1.05.2009

o docinho

Os gatos tornaram-se uma presença obrigatória nas casas de mulheres divorciadas ou separadas com mais de trinta anos. Eu dou-me mal com gatos, já o disse aqui, e cada vez que tento estabelecer comunicação com um, mesmo que de uma forma suave e amigável, acabo mordido e arranhado.
Hoje, mais uma vez, ando com a minha mão direita num estado vergonhoso. Tudo porque inocentemente a estiquei até à cabeça dum bicho desses para lhe fazer uma festa. Em troca, o sacana mordeu-me o dedo polegar e fez-me com as unhas três rasgos profundos. Dei-lhe instantaneamente uma chapada e ele caiu da banca da cozinha. A dona, quando ouviu aquela bola inútil de pêlos a miar como se alguém o tivesse acabado de torturar, entrou na cozinha e perguntou-me agressivamente o que é que eu tinha feito ao Docinho. Docinho?! Quem é que raio decide chamar Docinho a um ser que, para além das fezes malcheirosas, a única coisa que sabe fazer é comer e espalhar pêlos pela casa toda? Come on. Nem lhe respondi directamente, apenas lhe perguntei se tinha água oxigenada para desinfectar o estrago que o seu Docinho tinha feito na minha mão. Se o Docinho fez isso é porque lhe fizeste alguma coisa antes, respondeu.
Gostava de esclarecer de uma vez por todas, para quem ainda não descobriu, que os gatos são uns seres desprovidos de qualquer tipo de sentimentos, hipócritas e fétidos, cuja única qualidade que têm é que na panela, se forem bem tratados, se podem chegar a assemelhar a um coelho guisado.
No fim, quando saí para regressar a casa, olhei para cima e lá estava ele, empoleirado na janela dum segundo andar a rir-se de mim. Só em pensamento prometi a mim mesmo que qualquer dia há-de escorregar dali mesmo...

39 comentários:

Olga disse...

He he! Olha que eles têm 7 vidas. Vai ter de "escorregar" 7 vezes! ;)

subtilezas disse...

ihihihihih, tenho um amigo q tem essateoria. os gatos "nas casas de mulheres divorciadas ou separadas com mais de trinta anos"

eu sou a gloriosa excepção que confirma a regra:)

(a última gata que tive e que felizmente me fugiu fez me desejar nunca mais ter nenhum)

bagaco amarelo disse...

olga, e se for de um sétimo andar? :)

subtilezas, já não é só uma teoria. é um facto... :)

Patrícia disse...

Booom
Não só não compreendes as mulheres como não compreendes os gatos!!!
Os gatos (com algumas excepções, claro) são dos animais mais inteligentes que existem. São bem capazes de aprender, de ser meigos; são bastantes limpos e lindos.
Simplesmente são animais feitos para estar em liberdade e não para estar fechados. Caso me fechassem numa casa a vida inteira, onde todos os meus instintos fossem inuteis, não houvesse gente igual a mim acho que também me tornava violenta...
Vá, dá uma hipótese aos felinos!
bjs
Pat (ainda sub-30; meio solteira e com uma paixão imensa por gatos... de tal forma que, como vivo num apartamento, não tenho nenhum)

Rui Gouveia disse...

Acho piada aos seus textos. E este texto está fantástico. Ri-me como um perdido!!!

Mas não concordo consigo. Só uma pessoa que não conhece estes animais é que pode concordar consigo. (Para que conste, sou casado e tenho um casal de gatos.)

É verdade que os gatos tem uma personalidade mais difícil que, por exemplo, os cães. São felinos selvagens e sabem-no.

Mas conhecem o dono, afeiçoam-se a ele verdadeiramente e sabem demonstrar carinho.

Vamos analisar a infeliz situação que descreve do ponto de vista humano: Imagine que estou parado em qualquer lado a apreciar o mundo. A minha esposa pode fazer-me carinhos na cabeça se lhe apetecer. Não me importo mesmo nada e até gosto. Mas, se vier um tipo qualquer tentar a mesma coisa, leva na cara. Aí leva, leva.

