5.27.2009

insegurança social

Estou neste momento há mais de duas horas para ser atendido ao balcão da Segurança Social da loja do Cidadão em Aveiro. Tenho a senha número 100 para o atendimento geral e vai no 86. Estou, portanto, a ver uma luz ao fundo do túnel. A luz que entretanto parece apagar-se tem a ver com o Portugal real que às vezes me esqueço que existe.
Há bocado uma mulher sentou-se ao balcão, na sua vez, e não sabia do que ia tratar. Ainda disse que foi o filho mais velho dela que a mandou ali mas não sabia muito bem porquê e, depois de mais de uma hora à espera, lá voltou para casa tão encolhida na sua ignorância quanto o seu corpo idoso.
Depois foi um rapaz novo de brinco que se encostou ao balcão e fez uma pergunta qualquer que foi só isso mesmo: uma perguntinha. A senhora respondeu-lhe educadamente mas um gajo gordo ao meu lado lançou-me logo a farpa: lá está o preto a querer passar à frente, que vá para a terra dele. E eu não me aguentei. Nunca me aguento quando vejo gente estúpida e torno-me ainda pior. Vai para a puta que te pariu, respondi-lhe. E ele afastou-se lentamente a rosnar baixinho.
Começo a ficar deprimido quanto baste. Olho para o chão e vejo um velho com um sapato vermelho escuro e outro tão velho que já nem lhe percebo a cor. Só percebo que não é do mesmo par. As meias também são diferentes e as calças de fato de treino estão rotas nos joelhos. Ninguém devia chegar à terceira idade neste estado. Este país é uma merda, penso. Os meus olhos cruzam-se com os dele mas os dele não se cruzam com os meus, que se movimentam de forma intermitente como planetas sem órbitas.
Sentei-me. Agora estou aqui sentado de computador nos joelhos e a coisa acalmou um pouco. Mesmo assim bastou-me abrir o site do Jornal de Notícias para ficar a saber que este ano já morreram dez mulheres vítimas de violência doméstica neste país. O ano passado foram 47 e, por falar em números, isto vai no cliente 91. Vou desligar o pc e publicar isto sem reler... e ando eu aqui, feito parvo, a falar de amor...

38 comentários:

Ana Sofia Santos disse...

o amor acalma o coração e faz-nos esquecer por momentos as coisas más que passam todos os dias á frente dos nossos olhos

Lili disse...

É incrível a quantidade de "coisas tristes" de que nos apercebemos quando por algum motivo somos obrigados a esperar em qualquer local público. Vivemos realmente num país de merda, numa sociedade de merda onde valores como o civismo e o respeito pelo outro parecem estar cada vez mais em vias de extinção. A realidade triste das outras pessoas está lá sempre, dia após dia, só que passa-nos muitas vezes completamente ao lado e se for preciso até fazemos os possíveis para não perder tempo a reflectir sobre ela - incomoda pormo-nos no lugar do outro e pensar que um dia podemos ser nós.

Pires disse...

O comentário desse gajo é mesmo estúpido mas, porquê a alusão a ele ser gordo?

AidaLemos disse...

Como te compreendo..."ai, Portugal, Portugal, de que é que estás à espera?"
AL

Maestro disse...

neste texto simples que revi-me na sua sinceridade, a qual me deixou arrepiar,. por algum tempo.

sendyourlove disse...

...tudo faz parte desta vida, até o amor... mesmo que por vezes nos seja dificil ver alguma luz no fundo deste tunel tão escuro e fundo...
...todos os dias vemos Portugal no seu melhor, basta andar desperto e com os olhos minimamente abertos...

Lizard King disse...

No meu trabalho digo inumeras vezes aos adolescentes com quem trabalho que fácil é embarcar no comportamento delinquente e ser marginal, desde que se queira todos nós conseguimos roubar e enganar ...agora acto heroico é aguentar nos serviços publicos, é ter a estoicidade de esperar uma manhã inteira na segurança social ou nas finanças e chegar à nossa vez e descobrirmos que ou estamos no sitio errado, ou falta-nos um papel ou a melhor: "a pessoa que trata disso está de férias tem de voltar para a semana"...e no fim mantermos uma conduta moral e etica idonea quando tudo nos empurra para o facilitismo "à Portuguesa"

...os problemas estão nas fundações e se é impossivel construir um prédio começando no 1º andar é igualmente impossivel repara-lo começando pelo 1º andar...

o pior cego é aquele que não quer ver...infelizmente parece que somos um país de cegos.

Paula disse...

uma retrato bem real do que se passa neste país...mas não és parvo por falar de amor, antes pelo contrário!
mais pessoas houvessem a falar de amor e talvez o mundo fosse um lugar muito melhor!
bjs

ci disse...

porque falar de amor não lhes dá roupa nem evita a violência, mas pode dar-lhes sorrisos se lerem :) país de merda, é mesmo.

Bichana disse...

Pôrra, fiquei literalmente com um nó na garganta... Aiiiii!

C disse...

As minhas professoras de português ensinaram-me que se eu, ao ler um texto, conseguisse visualizar tudo o que é relatado como se lá estivesse, é porque era um bom texto.

