8.17.2008

formiguinha

Uma das coisas que uma mulher, agora a chegar aos trinta anos de idade, tem que perceber quando se envolve com um homem da minha faixa etária (37 aninhos feitos recentemente), é que a minha geração teve uma infância diferente de todas as outras. Traumática até, diria eu. A razão é muito simples e chama-se Tó Maria Vinhas e uma música da sua autoria: Formiguinha.
Epá, não me fodam. Tirem qualquer puto, agora com dez anos, da frente da sua Playstation 3 enquanto joga Grand Theft Auto, e enfiem-no num quarto domingo à tarde a ouvir a Formiguinha, no intervalo do relato de futebol dum jogo tão interessante como o Amora - Benfica de Castelo Branco. Depois digam-me que ele continua o mesmo. Claro que não.
Nesta música o cantor mantém um diálogo com... uma formiga. Pois. Agora vejam-me esta conversa, entre um homem adulto e uma formiga, que eu me fartei de gramar na rádio quando era puto (ele a preto, ela a azul).

Encontrei uma formiga
Boa tarde companheiro
Qual é o peso dessa espiga?
O suor dum dia inteiro

Que te trouxe para o monte?
Foi o pão de cada dia
Qual é a cor do horizonte?
De trabalho e alegria

Oh formiga, formiguinha
Tu és vida, tu és gente
Tu és gente pequenina
Pequenina como a gente
O Inverno está a chegar
É preciso arrecadar

Encontrei uma formiga
Boa tarde meu senhor
Como vai a tua vida?
Alegria e suor

Que te trouxe para a serra?
O Inverno que é tão duro
Qual é a cor daquela terra?
De trabalho e de futuro

Mas nem tudo é mau. Acho que foi por causa disto que nunca me meti na droga. Uma vez um tipo na escola (que era onde se começava a experimentar essas coisas), tentou-me convencer a meter LSD porque, dizia ele, dava umas alucinações altamente, tipo ver muitas cores e ouvir música nas nuvens. Claro que não achei interesse nenhum àquilo. Bastava-me ouvir o Tó Maria Vinhas a cantar a Formiguinha ou mesmo o Passarinho que já era a curte total.
Entretanto, esta ideia de que o trabalho pode ser alegre apesar de duro, foi pelo cano abaixo. Pelo menos desde que este governo meteu o provedor das empresas de trabalho temporário (Vitalino Canas) a arrotar postas de pescada no novo Código de Trabalho. Pois é... qualquer mulher que tenha agora trinta anos, anda a recibos verdes ou contratos a termo certo, mas nunca ouviu a música da Formiguinha...

26 comentários:

Jorge disse...

Entre esta e o drama que era "O Passarinho", de facto a escolha é difícil. Como é possível hoje sermos adultos, vá, normais?

(e a Suzy Paula, ui!)

Surpresa disse...

Assim num instante vieram-me à cabeça umas quantas memórias de infância quase traumáticas. Tardes de domingo infernais à custa da bola.

Ah também me recordo de ouvir a formiguinha. E só faz um ano e tal que entrei nos trinta.

bagaco amarelo disse...

jorge, há uma de que eu não me lembro do autor, se calha também era o vinhas... começava assim: olha, tu que estás aí dentro desse rádio... . lol lol

surpresa ainda levaste com os efeitos colaterais do Vinhas... Pensei que te lembrasses mais do passarinho. :)

Maldonado disse...

É uma experiência traumatizante que não se recomenda a ninguém... LOL
Também me recordo dessa música na minha infância. ;)

joana disse...

Bagaço, eu já fiz 30 este ano e lembro-me perfeitamente da música da formiguinha e do passarinho...
Só não estou a recibos verdes porque estou desempregada, que é o outro lado do barco.

Evey disse...

Ui, tendo em conta a cara que a minha mãe (que tem 36anos)fez quando lhe perguntei se se lembrava desta música acho que me safei de boa ao ser só do tempo do Avó Cantigas e de nem saber quem é o Tó Maria Vinhas =)

Manga dalpaka disse...

Lol, que memória fantástica, já não ouvia isto há anos!

Anónimo disse...

