11.05.2008

Omer Goldman Granot

O jornal Público publica hoje uma reportagem sobre Omer Goldman, uma mulher israelita de 19 anos que se recusa a integrar as Forças de Defesa de Israel apesar do seu pai ter sido o número dois da Mossad. Por causa disso está presa. Diz que ficará muito feliz se lhe escreverem. Eu vou fazê-lo... não para a elogiar mas para lhe agradecer. A morada está no fim. Não imaginam a admiração que eu tenho por ela...

O meu pai é Natalin Granot, um especialista em Irão que se demitiu de “número dois” da Mossad, em 2007, quando não o promoveram a chefe da principal agência de espionagem de Israel. Eu, Omer Goldman, 19 anos, sou uma pacifista e, hoje, regresso à prisão nº 400, numa base militar próxima de Telavive. Recuso-me a servir num exército que comete, todos os dias, crimes de guerra nos territórios palestinianos ocupados. Fui recrutada para o serviço militar obrigatório aos 18 anos, mas já no liceu eu decidira que não queria ir para a tropa. Assim que deixei a escola, e antes de me inscrever na faculdade, dei aulas a crianças pobres num bairro de judeus etíopes. Quando me chamaram, entreguei uma declaração aos oficiais onde afirmava: “Recuso alistar-me nas Forças de Defesa de Israel (IDF). Não farei parte deste exército que, desnecessariamente, pratica actos de violência e viola os mais básicos direitos humanos.” No dia 23 de Setembro, sem ter sido julgada, fui cumprir 21 dias de detenção. Fui libertada a 10 de Outubro, mas voltei para um segundo período, desta vez apenas de 14 dias, porque fiquei doente. Saí novamente em liberdade, na sexta-feira, dia 30 de Outubro. Estes ciclos irão repetir-se até que o exército se canse, porque eu não vou desistir.

Omer Granot
Military ID 5398532
Military Prison nº 400
Military Postal Code 02447, IDF
Israel

27 comentários:

mfc disse...

O 3º mundo é onde um estúpido quuiser!

Nelson Peralta disse...

Aí está uma mulher que compreendes :p

nat disse...

Uma pessoa fantástica, precisamos urgentemente de pessoas assim :) Obrigada pela info, tambem lhe vou escrever uma carta!

Carla disse...

não sei se o comentário ficou, porque deu erro, mas disse que pode ser que seja com pequenos gestos como este que a paz se construa nessa zona tão conturbada

Papinha disse...

Impressionante!!
Um bem haja à coragem desta jovem, ainda para mais com as origens que tem... Vou escrever também!
Beijinhos
P@pinh@

bagaco amarelo disse...

mfc, acredita que sim... :)

nelson peralta, sim... esta compreendo totalmente. é isso: tenho que arranjar uma namorada de esquerda. :)

nat, precisamos sim. :)

carla, sim, se bem que a Omer está presa... não foi um pequeno gesto mas sim um grande gesto. :)

papinha, boa. :)

Paula disse...

que a paz esteja com ela e que seja forte....

Anónimo disse...

Impressionante a Omer.
Pela coragem.
Pela tenra idade.
Pela persistência.
Pelo ideal.

Eu acredito que às vezes "uma andorinha pode fazer a primavera"...

Também lhe vou escrever.
Um beijo
Ana

Ana GG disse...

Que MULHER!!!!! Mais impressionante ainda o facto de ter apenas 19 anos e já com a cabeça tão arrumada, com convicções tão fortes e sensatas.

Compreendo e partilho incondicionalmente a admiração que sentes por ela.

Não garanto que lhe escreva mas fico muito tentada....


P.S. É isso tens mesmo que arranjar uma mulher de esquerda :)

Fénix disse...

Vou escrever-lhe.

Anónimo disse...

Bom, a realidade é um empecilho. Certamente que se todos os Israelistas fossem como ela, o país já tinha desaparecido há muito, rodeado como está de vizinhos hostis. É a história que o mostra - basta ver que foi atacado pouquissimo tempo depois da sua fundação. Mas, pronto, fica mais bonito dizer que somos todos pacifistas e tal, disfarçando o nossso anti-semitismo que não desaparece. Não espero que este comentário seja publicado, mas já estou farto de tanta 'inocência', mesmo de pessoas inteligentes como o autor deste blogue.

pedro oliveira

Ana Camarra disse...

De facto grande mulher!
Em todo o lado existem exemplos destes que nos dão confiança no ser humano, obrigado bagaço, por teres partilhado isto, vou escrever-lhe também!

beijos

(Também te vou linkar)

Maldonado disse...

Li a notícia d' O Público e fiquei sensibilizado.
De facto a história dessa jovem israelita é bastante comovente. Oxalá que o seu exemplo sensibilize tanto os israelitas como palestinianos, pois ambos os povos têm culpa da situação de conflito em que vivem há décadas...

O Homem Terra disse...

Em primeiro lugar, ela só pode fazer isto porque tem a origem que tem,

Segundo, não teria mais lógica ela ir para o exército e, uma vez lá dentro, recusar cometer aquilo lhe ordenarem e que ela achar uma atrocidade?

É que todas as pessoas da idade dela cujo pai não é o ex-número 2 da Mossad, estão no exército (o que eu acho mal), mas estão, e estão lá a morrer, a ficar feridos, portanto a atitude de ficar em segurança na prisão a fingir que não há um problema não é nada de esquerda, é a mesma atitude do Bush que está prestes a deixar de ser presidente, que com a ajuda do seu pai presidente, não foi à guerra.

