8.24.2007

respostas a perguntas inexistentes (11)


Não fui eu. Ela entrou primeiro e eu senti-me despido no meio de tanta luz. Tive que entrar também e dei-lhe a mão. Espera aí, disse-lhe, e depois pedi-lhe para ir mais devagar. Mandou-me calar. Apertou-me com força os dedos e disse-me para fechar os olhos. Mas aqui está escuro, respondi com a voz trémula. Fecha os olhos na mesma, aqui nem o escuro deves ver. E entrámos.

2 comentários:

Chapas disse...

No cinema?

bagaco amarelo disse...

não, chapas. no carrossel mágico