5.12.2009

café da manhã

Um
Que não há coração como o de mãe, diz ela. Depois agarra no saco das compras como se agarrasse uma criança. Os seus olhos envelhecidos são uma represa de lágrimas prestes a ceder e eu, como quem não quer saber, passo por ela em passo apressado. Só eu sei que estou com pressa para chegar a lugar nenhum.

Dois
Que a ele ninguém o engana. E repete a frase enquanto ajusta as golas de um casaco sujo e gasto pelo tempo: que a ele ninguém o engana. Depois encosta uma mão ao vidro da montra dum loja. Fico na dúvida se ele ampara a loja ou se a loja o ampara a ele. É que também eu, continuando o meu passo apressado, passo por ele sentido-me perdido.

Três

Curvou a cabeça para trás e bebe as últimas gotas dum pacote de Ice Tea de pêssego. Lembra-me uma vitela a procurar leite numa teta seca. Não só por ser evidente que o pacote está vazio mas também porque as pernas frágeis lhe tremem. Depois desiste e começa a cantar. Ainda não sei para onde vou mas continuo o meu passo apressado.

O café da manhã conforta-me. Não só pelo sabor mas porque enquanto o bebo não tenho que fingir que me dirijo convictamente para um lugar qualquer. Pergunto-me quantas pessoas andam na rua a fingir que têm um destino sem de facto o ter, pergunto-me se esse fingimento é sinal se alguma solidão e se estas pessoas que falam sozinhas na rua não são apenas pessoas que deixaram de fingir. Quando dou por mim estou a falar sozinho numa mesa de café...

11 comentários:

Kris disse...

Sim é verdade! infelizmente é mesmo verdade...a solidão é um sentimento com que poucos sabem lidar e a vontade de aprender pode não ser nenhuma...
o falar sozinho ou neste caso acho que falamos com o nosso "eu", é apenas admitido ou assumido por alguns...aqueles que tal como eu, não tenho medo algum de ser rotulada de doida...

Parabens esta exepcional!

bagaco amarelo disse...

kris, eu não tenho medo de ser rotulado como doido... mas isso preocupa-me um cadinho... :)

Bichana disse...

Adorei o post.
Não és nada doido... és sensível ao que te rodeia e isso é raro no ser humano hoje em dia.

bagaco amarelo disse...

bichana, :)

Milú disse...

Creia que uma das coisas que mais me seduz é a vida, mesmo quando ela me traz solidão por companhia. Mesmo assim! Porque, enquanto vivemos, há sempre mais um dia, há sempre mais um sorriso, há sempre mais uma oportunidade. Estamos sempre a tempo de arriscar outra vez. De tentar de novo. E sei que haverá mais horas, haverá mais instantes, haverá mais vontades e mais sonhos… E, ingenuamente, ainda quero acreditar neles. E, ingenuamente, também quero acreditar que a solidão não é mais do que o medo de nos confrontar.

Um beijo

Pedaços de Mim disse...

Só falo aqui do último parágrafo. Acho que disseste algo acertado. Eu a maioria das vezes sinto-me assim sem caminho, fazendo de conta que vou para algum lado, quando sei que caminho é que gostaria de ter actualmente e que de momento não me é possivel pois não depende de mim. Muitas vezes vou na rua por andar, e ontem senti-me muito olhada e "mal" porque parecia ter alguma coisa de errado na roupa ou o que fosse, para me tratarem daquela forma :S

Teresa Queiroz disse...

é pá... hummm


café da manhã

é brasileiro....

AnNa disse...

LOL Por causa de falar sozinha ou neste caso, para mim, já me chamaram de doida, maluca varrida, passada da marmita... Já me disseram para largar a droga que estava a fritar, já me disseram com preocupação nos olhos que ñ jogo com o baralho todo... E sabes o que é que eu respondi?!
E então... sou feliz assim! Ao menos consigo conhecer-me nas minhas entrelinhas, já vocês... LOL

E pronto, não se falou mais nisso!
Acho que nos faz bem soltar tudo o que nos vai na alma mesmo que não tenhamos ninguém para nos ouvir!
Fazemos a tal limpeza da me*** que guardamos cá dentro por medo de falar e feir susceptibilidades!

BeijinhO! *

bagaco amarelo disse...

milú, é uma boa forma de ver a coisa, sim. mas a solidão às vezes é mais do que isso. :)

pedaços de mim, chamo a isso a sensação da braguilha aberta, lol. :)

teresa queiroz, para mim, brasileiro ou não, é uma forma essencial de ligação à Terra. :)

AnNa, eu falo sozinho no carro, às vezes... e é quando sou mais malcriado... deve ser mais ou menos a mesma coisa. :)

Pedaços de Mim disse...

Estava de vestido :X

bagaco amarelo disse...

pedaços de mim, então nem digo o que lhe chamo. lol. :)