E não só senti tudo, como, realmente, consegui ver tudo.

:) por isso e :( pelo conteúdo.

Larose disse...

Deixa-me fazer-te companhia !!!!
Chega pra lá.....

murmúrio disse...

É engraçado como ás vezes os homem se confunde com o animal...todo o texto está muito bom, e tenho andado a acompanhar os outros post's pela curiosidade que me deu de tentar perceber o que pensam, de nós mulheres, os Homens.
Neste texto, que chama a atenção para algo que não tem nada a ver com o que vou dizer, ficou-me a imagem de um animal de dentes afiados que rosna para o velho racista um "Vai para a puta que te pariu"...quem rosnou no texto foi o velho, mas eu vi naquela defesa do rapaz da perguntinha o animal que temos dentro de nós e que se liberta quando menos esperamos e da forma mais agressiva. Sem necessidade muitas vezes...bastaria um " Oiça lá, se tivésse uma pergunta para fazer ficava aqui 2h à espera?" e talvez o velho se tocásse...mas não, salta sempre o instinto do animal que somos. É curioso como conseguimos sempre ter o nosso lado domesticado e ao mesmo tempo nos aproximarmos tanto da nossa origem. Estes momentos são preciosos, e ando a tentar percebê-los já há algum tempo. Obrigada por me mostrares mais um momento, e um brinde por teres silenciado o velho!!

bagaco amarelo disse...

ana sofia santos, não deixas de ter razão. :)

lili, é isso mesmo... temos uma falta de capacidade de nos pormos no lugar do outro e, de vez em quando, é que percebemos isso. :)

pires, olha, sei lá... era mesmo gordo... isso só por si não tem mal nenhum... mas apetece-me tratá.lo assim. talvez ele até leia isto: :)

aida lemos, com um pé no fundo do mar. :)

maestro, obrigado. :)

send your love, pois... deve ser por isso que tenho andado de olhos fechados. :)

lizard king, tens razão, sim... e eu que só queria desistir do abono da família da minha filha, não me deixaram fazê-lo por carta. Tive que ali estar três horas... :)

paula, é uma realidade irreal, às vezes... este país. :)

francesa, obrigado. :)

ci, podes dizer... hoje podes dizer... :)

bichana, eu estou a acalmar. ainda... :)

c, obrigado... :)

larose, lol... deixo pois... :)

murmúrio, e eu dou-te razão... respondi-lhe como um animal, sim... e com uma violência aqui dentro que me confunde a mim mesmo. :)

Larose disse...

bim ber se já estabas despachado ...tá-se bendo que sim, e com muitas companhias !

bagaco amarelo disse...

llarose, despachei-me em três horas. até já almocei e já fiz 70 quilómetros para trabalhar. :)

João Pedro disse...

Se todas as pessoas exaltassem o Amor e dessem a importância ás Relações Humanas que tu dás bagaço, este mundo seria bem melhor. Uma pessoa pode não conseguir mudar o mundo, mas tu consegues mudar o mundo "á tua volta" só com o "Não Compreendo as Mulheres". E por isso mesmo, dou-te muito valor. Eu próprio não sou o mesmo desde que sou leitor assíduo deste blog. E vou-te contar um segredo. Não é nos teus textos onde aprendo mais. É nos comentários delas... ;-)

Lady_M disse...

Também eu já apanhei algumas secas aí na "loja"... Mas desesperante é a sede da segurança social ali perto da Lourenço Peixinho, aí sim, já me vi a braços com gente tão ou mais estúpida do que o gajo que fez o comentário digno da resposta que lhe mandaste!

AnAndrade disse...

Ainda bem que alguém continua a falar (e bem) de amor. Ou de desamor, também não é mau, pressupõe que o primeiro, senão existe, já existiu.
Obrigada por isso.

SanteagO disse...

Às vezes tenho medo, sim mesmo medo de sair à rua e deparar me com essas realidades. Estamos num país tão fundo que já nem sabe bem respirar lá fora.

Mas infelizmente não sei o que pode ser feito, e se ainda haverá tempo.

=/

Apple disse...

Se há coisa que me irrita é a espera, ainda para mais para coisas que deveriam ser simples...
Quem pode e quer devia fazer tudo por net e por escrito ou por um telefone/maquina de opções.
Aos atendimentos deveriam ir as pessoas idosas e sem meios ou quem infelizmente nao tem ninguem na vida que a ajude.
De resto... so em ultimo caso.