Para a próxima sente-se e deixe que seja o gato a aproximar-se de si.


Continue este excelente trabalho.

Rui Gouveia

Ritinha disse...

Bem... Que sina me estás a traçar... Comecei o ano com alguém a oferecer-se para ser o meu futuro ex-marido. O que quer dizer que vou ser divorciada. O que.segundo o teu post, quer dizer que eu vou ter um gato....ARGHHHH!!!! Eu odeio gatos... Não posso ter antes um peixinho dourado?...

ceptic disse...

ha um gato que sobreviveu a uma queda de 40º andar :) com algumas mazelas, mas conseguiu!

"Gostava de esclarecer de uma vez por todas, para quem ainda não descobriu, que os gatos são uns seres desprovidos de qualquer tipo de sentimentos, hipócritas e fétidos,..." isto é treta :)

es um estranho para o bicho e no territorio dele, ele reagiu, ao ver uma mao a ir em direcçao a ele :) assumiu te como ameaça!nada mais :)
se fosse um cao teria sido pior :)

bjs

K disse...

Bem, já tiveste a falar melhor...muito melhor! ;p Ademais os gatos não são nada disso que dizes; são todos diferentes entre eles e econtras de tudo no mundo felino...assim como no mundo feminino! Se calhar o problema é esse (e teu!): da mesma maneira que não percebes as mulheres não percebes os gatos. eheheheheheh


(eu tive o meu gato antes dos trinta e conheço homens a viver sozinhos com gatos...não há regra sem excepção)

Charlotte disse...

Não ter empatia com os bichos em geral, e particularmente com os meus, significa para mim o primeiro sinal de falta de empatia entre mim e a pessoa em causa.

Peço desculpa pela franqueza. Acredito que devas ter outras qualidades. :-)

Quanto à teoria das solteironas, é mais uma generalização como outra qualquer,e muitas vezes com intuitos depreciativos, só porque as pessoas gostam muito de rótulos, de arrumar tudo em prateleiras, e de inventar teorias mirabolantes para quem não cumpriu, no tempo e trâmites convencionados, o ritual do acasalamento. Eu convivo com bichos, sobretudo gatos, desde que me conheço, pelo que me limito hoje, que vivo sozinha, a dar continuidade a uma convivência que sempre fez parte da minha rotina.

Bichos à parte, um bom 2009 para ti!

Paula disse...

este texto teve um toque de hitchcock, não?..hehehe
mas olha que essa teoria dos gatinhos fofinhos ou docinhos graças a deus não se aplica a todas as pequenas solteiras/divorciadas com mais de 30!!!

Anónimo disse...

Eu faço parte desse grupo! E a minha gata é exactamente ao contrário... maça as pessoas por querer tanta atenção....

toma lá Fresquinho disse...

pois é ...

convivo com esse "mal" há ano e meio!

e a p**a da gata já caiu 2 veze da varanda no ultimo ano mas não há meio de morrer!

bagaco amarelo disse...

patrícia, já dei umas quatro oportunidades a esses bichos e arrependi-me sempre. :)

Rui Gouveia, lol. obrigado... mas tenho a certeza que se estiver a cozinhar e eu subir para a banca da cozinha e começar a morder as couves também me bate. :)

ritinha, vê a coisa como uma oportunidade e, olha, o peixinho dourado está bem. mas mesmo mesmo bem será, por exemplo, uma aranha no sótão. :)

ceptic, eu cães até gosto... se estiverem a mais de cem metros de distância de mim. se um gato quer ter o seu território, vá tê-lo noutro sítio e não no apartamento das minhas amigas. :)

k, mas eu não preciso de compreender os gatos. essa é a vantagem. :)

charlotte, obrigado, lol... eu prefiro viver sozinho a viver com uma coisa que me obriga a andar de aspirador na mão todos os dias. bom ano também. :)

paula, ufa! estou mais descansado. :)

anónima, podes sempre comprar-lhe um boneco e fachá-la na despensa. :)

toma lá fresquinho, não morre? às tantas terá que escorregar para dentro duma banheira cheia de água e com corrente eléctrica. :)

K disse...

