1.07.2009

coisas que fascinam (78)

Decidi que o amor não existe. Aliás, decidi que ainda bem que não existe. Só aquilo que não existe é que se pode inventar, e assim posso inventá-lo todos os dias.

12 comentários:

Pax disse...

Andas muito romântico!



(Ou não...)

Sayuri disse...

Extremamente bem pensado :D

redonda disse...

E poder-se-á inventar o que não existe? Ou é por se inventar que passa a existir e então existe, sim? Muito complicado, mas para o caso de não existir espero que trates de o inventar rapidamente e de uma vez para existir todos os dias :)

Joana disse...

Como é bom estar apaixonado! :P

Clara disse...

Frase profunda esta. E carregada de verdade. Todos nós temos a capacidade de inventarmos e reinventarmos o amor. Seja com pessoas diferentes ou com aquelas que conhecemos de gingeira!
Bjks xxx

bagaco amarelo disse...

pax, ando um cadito. pelo menos um cadito... :)

sayuri, :)

redonda, só se pode inventar o que não existe... :)

joana, :)

clara, é assim, sim. :) bjs

Alguém disse...

Que lido... isso é bom ihih

beijinho

bagaco amarelo disse...

alguém, :)

Anónimo disse...

O bom do vazio é que se pode preencher (de novo) :-)
gostei muito.
Moura

bagaco amarelo disse...

moura, obrigado... e é isso mesmo. :)

Natalix disse...

Muito interessante tua elaboração! Eu costumava pensar o mesmo. Acho que casais precisam inventar o amor, porque o que há por aí são heranças e condicionamentos de gerações confusas.

bagaco amarelo disse...

natalix. :)