1.02.2009

as velocidades do amor

Gosto quando a vida vai devagar sem saber para onde. A existência do "para onde" não me interessa porque assim nunca chego lá e, desta forma, posso continuar a andar devagar. Na minha vida percebi que o amor tem velocidades e que começa a morrer à medida que acelera.
Não sei se isto faz sentido para todos. Para mim faz...

10 comentários:

Sayuri disse...

O amor é como um bom prato gastronómico: deve comer-se com tempo e saborear cada condimento ;)

covinhas disse...

bagacinho...essa é uma grande verdade!!mas mais importante do que identificar essa verdade é conseguir vive-la....Grande 2009 para ti...com muitos jantares à mistura :)

Pepermind disse...

As velocidades da vida e a matriz BCG:
A vida faz-se de vários produtos. Assistimos ao seu crescimento, maturidade e declínio.Alguns conseguem ser um sucesso e mantêm-se vacas leiteiras ao longo dessa caminhada. Já o amor...tenho de concordar que raras vezes ganha esse estatuto.

poeta de rua disse...

ás vezes gostava de saber abrandar um pouquinho...tentar andar nos limites de velocidade. :-)

Closet disse...

Para mim acho que o amor começa a morrer quando se trava... travamos demasiado, por medo, por preguiça, por comodidade,...e às vezes, de repente, é com cada travagem que nos estatelamos à séria... para mim acelerar é sempre bom sinal, estamos vivos :)

Anónimo disse...

Para mim faz! O amor nunca poderá ser um Ferrari, um upgrade constante, uma lógica de "mais é melhor e só o novo é bom", uma auto-estrada bem sinalizada ou uma corrida para ver quem vence, ou seja, quem chega primeiro.

N.

Lizard King disse...

Faz todo o sentido.
O amor calmo, tranquilo, o amor da descoberta é o que coloca os sorrisos de tótó na cara, é a segurança, insegurança do ser e pertencer. Quando as decisões começam a ser tomadas, quando é dado como adquirido, quando se iniciam os planos de um projecto comum, a vida acelera e o amor desacelera, perde a magia. O encanto está no aqui e agora, está na vivência da paixão, como se o amanhã fosse longinquo...quando se torna apenas um amanhã normal...o amor também passa a ser "o normal".

ComoHacerElAmor disse...

O amor comen♪a com um olhar, vai creçendo com um beijo e acaba com uma lagrima, o que faz o amor morer nao é a velosidade e a desatençao depois de um loge dia de travalhio, a solidao que mora no outro lado da cama que finge durmir para no outro dia se avantar com uma lagrima.

Trolha disse...

O Amor começa a morrer à medida que acelera? Vou tomar nota.
E já agora: com a mesma ou com outra?

bagaco amarelo disse...

sayuri, boa metáfora... é mesmo assim, sim. :)

covinhas, obrigado. devo-te um já em janeiro. :)

pepermind, exacto... é verdade e por isso mesmo é que se torna mais importante que o ganhe. :)

poeta de rua, é um exercício a fazer... :)

closet, pois... eu gosto da velocidade que me permite contemplar pela janela. :)

N., exacto :)

lizard king, exactamente. :)

comohacerelamor, :)

trolha, com quem quer que seja. nem que seja contigo mesmo. :)