8.13.2008

eu, Bagaço Amarelo, ladrão me confesso...

Estou com um peso na consciência. Já percebi que a maior parte das pessoas acha que a GNR deve mesmo disparar sobre uma carrinha com tipos que estavam a roubar tijolos e ferro-velho numa vacaria, e que terem tirado a vida a uma criança de doze anos é um pormenor nisto tudo. Foi só um azar...
Pois chegou a altura de eu me confessar. Quando eu tinha doze anos entrei num supermercado em Aveiro e roubei um pacote de rebuçados, dois chocolates e uma caixa de pastilhas elásticas. Nunca fui preso por causa disso e saí impune do crime cometido. A única forma de fazer justiça, agora, é pedir à GNR que dispare para os pneus do meu carro um dia destes e, por azar, me mate.

47 comentários:

Shakti disse...

Não levaremos esta coisas a estes termos...

bjs

Samantha disse...

Ainda nao vi o caso das noticias, mas pelo aquilo que já ouvi falar era desnecessario.

Nao sabem medir as coisas (a policia).

vita disse...

Não comentei o outro teu texto porque de facto não concordo contigo.
A pax ilustrou muito bem tudo o que teria dito, por isso nem comentei.

Neste não resisto, e olha aproveito e confesso-me também, com 9 anos de férias no algarve roubei de um super dois chocolates com sabor a ananás.

Mas como o crime já prescreveu estou safa..loool

Ah e outra coisa essa treta de matares os benfiquistas ofendeu-me..dasseeee

Ana Sofia Santos disse...

eu acho é que quando fores a roubar qualquer coisa, não te esqueças de levar a tua filha para ela aprender, que roubar não faz mal e que veja o quanto és bom.
não é insignificante uma morte, mas não acho a policia culpada de tudo

Ana disse...

bagaço, infelizmente não concordo contigo. Opiniões são ocmo chapéus e como tal, cada um tem o seu.
Acredito que tenha havido uma precipitação mas infelizmente pertencer à PSP ou à GNR hoje em dia não deve ser nada fácil. Se sacas da arma sem teres levado um tiro antes és logo um bandido.
Mesmo quando é para salvar vidas de inocentes que estão colocados em risco ouve-se logo falar de xenofobia.
Enfim... o que me questiono é o calibre de tal gente que leva um menor a participar num assalto. E, infelizmente, morreu uma criança, se tivesse morrido um dos assaltantes teria sido um mal menor. Mas acredito que o GNR que por azar matou o miúdo se deve estar a sentir.
Mas - e desculpa lá se te parece bruto - com exemplos assim em casa o destino dele já estaria traçado há muito tempo.

that's all folks disse...

desculpa mas um crime desses, merece outro tipo de punição... antes de qualquer coisa, deviam logo começar por te cortar as mãos, depois sim: tentavas chegar ao hospital a conduzir o carro sem mãos enquanto te esvaías em sangue;
depois porque o carro estava fora de controlo e porque estavas a provocar uma situação de calamidade pública deviam tentar furar-te os pneus do carro;
finalmente se por acidente atingissem alguns transeuntes e te atingissem a ti... teriam sido apenas danos colaterais!!

nota final: claro que tudo isto era filmado e transmitido em directo para o rejubilo geral!!!
DIE BASTARD DIE ihihihi!!!!

bagaco amarelo disse...

shakti, os termos são estes. não há outros. o que é mais importante: a propriedade privada ou a vida? eu acho que é a vida, e portanto não se deve disparar sobre quem rouba tijolos. :)

samantha, era desnecessário, sim. cada vez se dá mais valor às coisas (nem que sejam uns ferros e uns tijolos) e menos à vida.

vita, pronto, eu abro uma excepção e não te mato. :)

ana sofia santos, pelo teu comentário que li no outro post, o que tu achas é que se eu levar a minha filha ela passa a ser uma criminosa pós graduada e portanto, se a polícia a matar, nem faz muito mal.

ana, o que estava aqui em causa não era salvar a vida de ninguém. era só: não matar alguém cujo único crime foi roubar. :)

that's all folks, eu já conduzo sem mãos, lol lol lol.... mas a minha bicicleta. :)

Ana Sofia Santos disse...

e pelos teus comentários tu não achas mal a tua filha ir contigo roubar?

bagaco amarelo disse...

ana sofia santos, essa pergunta é inadequada à discussão e não percebo onde é que foste buscar a ideia de que eu acho que levar um filho para um assalto é bom. se quiseres, transcreve a parte onde eu disse isso.