...

bagaco amarelo disse...

joão pedro, obrigado por seres simpático. sim... os comentários também me servem para alguma coisa. :)

lady_m, essa segurança social ainda é pior sim. parece um serviço de desinformação... :)

AnAndrade, Existir existe... às vezes passa é despercebido. obrigado. :)

Santeago, acho que Portugal é definitivamente um país com duas velocidades bem distintas... e uma delas é mesmo muito má... :)

apple, por acaso nada disto faz sentido... tecnologia pra tudo e mais alguma coisa e depois está-se três horas à espera para fazer uma coisa de dez segundos... :)

Mena disse...

olá...
Olha, eu cá na minha ignorancia.. prefiro falar de amor..
Amor é um sentimento que engloba o mundo.. que nos engloba a cada um de nos, a nossa força motriz...
O amor não é só o sentimento que temos pelo namorado(a) mas ta,bem pelos filhos, amigos, pais.. até mesmo aquele que sentiste pelo pobre senhor com os sapatos trocados...
Não és parvo nenhum andares a falar de amor.. é o que sentes, é o que transmites, é no que acrditas...
Parvo? Parvo foi quem te fez aquele comentario estupido...
Pessoas que nada mais fazem que espalhar raiva, odios e ignorancia.....
Acho, tenho mesmo a certeza, que tu espalhas o que de melhor sabes fazer...
Textos cheios de amor...
Continua, por favor...
Beijinho

Giovana disse...

Poxa vida... POXA VIDA!!!

Cada vez que eu vejo algumas situações presentes aqui no Brasil, penso: "HERANÇA CULTURAL??". Mais provável que não. Acredito que o mundo está em uma crise ética e moral, a humanidade deixou muitos valores para trás. Respeito está cada vez mais raro, educação, mais incomum. Ou a gente se adapta, ou sofre, ou, na pior das hipóteses, "cai fora", como muitos fazem.

Enfim. O que há de fazermos? Ainda busco a resposta.

Fica bem, tá?

Um beijo!

Sayuri disse...

As lojas do cidadão são um excelente local de observação das várias especies e das varias castas portuguesas, sem duvida alguma...

emilia disse...

Não deixes de falar de amor. É também por falta de amor que assistimos a cenas dessas! BJ

zeni disse...

"Ninguém devia chegar à terceira idade neste estado. "

Tantas vezes que me ocorre este pensamento, sobretudo quando passo pelos sem-abrigo idosos.

murmúrio disse...

É bom quando nos conseguimos surpreender pela positiva!

bagaco amarelo disse...

mena, obrigado por seres simpática. o racismo é, de facto, na sua base, a maior das ignorâncias... :)

giovana, provavelmente a nossa espécie está numa fase evolutiva primária... é só isso. :)

sayuri, pois são... e a segurança social é o seu auge. :)

emilia, olha...e tens mesmo razão. :)

zeni, pois... eu também... há um abandono enorme aos idosos, neste país... :)

murmúrio, pois é, sim... nem sempre consigo. :)

happiness...moreorless disse...

Também lá estive ontem, por essa hora, com uma amiga minha e acabámos por desistir e ir embora. Uma hora passada, um cartão do cidadão feito e uma análise pormenorizada do ambiente envolvente...decidimos abandonar o local. Só duas horas depois recebemos a sms a informar que faltavam "apenas" 15 pessoas...

É sempre bom =P

Giovana disse...

Aqui pelo menos existe o Estatuto do Idoso e alguns benefícios...

bagaco amarelo disse...

happiness...moreorless, essa do sms ser de valor acrescentado, não me convence nadinha... :)

giovana, pois... aqui também há coisas assim... mas da teoria à prática pode haver uma grande diferença. :)

C disse...

O comentário "porque te referes ao gajo como gordo" é uma boa deixa para um novo post sobre os preconceitos q automaticamente criamos - todos nós, e é preciso saber reconhecê-lo.
Ninguém diz "um gajo magro q tava ao meu lado"; assim como ninguém diz "o banco foi assaltado por um indivíduo de raça branca".
Parece óbvio, parece cliché...mas dá q pensar.

bagaco amarelo disse...

c, tens alguma razão... se bem que eu, se for um gajo mesmo magro, até o digo... o que vai dar ao mesmo: é estúpido. :)

Nirvana disse...

Às vezes acontece isso, não é? O outro dia ia no metro e comecei a olhar para as pessoas à minha volta e a sentir-me angustiada. As pessoas tinham todas um ar tão infeliz! Os fragmentos de conversas que me chegavam aos ouvidos eram só desgraças e tristeza. Como não tinha o computador e nem um livrito para ler e tentar abstrair-me daquilo, saí e fui o resto do caminho a pé.

Infelizmente, o que contas, não acontece só em Portugal. Imagina uma loja do cidadão em alguns países!!

Mas...se fores à loja do cidadão em Faro, esperas na mesma montes e montes de tempo, mas as funcionárias estão vestidinhas até ao pescoço, com roupa interior clara, sapatinho no pé ;))
Aqui sim, digo, atendimento de qualidade...

bagaco amarelo disse...

nirvana, eu conheço essa da loja do cidadão em faro, lol... e logo em Faro, onde está sempre calor... :)

Nina disse...

A Segurança Social é dos piores serviços públicos onde se pode ir. Os espeços são pequenos e abafados, estão sempre inúmeras pessoas (a fila chega cá fora) e ficamos deprimidos com o que lá se vê. A parte que mais me irrita é aquela em que não nos sabem responder ao que perguntamos, depois de termos estado não sei quanto tempo à espera! Não há paciência...

bagaco amarelo disse...

nina, na segurança social há óptimos e terríveis empregados. não percebo, uns fazem o melhor que sabem e outros o pior. de resto tens razão em tudo. :)