11.16.2008

hoje apaixonei-me numa caixa multibanco

Hoje apaixonei-me numa caixa multibanco. Ela tentava levantar dinheiro e por qualquer motivo não conseguia. Insistentemente, como se a culpa fosse da vontade da máquina, tornava a colocar o cartão na ranhura. Normalmente esta atitude irrita-me. Aliás, irrita-me sempre que alguém não pense em quem está à espera atrás de si, seja numa caixa multibanco, na fila para a bilheteira do cinema ou noutro sítio qualquer. É um egoísmo inaceitável, só que é também o egoísmo da paixão (mesmo que seja uma paixão destas de cinco minutos) que me faz sentir-me o homem mais calmo do mundo.
Hoje apaixonei-me numa caixa multibanco. Comecei por aprovar a sua impaciência. Suspirava e resmungava sozinha mas duma forma tão delicada que seria impossível num homem. A espaços, aprendi de cor os seus movimentos: o bater com o calcanhar no chão, o chegar o cabelo para trás com a mão esquerda, o roer a unha vermelha do polegar direito e o olhar brusco para ambos os lados como se daí pudesse surgir ajuda.
Hoje apaixonei-me numa caixa multibanco. E a ajuda estava em mim. Aproximei-me com suavidade e perguntei o que se passava, mas ela era mesmo tão delicada que quando o meu braço lhe tocou senti-me um navio petroleiro a atracar a um cais de pequenas embarcações. E embarquei na ondulação da voz dela. Não me aparece nada onde possa levantar dinheiro, disse ela enquanto o cartão saía mais uma vez da ranhura cansada. Olhei para o ícone electrónico do monitor. Esta caixa não tem dinheiro, respondi.
Hoje apaixonei-me numa caixa multibanco. Ela foi-se... suspirando como um comboio a vapor, e eu fiquei a vê-la desaparecer numa das ruas do lusco-fusco da cidade. Ela não sabe, mas agradeço-lhe o facto de ter parado por momentos neste apeadeiro que eu sou...

12 comentários:

Olga disse...

Acho maravilhosa essa capacidade que tens de te apaixonar assim.

Eu já só consigo apaixonar-me pela prateleira dos chocolates no supermercado e às vezes a paixão é tão forte que tenho de a trazer comigo para casa! ;)

Red disse...

:)

Ana Camarra disse...

Que doce!

bia disse...

muito bonito ;)

Sayuri disse...

devias apaixonar-te mais vezes nas caixas de multibanco...gostei muito do teu texto :)

bagaco amarelo disse...

olga, pelo menos ela vai contigo para casa. :)

red, :)

ana camarra, :)

bia, obrigado. :)

sayuri, obrigado. :)

Bela Isabel disse...

Ãcho que deviamos apaixonar-nos todos os dias, seriamos mais felizes e menos egoistas.

bagaco amarelo disse...

bela isabel, concordo contigo... :)

Anonyma disse...

Adoro este teu texto! É uma forma tão doce e meiga de ver outra pessoa!

Mas espero sinceramente que... a Olga não leve a prateleira dos chocolates no supermercado para casa porque também é a única coisa pela qual me consigo apaixonar hoje em dia!

subtilezas disse...

oh q lindo. nunca uma multibanco foi tão belo.

Anónimo disse...

Bonito este texto...
Eu ontem, apaixonei-me numa bomba de gasolina... e estou, digamos que, "enlevada" até hoje.
É bom.

Mas bom mesmo, é saber que quando te apaixonas assim, escreves coisas destas...que os outros podem ler.

Um bem-haja para ti, bagaço "apaixonadiço"!!

;)

Um beijo
Ana

bagaco amarelo disse...

anonyma, engatar prateleiras de chocolate vai sendo mais ou menos fácil... e há muitas. :)

subtilezas, eu nem gosto de multibancos. lembram-me sempre o meu extracto bancário. :)

Ana, isso, dum dia para o outro e ainda estás assim, já é mais sério. :)