Marte disse...

Olá Bagaço!

Eu tenho comentado os teus textos com alguma ligeireza, os textos que comento assim indicam que faça, quer por discurso quer por tema…são neutros, cómicos. Adoro-os!
Hoje vou assumir uma posição um tanto ou quanto mais reflexiva, conheço o “outro” lado.

Eu sou polícia, não sou GNR e não tenho qualquer tipo de afinidade com os militares envolvidos…não eram os primeiros que eu investigava e que “lixava” por não concordar com as acções.

Sou polícia e teria feito exactamente a mesma coisa…seguiram o protocolo. “ Alto!” “Pare” “Alto! Ou disparo!” dois tiros ao ar…três á viatura \ individuo…Teve pontaria “demasiado” afinada, mas estava a cumprir o dito “ Pela lei e pela grei”, roubo é roubo, quer seja um saco de batatas ou um saco de diamantes.

Há uns anos, estava eu no inicio de carreira, numa operação demasiado “fácil”, por erro nosso ou falta de oportunidade, decidimos que o carro que vinha ao longe não tinha nada a ver com o que estávamos a fazer. Resultado, perdi a minha mentora, pessoa que eu adorava e continuarei a adorar até depois de ser comido por vermes. Disparei de seguida…só lamento não ter disparado antes e não o ter morto mais vezes. Passei por tudo, desde vê-la a bocejar de dor, a estar a lutar pela vida na cama do hospital, até morrer por lesão interna enquanto eu bebia água..não vou passar por isso outra vez, nem que tenha que disparar á figura.

Não concordo, porém, com o facto de justificarem as acções dos militares com o registo de foragido de um dos intervenientes…isso não era, nem podia ser, do conhecimento dos militares no terreno.

Quanto á criança, questiono a inocência do rapaz. Não digo que não poderia ser “curado”, nunca se saberá.

O “quer dinheiro vá ao BES”, conheço alguns intervenientes. Nenhum ficou contente por ter sido morto um criminoso. Mas aí não eram suspeitos…e demorou-se demasiado tempo!

Desculpa o testamento…Mas, de certa forma, discordo da tua ideia.
Há que pensar, mas há que agir a tempo!

Me disse...

Sede de sangue? Roubos de milhões de euros e prisões de luxo? Formação para os polícias? Não se deve atirar sobre quem rouba uma vacaria? Desculpem lá, mas estamos a falar do quê?
Vivemos num estado de direito em que os direitos e deveres de cada um de nós se encontram consagrados numas coisitas chamadas Lei (e constituição e o raio que o parta). As leis existem porque o ser humano é, para todos os efeitos, um animal. As forças de segurança e policiais existem como a face visível de um sistema de justiça que existe para proteger quem cumpre e para punir quem não cumpre.
Portugal é capaz de ser, a meu ver, o país que mais trauma tem em relação às forças policiais e em relação à autoridade no geral. Somos alérgicos. Ainda vivemos numa espécie de “afterglow” da pide e da ditadura e do raio que o parta.
Atirem ou não, nós pura e simplesmente não gostamos da polícia, nem do que ela representa. Nunca ninguém dá o benefício da dúvida a um polícia.
Não gostamos da autoridade, muito menos da autoridade policial. Não gostamos do governo, de quem manda, não gostamos dos presidentes de câmara ou de junta de freguesia, não gostamos dos presidentes dos clubes desportivos nem de quem, de alguma forma, possui algum tipo de poder. Pura e simplesmente somos um povo que não gosta. Levamos com anos dessa merda em excesso e agora estamos cegos. Gato escaldado…

