nós, tem um espírito livre, que tem sempre escolha.
A escolha dessa senhora é essa.
Pode ter todos os motivos e mais algum para se ter sujeitado a essa escolha, mas permanece nela.

Percebo-te e se queres saber, admiro a tua "raiva em silêncio". Porque assistir, envergonha. Envergonha muito.

E digo-te mais, usares estes teus textos de "violência doméstica", num blog que tenho a certeza é lido por muita gente, com a mesma abertura com que o faço também, ajudará seguramente algumas consciências.
Só por isso... fica a minha admiração.
Mas... a minha opinião mantém-se (é a costela...).
Ser vítima, não é seguramente uma escolha. Mas permaneceres, em consciência, nesse papel... passa a ser uma escolha. E um desperdício de vida...

Eu acredito convictamente, que o teu caminho, és tu que o "rasgas". Podes sempre encontrar obstáculos, uns maiores que outros. Mas és tu que o "rasgas".
Mas isto sou eu...que tenho um espírito claustrofóbico!

Um beijinho...
Ana

Miss Kin disse...

Isso é mto complicado, por mto q se ouça isso e ñ se faça nada, mtas vezes ñ se faz por ñ haver o q se fazer, ele podia só estar a armar-se, ou mesmo q lhe desse depois, ali ñ deu... Qdo uma pessoa se mete numa situação q ñ é nossa, acaba por mtas vezes sair mal, ou pq a sra o ia defender, ou pq te ia dizer q ñ tinhas nada a ver com isso, qq coisa, q nos faz pensar q devíamos ñ nos ter chateado com o assunto...

Complicado isso... Olha vai comer bolos para a Ria Parque (tb em Aveiro), são mto bons e ñ apanhas com filmes desses!

bagaco amarelo disse...

Ana, calma lá... eu também acho que o meu caminho sou eu que o rasgo, ate porque sou ateu... mas rasgo-o dentro das condicionantes da minha envlvência. lol, tb sou teimoso. não és só tu. :)


miss kin, lol... estou a ver que conheces isto. :)