Eu não disse que tens que perceber os gatos. Apenas constatei um facto e fiz uma comparação. ;p

SRRAJ disse...

"Dogs have masters, cats have staff." Só atingi realmente o alcance dessa frase quando adoptei o meu Leão. O nome já diz tudo. Foi uma das melhores coisas que fiz.
Um beijo meu e um ronron do Leão
:-)

Björn Pål disse...

Os talibãs dos gatos são ph0d1d0s, tanto ou mais dos as bichezas que adoram.
São um pouco mais fundamentalistas que os jihadistas do cães (que assim como assim são bichos com um pouco mais de interactivos e com os quais é mais fácil comunicar).
O ridículo (e absurdo, para além de patético) é o extremismo fracturante - maniqueísta digo eu - que tantas vezes ambas as facções assumem, uma em relação à outra.
Basicamente são todos uns palermas com problemas afectivos mal (não) resolvidos... a alguns a coisa passava-lhes com filhos.

RPM disse...

Bagaço, cuidado, não cuspas para o ar... Ainda te hei-de ver, todo feliz, a dividir a tua habitação com um bichano desses... Eh! Eh! Eh!

bagaco amarelo disse...

k, eu sei... eu também não disse que tinhas dito isso. apenas disse que não preciso de compreender os gatos. :)

srraj, lol... pelo menos tem nome. :)

Björn Pål, estou contigo. :)

rpm, talvez... mas não pacificamente. :)

K disse...

Nunca se sabe! Imagina que a mulher que tu finalmente compreenderás tem um felino em casa? Não era bonito?! Era lindo! ihihihihihih

E olha, muitas vezes isso com os gatos não passo de ódio de estimação e pancada. Eu também não apreciava gatos por aí além até o dia em que tive um. Estás sempre a tempo de mudar.

bagaco amarelo disse...

K, pois... de mudar ou de matar um gato. :)

joana disse...

os gatos são muito engraçadinhos quando são pequeninos, mas é em fotos e em videos do youtube.

meu rico cãozinho, que nunca me falha.

bagaco amarelo disse...

joana, em só os acho engraçados quando são uma espécie de bonsais: quietinhos e apertados dentro de um frasquinho. :)

Desabafosescritos disse...

Começas o ano em grande forma... :) fizeste-me rir com esse bicho...

bagaco amarelo disse...

desabafos escritos, ele é que vai deixar de rir. :)

MIN disse...

grande lata!!! dentro de franquinhos? bagaço tem juízo! essa arranhadelas foram muito bem feitas! Merecias mais!

Red disse...

os gatos são é extremamente inteligentes.

ja diria o walt disney "todo o mundo quer a vida que um gato tem".

loool

(eu pelo menos gostava de ter a vida d minha. ou então nao, que tem uma relaçao muito..propria..com o meu cao.pois, é melhor nao mesmo.lool)

bagaco amarelo disse...

min, nunca viste? é giro.. :)

red, nesse caso eu preferia a vida do Brad Pitt. :)

zeni disse...

Bagaço,

disseste que "eu prefiro viver sozinho a viver com uma coisa que me obriga a andar de aspirador na mão todos os dias".

Há pessoas que dizem que não querem ter filhos porque não estão para mudar fraldas a aturar outras coisas. Em relação a esta atitude e à tua, que é igual, eu pergunto "é isso o que é realmente importante? fraldas? aspirador?