Eu sou uma cidadã deste país. Pago os meus impostos. Cumpro as leis que me regem. Sou uma inocente, até ser provada culpada por algo. Até lá, eu tenho de acreditar que a minha vida vale mais do que a de um criminoso que pensa em fazer reféns e assaltar um banco sob pena de todos levarem um tiro nos cornos se não fizerem o que ele diz. Eu tenho de acreditar que a minha vida vale mais do que a de um ladrão, apanhado em flagrante, que tenta matar um agente da autoridade atropelando-o e fugindo de seguida.
Eu trabalho para ter o que tenho. Trabalho, não assalto bancos, não ando a fugir à polícia e muito menos ando a prejudicar os direitos dos outros que me rodeiam.
Eu trabalho e contribuo para o Estado. O Estado tem de me proteger a mim e ao que é meu. É obrigação do Estado. É um direito meu.
Os GNRs não sabiam que ia uma criança dentro da carrinha. Isso só se soube depois. Para mim, é factor irrelevante pois nunca fez parte da equação. Se tivessem atirado sabendo, seria diferente.
Quem rouba, é ladrão. Seja um tijolo, seja milhões de euros, um ladrão é um ladrão é um ladrão. Não há escala classificativa. Há é punições diferentes consoante a gravidade das consequências do roubo.
O polícia que matou o gajo do banco não deve estar bem. E esse está treinado e mais que treinado e preparado e mais que preparado para o fazer. E fê-lo na mesma porque ele representa uma ordem, representa um sistema que foi criado para isto não ser uma selva.
O polícia que matou a criança não deve estar bem. Esse, o gnr, não está treinado nem preparado para o fazer. Fê-lo na mesma (sem saber) porque também ele pertence a essa ordem, a esse mesmo sistema.
Eu, enquanto cidadã deste país, tenho de acreditar e confiar que quem não se rege pelas suas regras e leis, seja punido. Seja essa punição um tiro por colocar em risco as vidas de outros; seja essa punição uma visita prolongada à prisão.
Lamento, mas se algum dia eu estiver numa situação em que o peso da minha vida esteja na balança com o peso da vida de alguém que não se rege pelo mesmo contexto que eu, eu tenho de acreditar que a minha vale mais. Eu tenho de acreditar que posso viver e trabalhar uma vida inteira para ter as minhas coisas, para construir o meu património e que quem tenta roubar-me isso, nem que seja o filho da puta de um tijolo, seja punido.
Os tiros que saíram da pistola do gnr não defenderam os tijolos. Defenderam um estado de direito e seus representantes e constituintes onde se acredita que roubar é feio, onde se acredita que fazer reféns é feio e onde, acima de tudo, se acredita que todos nós temos direito a uma existência pacífica e sem problemas e onde se acredita que existem valores e princípios maiores que devem ser aplicados a todos. Sem excepção.
Não vejo tijolos nem crianças de 12 anos nem polícias com falta de formação. Vejo uma sociedade virada do avesso, mal organizada, traumatizada e incapaz de lidar com as consequências dos seus próprios actos.
Desculpem-me. Ou não. Conforme preferirem.
Bagaço, desculpa o espaço ocupado e o conteúdo menos “simpático”. Se não publicares, no problem. Compreendo. No teu blog, quem manda és tu.

jg disse...

Subescrevo a tua petição se as pastilhas elásticas eram de morango.
Gamanços, vá que não vá, paneleirices é que não.

P. disse...

Isto é que é um exagero totalmente fora de proporções!

O que é que isto tem a ver com o caso?!

Dizes que estavam a roubar ferro velho.. eu não considero material de construção como ferro velho... mais ainda, se esse material serve para o seu proprietário ganhar a vida, como é que ele ía fazer se tivesse ficado sem aquilo? ah, pois.. é só ferro velho... os coitadinhos dos assaltantes têm o direito de o levar e causar uma despesa ao seu proprietário.. se calhar também vou começar a fazer o mesmo porque às vezes dá-me jeito ter uns tijolos a mais lá em casa..