Terceiro, a malta só lhe escreve porque ela é gira - eu tenho uma amiga israelita que era demasiado gorda para servir no exército e que por isso conseguiu autorização para não ir, mas a ela ninguém escreve cartas.

Quarto, é por causa do sistema cultural, social e económico israelita que essa miúda é tão gira, se fosse palestiniana não era assim loira e suculenta.

Quinto, a malta da idade dela que tá na guerra tá a arriscar a vida para defender um país que talvez até nem devesse existir, mas no qual ela vive e graças ao qual existe. Quando os amigos voltarem sem braços ou com traumas de guerra - como eles ficam por terem passado dos 18 aos 21 na guerra, quero ver como é que ela se vai sentir. Aí sim, vai começar o grande sacrifício. Talvez ela devesse emigrar. Se já é adulta e assim espertinha, talvez mudar de país, e não ficar a viver na prisão às custas (manter uma prisão custa dinheiro) da malta que tá a morrer na guerra.

Eu também sou contra a guerra, sou é também contra a mania que há de abraçar estas pessoas como se elas fossem o máximo

Anónimo disse...

também podes escrever a mulheres palestinianas detidas por razões obscuras - tipo deixou queimar as torradas, ficou suspeita de estar a preparar uma bomba - e em condições ó quantas vezes piores que esta menina israelita, não podes imaginar...
pedir + informações, em francês ou inglês, à Agnès:
aja.pcom@wanadoo.fr
e espreitar o site:
http://www.europalestine.com/
beijos livres de
uma mulher de esquerda

indigente andrajoso disse...

uma mulher com tomates...

ps. não há objecção de consciência por lá?

bagaco amarelo disse...

paula, acredito que paz é o que ela tem mais. :)

ana, beijinho... e tens razão. :)

ana gg, concordo contigo... li a reportagem toda e fiquei admirado pela 'arrumação' intelectual dela aos 19 anos. :) e sim, tenho que arranjar uma mulher de esquerda... em Aveiro não há é muitas, lol. :)

fénix, :)

pedro oliveira, eu publico comentários com que não concordo, desde que não sejam ofensivos ou vindos de anónimos. eu não sou anti-semita, mas na questão do médio oriente acho mesmo que a criação de Israel não respeitou minimamente os que já lá estavam antes. De qualquer maneira, os governos hostis de que falas (e falas com razão), não são apenas esses... os governos hostis são também os pró-americanos, que não se coíbem de violência extrema por fins meramente economicistas... :)

ana camarra, já está linkada... gosto das imagens que tens no lay out do teu blogue. :)

maldonado, estamos de acordo... a história dela também me emocionou, sim. :)

o homem da terra, és o tipo de pessoa que deita abaixo o que os outros fazem com críticas menores.
1] A Omer tomou uma opção política com coragem, e ela própria assume que só se tornou mediática por causa do pai dela. Tu não criticas a opção política, criticas o aspecto técnico e mal. É claro que não tem lógica nenhuma uma pacifista ir para o exército.
2] Ninguém aqui falou em ela ser gira. Foste tu o único. Eu não lhe vou escrever por ela ser gira mas por essa opção política que tomou. Fico a saber que se tu o fizesses é que era só por ser gira. Parece até que ser feia é um pré requisito para tomar opções políticas...
3] Falares dos amigos dela na guerra é ridículo. É precisamente isso que ela a tentar combater. E se leres bem a reportagem do Público vais perceber que ela não é nenhuma totó e até já foi baleada por se opor à construção do muro...
4] E sim, eu abraço esta mulher como se ela fosse o máximo, porque de facto o é.

uma mulher de esquerda, eu sei onde queres chegar... e não penses que eu defendo cegamente tudo o que é palestino. :)

indigente andrajoso, não há, não... só para os aos
ultra-ortodoxos que frequentam
as yeshivot ou escolas talmúdicas. :)

IMP disse...

Ha mais duas mulheres como ela:

Mia Tamarin
Military ID 5399776
Military Prison No. 400
Military Postal Code 02447, IDF
Israel
Fax: +972-3-9579389

Tamar Katz
Military ID 5396326
Military Prison No. 400
Military Postal Code 02447, IDF
Israel
Fax: +972-3-9579389


Abraco :)

bagaco amarelo disse...

imp, impecável. obrigado... :)

pedro disse...

Também vou escrever! A guerra é e sempre foi uma coisa estúpida! No século XXI não razão para isso (nem nunca houve).

bagaco amarelo disse...

pedro, :)

O Homem Terra disse...

Nunca houve razões para guerras? Uau, essa é nova.

bagaco amarelo disse...

o homem terra, não é assim tão nova. é verdade que em média um dólar investido em armamento equivale a 15 dólares de lucro e que essa é a maior razão da guerra. É por isso que se diz que há guerras sem razão.
De qualquer maneira, tirando isso, a aristocracia medieval está cheia de guerras sem motivo conhecido. :)

Anónimo disse...

menina linda ,essa israelense ,fiquei impressionada com a sua beleza,deveria era ser modelo,linda!

bagaco amarelo disse...

anónimo, também é verdade. :)

Layla disse...

Oi, meu nome 'e Layla, eu sei que este artigo foi escrito ha muito tempo, mas eu realmente queria poder mandar uma mensagem ou ter alguma maneira de entrar em contato com Omer Goldman, agora que ela saiu da prisao. Admiro muito sua ideologia. Se souber de algum tipo de contato que eu posso ter com ela, por favor me avise. Muito obrigada. Meu email 'e layla.thamm@hotmail.com

bagaco amarelo disse...

actualmente não sei... mas vou tentar saber... :)