Boa Noite

Sou leitora assídua, mas nunca comentei...Mas hoje tinha de comentar!!! "só" tenho 27 anitos e essa música era me cantada vezes sem fim...E essa "olha, tu que estás aí dentro desse rádio...sai e vem aqui para eu te ver...vou desmanchar o rádio para te conhecer...ouve, tu não faças isso é muito perigoso..." hehe!!adorava esta!hehe e aquela do "carlitos, carlitos não puxes o rabo ao gato..."...Pois é, não é só quem tem 37 anitos que sabe estas musiquinhas...não não...:)

E já agora...Parabéns pelo blog...

Rita

bagaco amarelo disse...

maldonado, para o ano há eleições. podemos sempre criar uma comissão de vítimas do Tó Maria Vinhas e exigir indemnizações durante a campanha...

joana, pois... os desempregados são uma fonte de reserva para as empresas de trabalho temporário e ninguém vê que o facto de haver tantos é propositado... :)

evey, trata bem a tua mãe que ela de certeza que merece. :)

manga dalpaka, fantástica para umas coisas, má para outras... :)

Rita, obrigado por seres leitora e pela simpatia. Já agora, eu fui buscar esta música ao mistério juvenil. há lá mais que deves gostar: http://misteriojuvenil.com :)

Samantha disse...

realmente nunca ouvi tal musica :d

Gostei

beijs

Evey disse...

Ela fez uma cara comica de "não me lembres estas coisas", só isso...
Sou nova mas não sou propriamente uma criança tonta, Bagaço, nem precisas de me dizer para tratar bem a minha mãe, eu trato =)

bagaco amarelo disse...

samantha, vês? este blogue já te proporcionou uma nova experiência... :)

evey, fixe. então não lhe fales do Joel Branco... :)

Pax disse...

A minha "faixa etária" também me permite lembrar ainda disso, simplesmente nao me deixei traumatizar por tao pouco.
O meu trauma era o homem que levava o gás a casa... nao fosse meter-me dentro da bilha...
:)

vita disse...

Looool

Essa passou-me ao lado, como tenho 41 suponho que nessa altura já andava a brincar com outras coisa..;)

Já do Joel..pois, bem.. esquece..;)

bagaco amarelo disse...

pax, sorte que nunca tiveste um canalizador. :)

vita, passou-te ao lado? Então ouve o passarinho... de certeza que desse te lembras. :)

Pax disse...

Bagaço, nem estás bem a ver a coisa... eu tinha medo que ele me metesse na bilha, passando pelo buraquinho!
:):):):):)

bagaco amarelo disse...

pax, sim... realmente estava a ver mal a coisa. :)

Cristina disse...

E se eu disser (só para te calar) que, com 25 anos, ouvi essa bendita música, porque o meu paizinho tinha a cassete?! Hein?! Que me dizes a isto?? :)

Beijoca

bagaco amarelo disse...

cristina, se me dissesses isso eu achava que estava na twilight zone. :)

Catarina disse...

Acredita que hoje em dia há canções bastante piores. A minha irmã, quando era mais pequena (fez ontem 9 anos) vinha para casa a cantar uma canção sobre um canário doente que era depois visto por um médico "com três lancetas na mão/À primeira lancetada o canário estremeceu/À segunda bateu asas/À terceira lá morreu" e no final fazem um funeral ao qual comparecem vários pássaros que acabam por ser todos comidos pelo gato da vizinha. Acho que isso é mais traumatizante que uma conversa inocente com uma Formiga...

bagaco amarelo disse...

catarina, ui. dou-te razão, pronto. :)

Cerejinha disse...

Linda esta da Formiguinha!!! :-D Já me valeu uma bela gargalhada seguida de alguma nostalgia ;-)
O "single" de vinil está, religiosamente, guardado lá em casa juntamente com outros do género!

maria disse...

ai o single da formiguinha... aquilo era tudo tão real... e os porquinhos... o que eu adorava aquilo. depois veio o hei, hei, vicky... hei!

bagaco amarelo disse...

maria, eu tenho essa do vicking... :)

Anónimo disse...

eu mulher...tenho 31... e ouvi essa música e hoje andava atrás dela e da do era um PASSARINHO queria voar... :) e com certeza essa infância não poderia deixar de ser mais traumática sem a " AMAR COMO JESUS AMOU" e "PApAI" do jorge ferreira ... RECORDAR É VIVER!!!TENHO PENA DAS CRIANÇAS DE HOJE...

bagaco amarelo disse...

anónima, a música já cá não está por ser um post antigo... mas arranja-se. :)