Vamos abrir uma cultura de "limpeza" de ferro velho.. e depois podemos abrir os horizontes e também começar a levar os carros que fiquem parados à porta das nossas casas mais do que um dia! E casas também... os ocupas é que têm razão.. porreiro.. assim começo a poupar imenso!

Ninguém põe em causa o facto de uma vida, uma criança, ter-se perdido... mas a culpa é somente dos pais, incompetentes e idiotas e que deviam estar presos por isso.. a polícia actuou e bem.. mandou parar o carro, o carro não parou.. querias o quê? que fossem atrás deles na esperança que a gasolina deles acabasse primeiro? e depois era esperar que eles não começassem a correr, senão tinha-se que ir atrás até alguém se cansar... ou então os guardas desistiam sempre que alguém não parava o carro e fugia.. era bem.. acho que sim.. a sério.. é este deixa andar que sempre deixou os tugas entalados.. lol

Os polícias não entraram a abrir e a disparar.. dispararam quando os assaltantes os ignoraram e fugiram.. se fogem, acho justo que os guardas pensem que tinham algo a esconder.. e pelos vistos tinham bem mais que "ferro velho" a esconder!

Já agora.. no outro comentário, quando me referia ao bloco.. a parte sobre a cultura cigana e coisas que tal não estavam relacionadas com o bloco nem eu escrevi isso.. era apenas eu a divagar sobre opiniões que muita gente tem dito e escrito na comunicação social.. não propriamente o bloco.. respeito o bloco como todos os outros partidos! :P

Anónimo disse...

Concordo contigo quando dizes que nada vale uma vida humana seja que etnia for. mas acho que é muito facil falar quem esta de fora e nao passa pela situaçao em si.

seja tijolos seja o que for roubo é roubo e tem que ser punidos obvio que nao é com a vida mas é de impunidades como estas que este país esta cheio tanto que quando o pai da criança se apresentou ao juiz foi com uma identidade falsa pois ja se encontrava fugido. por amor de deus assim este ciclo nunca se quebra. barbaridade é pensar num pai que leva a criança para um assalto mas realmente para um cigano é mesmo para leva-lo a mostrar como se faz.

Quem somos nós para julgar a actuaçao da policia quando nao estavamos la para ver? quem nos diz a nós que a criança nao estaria escondida que durante a perseguiçao nunca foi vista pelos agentes? se eles pensa-sem com otu do genero sao so tijolos nunca se punham em fuga...digo eu.

por favor nao julguemos situaçoes que nao estamos qualisficados para julgar. nos estamos a desacreditar a nossa autoridade mas quando precisar-mos e ja nao tiverem poder nenhum para actuar andamos por ai a chamar o salazar de volta..por amor de deus!

Mary

Victor disse...

Bagaço
Só para informar que, não estando de modo algum de acordo a que se tirem vidas humanas, é preciso ver as coisas de forma racional.
A criança baleada não tem culpa de ter tido o pai que teve ou seja, criminoso e foragido da lei. E que para não fiquem dúvidas, sabes porque é que o garoto acompanhava o pai e a sua trupe nos assaltos? Porque para roubar em certos locais que necessitem infiltrações o corpo de um adulto não entra mas o de uma criança sim.
O nosso mal é que pomos sempre a moralidade acima de tudo mas não nos pomos na realidade. Alguém acredita que a GNR atirou para matar o miúdo de propósito? Claro que não. Aconteceu. Azar. Mas... quem não quer ser lobo não lhe veste a pele.

Ana disse...

Bagaço :)
um pequeno à-parte: esta ideia de nos estarmos a aproximar dos EUA ou do Brasil em termos de sociedade assusta-me bastante... :S

Anonyma disse...

Não te preocupes com isso. Já prescreveu. Mas se tivesses levado uns açoites por seres um ladrãozeco agora talvez fosses uma pessoa melhor. :pppppppppppppppp

Lembra-me de fechar o meu armário de chocolates à chave se alguma vez fores a minha casa!:p

Evey disse...

