1.05.2009

amor para sempre

O amor pode durar para sempre. Pelo menos é o que indica um estudo científico que analisou, através de um scanner cerebral, as reacções químicas manifestadas por casais de longa data e por casais em início de relacionamento amoroso. O cérebro de alguns casais com mais de 20 anos libertou a mesma quantidade de dopamina que o cérebro de outros casais recentes.
A dopamina é, segundo a página da faculdade de ciência e tecnologia da UNL, um neurotransmissor sintetizado por certas células nervosas que age em regiões do cérebro promovendo, entre outros efeitos, a sensação de prazer e a motivação.
Este estudo contraria outros anteriores que dão como certo o fim do amor ao fim de cerca de sete anos ou mais um bocadinho. [ver notícia]

11 comentários:

RPM disse...

E a etiqueta é "diversos"? A ideia do meu amor durar para sempre, a mim, fascina-me...

bagaco amarelo disse...

rpm, a etiqueta é diversos porque assim falo da coisa como quem não quer a coisa. a mim também me fascina, mas não digo porque não quero que se transforme num pensamento catatónico. :)

Closet disse...

Confesso que conheço outros estudos sobre a paixão durar no máximo 3 anos e essa descoberta foi... desoladora. Do amor nem estudos encontrei! O problema é que não acredito nos cientistas :P Dopamina?...tem nome de droga, deve ser isso;-)

Rafael Silveira disse...

Hoje em dia é raro encontrar pessoas que mantenham as boas maneiras e os bons costumes com seu cônjuge após alguns anos de casados.
Deveras, fascino-me ao ver Senhores puxarem a cadeira para suas esposas sentar-se, nos restaurantes, ou casais idosos andando de mãos dadas e sorrindo, ao fazer um passeio.

Parabens pelo post!

Att. Rafael Silveira

Kika disse...

Ìngenuazinha que sou, mas o amor não é para sempre?
Mesmo com isso dos sete anos? Depois desliga-se de todo, passa-se esponja e nada fica?
Uhmmmmm, não acho. Fica sempre qualquer coisa.
E sim é para sempre.
Claro que com intensidade e viver diferentes.
Estou errada?

bagaco amarelo disse...

closet, eu acredito na ciência... só não a acho determinista. :)

rafael silveira, mesmo que a paixão acabe, concordo que essas boas maneiras devem perdurar. a relação é que não. :) obrigado. :)

kika, estás certa. :)

redonda disse...

Gostei muito deste post!(tentei escrevê-lo uma vez e não consegui...espero que agora não vá aparecer em duplicado)

bagaco amarelo disse...

redonda, :)

redonda disse...

E como fiquei a pensar nisto, espero que não te importes que tenha feito um post com um pequeno link para aqui...

pin gente disse...

é uma ideia feliz... eternamente

bagaco amarelo disse...

redonda, claro que não. até agradeço. :)

pin gente. :)