Fizeste-me lembrar um post que escrevi há uns 2 anos atrás. Passo a citar:

"Perguntas importantes

Quando dou conhecimento que tenho dois gatos em casa, é frequente perguntarem-me:"Não te arranham os sofás, a mobília?"; "Não largam muito pêlo?" e outras questões tão importantes como estas...

Nunca ninguém me pergunta o que é realmente importante: “Quando chegas a casa, eles recebem-te com uma cambalhota ou com uma turrinha?”; "Qual é a média de turrinhas que eles dão, num dia?", "Como é que eles te acordam, para te levantares a correr e dar-lhes de comer? Ronronam no teu ouvido, puxam-te os cabelos ou passeiam-se por cima de ti?"; "O ronronar deles é mais parecido com um motor de um tractor ou de um camião?”; “Quando estão no teu colo, amassam as patinhas na tua perna ou contra a tua barriga?”; "O pêlo deles é suave como seda ou como cetim?"; Quando estás triste, eles fazem tudo por tudo por estar junto a ti?".

pandolet disse...

o teu problema com o gato é de comunicação. é facto que há gatos com problemas que atacam sem mais nem menos, um dos meus é assim, mas não podes generalizar dessa maneira, nem motivar desse modo o ódio irracional que já há contra os seres animais.

há gatos e gatos, assim como há mulheres e mulheres.o problema na realidade não é do gato, mas sim teu, porque nessa relação o ser "inteligente" serás tu e tu é que devias saber dominar a situação. não sabendo, a culpa é tua, não do gato.

uma pessoa que defende o certo em relação aos direitos humanos, fazer afirmações deste género em relação ao animais, é ao que não compreendo. não somos todos filhos do mesmo planeta?

enfim, "o Homem teme aquilo que não compreende".

bagaco amarelo disse...

zeni, percebo-te... mas eu não comparo pessoas a animais, por isso não comparo fraldas a pêlos de gato. e sinceramente, dispenso as cambalhotas. mas isso sou eu. :)

pandolet, lol. :)

zeni disse...

Bagaço,

Respondeste exactamente como eu esperava: o de achar que eu estava a comparar pessoas a gatos! A atitude (aquela que eu referi) é que é comparável!

bagaco amarelo disse...

zeni, pois, eu percebi isso (sou parvo mas não tanto). mas pelo menos respondi como esperavas... isso já quer dizer qualquer coisa. :)

pandolet disse...

como "lol" ?
para quem tem tanto a dizer nao tens que dizer ao que disse?

lol digo eu =)

vou pôr um nome estúpido para o bagaço amarelo, ao responder ao comentário ter de o escrever todo! disse...

os gatos são óptimos porque exigem muito mais de nós. para começar são muito fierce, coisa que eu adoro e, para além do mais, não "funcionam" como os cães, logo são muito mais interessantes de explorar.
eu tenho um persa que é totalmente sweet e que não faz mal a ninguém, até quando entra alguém em casa foge feito maluco e só passado muito tempo aparece, lentamente.
são animais adoráveis, a meu ver.

cordialmente,
Vou Pôr Um Nome Estúpido Para O Bagaço Amarelo, Ao Responder Ao Comentário, Ter De O Escrever Todo!

bagaco amarelo disse...

pandolet, desculpa. às vezes aprovo muitos comentários duma só vez e escapa-me um ou outro... mas é sem querer. eu não quero estimular ódio nenhum contra animais. isto é uma brincadeira. aliás, sou contra touradas e essa merdices todas... só não sou, também, grande adepto da bicharada. :)

Red disse...

quando o hugh jackman foi eleito o homem mais sexy do ano, a mulher dele perguntou-lhe se o brad pitt já não estava disponível.


ok, "todo mundo quer a vida que o brad pitt tem". lool

bagaco amarelo disse...

red, se é todo o mundo, eu já não quero... :)

Anónimo disse...

Vou pôr a PETA atrás de ti...

bagaco amarelo disse...

anónimo, lol. :)