Epá, mais uma coisa que me irrita e logo antes do almoço...
Uma criança que morre não é um "dano colateral"!
Estamos a falar de uma criança que perdeu a vida. De uma mãe que nunca mais abraça um filho. De uma história de vida que mal começou e termina de uma forma estúpida e desnecessária.
Como é possivel ser condescendente com o que aconteceu?!
Agora a criança tem menos direito à vida só por estar num carro em fuga com materiais de construção roubados?! Por ser cigana?!
Onde traçamos o limite? Onde deixa de ser errado que se retire uma vida?
E como foi muito bem dito, cada cabeça tem direito a sua opinião. E na minha cabeça, algumas opiniões fazem-me ter vergonha pela sociedade a que pertenço...

Alvega disse...

Eh pá!

Tu insistes no mesmo, eu penso que ninguém aprova o facto de terem sido disparados tiros e um deles ter tido consequências fatais!

Parece que a GNR disparou apenas porque eles estavam a roubar!? Foi isso? Penso que não.
O que eu ouvi foi que houve disparos após os assaltantes terem-se posto em fuga e não terem respeitado a autoridade!

Repara, os disparos foram feitos porque os assaltantes não pararam à ordem da GNR, não foram feitos por causa do furto! Não terá sido assim?

Foi uma reacção desproporcionada...sim talvez. Mas a questão principal aqui será, quanto a mim: porque é que os senhores não pararam?

E já agora, parece-me que o pai da criança tinha fugido da prisão...mas não sei se terei ouvido bem.

Poças! Eu compreendo que nada justifica a morte de alguém. Foi uma tragédia, claro! Mas não acontece assim por atravessarmos a passadeira. Aquelas pessoas infrigiram a lei e pior! puseram-se em FUGA!

Assim com o sr. Vale e Azevedo a Fátima Felgueiras etc... etc....os advogados desses senhores que também são cúmplices e blá blá blá!!!

Outro abraço

Pax disse...

Afinal tens razão!
Um homem tão inteligente, que se evade de uma cadeia, é preso e consegue enganar de novo as autoridades com um BI falso, não merecia nada que lhe tivessem estragado os pneus!
:)
Mas tu também tens atenuantes: confessaste o crime :)

bagaco amarelo disse...

marte, obrigado pela tua contribuição. é importante. garanto-te que tenho respeito pela polícia e pelo trabalho que fazem. li a tua história e compreendo-a perfeitamente. acho que ser polícia não é para todos e, por exemplo para mim, é mesmo. um polícia tem que estar treinado a só disparar em último caso, o que não aconteceu aqui. Acho que não se deve disparar sobre pessoas que roubam, simplesmente porque a propriedade privada não deve ser mais valorizada do que a vida. também não acho que se deva disparar sobre uma viatura só porque ela está em fuga e não parou, simplesmente porque as balas matam...

me, eu não concordo que o estado deva matar para proteger o que é teu. a vida é sempre mais importante que a posse. :)

jg, lol.

p., é precisamente aí que não concordamos, nem que eles estivessem a fugir com ouro... a polícia não pode iniciar uma troca de tiros por causa dum bem material...

mary, concordo que eles devem ser apresentados ao juiz e, se provado o delito, cumprir a pena respectiva. claro que sim. mas não concordo que devam ser um alvo a abater enquanto fogem.

victor, eu não acredito que a gnr tenha matado o miúdo de propósito, mas acho que se a bala tivesse acertado num dos adultos era igualmente grave. os tipos deviam ser presos (e tem piada porque aí o estado falhou totalmente) e mais nada.

ana, não estamos, não te preocupes. os media é que te convenceram disso. :)

anonyma, não te preocupes com chocolates. já não como muito. mas se tiveres aí polvo à lagareiro, sim, é melhor escondê-lo. :)

evey, fico contente em perceber que há alguém que pensa como eu nesta questão... estava a ficar deprimido com esta necessidade de linchamento público. :)

Alvega, não houve troca de tiros. houve tiros numa direcção... que é diferente. :)

pax, não foi bem estragar os pneus... foi um bocado mais do que isso. mas pronto.

