8.07.2008

mulheres artistas que não compreendo (20)


Lisette Model, austríaca de nascença e americana de vida e de morte, nasceu em 1901 e morreu em 1983. Foi por isso uma fotógrafa e testemunha especial do século XX. Especial porquê? Porque se recusou a testemunhar o mundo padrão dos media e fotografou apenas o seu. Nesta foto, por exemplo, o modelo é a antítese da mulher sensual que se esperaria numa pose destas, e serviu para ilustrar um artigo na Harper's Bazaar (uma revista fashion americana) sobre a praia de Coney Island. Começou o seu trabalho na Europa mas continuou-o nos Estados Unidos onde, para além de fotógrafa, deu também aulas de fotografia.

Esta coisa da fotografia mudou a visão inteira do mundo. Irá cada vez mais fundo e passará por todo o tipo de actividade humana: ciência, moda, medicina, espaço, paz, contra a paz, entretenimento, televisão, cinema. Além disso,a fotografia é uma forma de arte que mostra os seres humanos expressando a sua ligação à vida, entre eles próprios e os outros. Lisette Model

7 comentários:

Pax disse...

É a imagem de uma mulher feliz, na praia.
Bem mais convincente do que um qualquer modelo a quem pagassem para posar.
Seria essa a ideia que a fotografa queria, precisamente, transmitir. Possivelmente, conseguiu-o: inteligente e
completamente compreensivel.

bagaco amarelo disse...

pax, eu acho que ela quis mais ou menos isso, sim. afastar a ideia da ligação entre felicidade e beleza. :)

Pax disse...

E o objectivo seria promover a praia e a felicidade em a usufruir, não os corpos.
:)

Olga disse...

Eu compreendi.

bagaco amarelo disse...

pax, mas numa revista que fala mais de corpos. :)

olga, :)

redonda disse...

GOstei muito deste post. Quero aprender mais sobre fotografia.

bagaco amarelo disse...

redonda, ensinar fotografia, tecnicamente, posso ensinar-te numa tarde. :)