P. disse...

Se achas que a polícia não deve usar os meios que dispõe para travar assaltantes o mais rápido possível, antes que fujam e se livrem do material roubado, acabando assim com a prova material do crime que os poderia incriminar.. então se algum dia fores assaltado ou vítima de carjacking (e esperemos que não porque é coisa que não desejo nem aos pais desta criança!).. então não chames a polícia.. coitadinhos dos ladrões... se roubam, é porque precisam! Maldito Governo que obriga as pessoas a roubar e a ter actos tão violentos..!

Matar é errado, é o pior que pode acontecer... neste caso acredito que foi um acidente que os pais da criança podiam ter evitado.. mas impedir que as polícias actuem como devem, isso também é errado... e olha que já tive em alguns apertos e bem desejei por ter um polícia à mão que me pudesse ajudar! lol

Errado é o que fez o guarda que há uns anos cortou a cabeça à machadada a um detido dentro da esquadra.. isso é crime.. mas isto que está a acontecer, em que todos estão à espera que a cabeça do guarda seja servida numa bandeja, especialmente a comunicação social que está a fazer um trabalho péssimo.. nem sei como é que alguém consegue ter motivação para entrar para a polícia.. é que assim é muito desmotivante.

Este assunto já cheira mal... opiniões há muitas!!! voltemos lá às tuas conversas com a tua amiga e aos episódios da tua vida quotidiana que são bem mais interessantes!! ;P lolol

Ana disse...

bagaço: ossos do ofício (passo o dia a receber más notícias, quando recebo uma notícia boa já reajo com algum cepticismo)

bagaco amarelo disse...

p. carjacking e isto não são a mesma coisa. também não disse que os ladrões são uns coitadinhos. O que eu disse foi que não se deve disparar sobre quem está unicamente a roubar, mesmo que seja numa fuga.

ana, eu tenho uma boa notícia para ti: não estamos rodeados de assaltante e ladrões. :)

Alvega disse...

Bagaço, eu não falei em troca de tiros! :-)

Bem, mas repara que este assunto tem suscitado um interesse muito especial entre o pessoal do teu blog!

Acertaste em cheio num vespeiro de opiniões... hehehe

Grande abraço

bagaco amarelo disse...

alvega, tens razão. não falaste em troca de tiros. eu é que li tanta coisa que confundi. peço desculpa.
e sim, suscitou muitas opiniões que, na verdade, me preocupam. acho que os media andam a instalar o medo entre as pessoas. esta coisa de transmitir assaltos a bancos em directo tem um impacto enorme... :) abraço

Pax disse...

Bagaço, também não foi bem um assassinato, uma execução ou um tiro à queima roupa. Assim como não é um linchamento. Mas pronto.
:)
Beijo de bom fim de semana para ti!

bagaco amarelo disse...

pax, um assassinato foi mesmo. uma pessoa morreu com um tiro. beijos e bom fim de semana. :)

Anonyma disse...

Bem... não vou dizer que foi dos melhores posts (:ppp) mas foi sem dúvida dos melhores comentários a um post que li por aqui!

Consegues por o pessoal a ficar com vontade de te bater... ups... responder! :)

Bom fim de semana :)

Ana disse...

bagaço: parece-me mais que já existe tal coisa como sanidade mental. à medida que a sociedade evolui, aumentam as definições para tudo e para mais alguma coisa. por outro lado regredimos e, na realidade, o homem não deixa de ser um animal que de forma alguma consegue conviver em grandes rebanhos com outros da sua espécie...
acabam sempre por surgir conflitos, atritos, discussões. mas - felizmente - só alguns descambam para a violência (embora com a actual orientação dos media penso que somos bombardeados com mais desgraças e conflitos do que temos realmente a capacidade para assimilar).
a imagem da ilha deserta parece cada vez mas atraente e, ao mesmo, tempo distante...

bagaco amarelo disse...

anonyma, como já estou habituado a apanhar... :)

Japinho disse...

Èpa Ivar, o pai até se tinha pirado da prisão e andava a monte, como não tinha onde deixar o puto levou-o no carro e foi gamar uns cobres e afins a uma fábrica. O puto não tem culpa de ter um pai assim e pelos visto o marmanjo também não tem, onde é que ia deixar o puto? a culpa é toda do gajo que para o para na fuga disparou e matou o puto.
Ó Ivar.

Ana Sofia Santos disse...

e gostas de apanhar? ou depende do tipo de apanhar? ou és mais de dar? lolol
acho que ninguém te quer bater, so estamos a debater ideias

bagaco amarelo disse...

japinho, não partilho dessa noção de culpa judaico cristã, em que a sociedade é vista duma forma maniqueísta: o polícia é bom e o ladrão é mau. Era bom que o pessoal tentasse ver as coisas duma forma mais abrangente para, pelo menos, evitar 'acidentes' como este.

ana sofia santos, sou mais de ler o jornal domingo de manhã na esplanada de um bar, para ser sincero. :)

bagaco amarelo disse...

ana, os teus comentários estão a aparecer fora do tempo, lol... eu, ilhas desertas, só acompanhado. lol. :)

AnaA disse...

Mas tirando o facto que tu não tentaste atropelar a polícia quando te tentou parar...

Eu sei, não foi a criança que fez isso, mas levarem crianças dessa idade para assaltos é apresentá-las ao negócio e dizer que está certo.

Se fosse um adulto a morrer o problema não era tão grande, de facto ter morrido uma criança incomoda, mas eles também não pensam duas vezes antes de a levar... Eles é que mereciam um tiro só por isso (e desculpe a quem ofender).

P. disse...

Desisto.. se algum dia te encontrar na rua vou-te roubar... já vi que não ficas minimamente chateado porque não és uma pessoa materialista... lol

Prepara-te!!! ;P ahahahah

bagaco amarelo disse...

anaa, eu começo a não acreditar nas versões da GNR em que o carro os tenta sempre atropelar... e se fosse um adulto era igualmente grave. :)

p. assalta-me sim, mas traz um amigo que é para depois dividires o roubo. vinte Cêntimos para ti, vinte cêntimos para ele. :)

Me disse...

Bagaço,
Quase que me dá vontade de te pedir que transcrevas onde foi que eu disse que o "estado deve matar para proteger o que é meu".... Mas não o vou fazer.
Tenho demsadiados exemplos de cidadãos comuns que já mataram ladrões que invadiram propriedade privada e para tentarem roubar o que estivesse à mão. Esses são herois. Os polícias? Mentirosos, racistas, "trigger happy assholes" e idiotas que precisam de formação.

Enfim, é o que há.
Isto cansa-me.

bagaco amarelo disse...

me, "O Estado tem de me proteger a mim e ao que é meu", foi o que tu disseste. Tens razão mas, neste contexto, estás a concordar com um caso em que se matou porque se disparou sobre que não estava ameaçar a vida de ninguém.
Eu é que não disse em lado nenhum que cidadãos comuns que já mataram ladrões que invadiram propriedade privada são heróis, e que os polícias são mentirosos, racistas, "trigger happy assholes" e idiotas que precisam de formação. :)

Liana Andra Marques disse...

és muito ingénuo...

bagaco amarelo disse...

lol lol, Liana, admiro essa capacidade de argumentação.

Me disse...

Oh valha-me caredo.
É justo.
Concordamos em semi-discordar quando não discordamos mesmo.
Menos mau
:)

bagaco amarelo disse...

me, lol... mais um bocadinho e isto tornava-se numa discussão de marido e mulher. :)

Ska disse...

Se a polícia "deve" usar os meios que tem à disposição para parar os carros dos assaltantes, porque não distribuir umas granadas?? Uh? Um CABUM e o carro não se mexe mais! Pimba, limpinho!

Desde quando "desobediência à autoridade" é púnivel com pena capital? Digo eu, que percebo tanto de direito penal como de botas da tropa.

Bang Bang, thank you ma'ham

pi_olho disse...

pk é que ninguem culpa p "pai" da criança de o ter levado com ele para fazer um assalto?

bagaco amarelo disse...

ska, lol... é boa ideia. :)

pi_olho, ninguém? toda a gente culpou o pai da criança...