5.14.2009

como é que se ama pela segunda vez?

Como é que se ama pela segunda vez? Pergunta-me ele depois de me dar um passou bem morto, sem a determinação que eu lhe conheço de outros tempos. E eu espero que ele se sente e pare. Não se fala de amor com um tipo que está ainda a encontrar posição para se sentir confortável, dando pequenos encontrões à cadeira com um rabo inquieto.
Lembro-me de o ajudar a carregar uma máquina de lavar roupa, para um segundo andar num prédio sem elevador, quando se casou. Mais um guarda-vestidos, uma cama de casal, uns sofás coçados, um frigorífico e uma série de caixotes embalados com a determinação que agora lhe falta. Era como se estivéssemos a levar pelas escadas uma vida inteira, e digo inteira porque ali se transportava o passado, o presente e o futuro. E o futuro chegou hoje, com uma sensação de falhanço total na vida, uma cerveja morta numa pastelaria e um estranho medo da solidão.
Pergunto-lhe se quer outra cerveja, na esperança de também eu poder beber mais uma. Que sim, responde. E enquanto o rabo dele parece estar a acalmar eu estico as duas mãos à empregada que está do outro lado do balcão: uma com uma garrafa vazia, outra com dois dedos esticados.
Acho que a segunda vez é mais fácil, digo-lhe. Na segunda vez não levamos a vida toda para um apartamento nos subúrbios da cidade, na segunda vez começamos por nos levar a nós, só a nós, sem passado nem futuro. Fazemos amor devagar, bebemos uma garrafas de vinho sem ser daquele mais barato, trocamos uns sorrisos e apagamos a luz do sem querer ver mais do que isso.
A empregada pousa as garrafas na mesa. É só isso? Pergunta ele. Que sim... eu, pelo menos, não sei dizer mais nada nem me apetece saber...

41 comentários:

Teresa Queiroz disse...

não é nada mais fácil!!!
bolas!

não é mesmo.... :)

Ritinha disse...

Hum... Sera?... Nao sei porque, mas nao me parece que seja mais facil... Na primeira vez esta-se de olhos fechados, na segunda...

maestrina disse...

esqueceste-te de lhe dizer que amar a segunda vez é muito mais difícil, porque é difícil não criar expectativas, porque é difícil superar males dolorosos, porque é difícil não elevar as fasquias, porque é difícil darmo-nos à morte outra vez, porque é difícil apercebermo-nos de que não é fácil ser feliz...

Valter Vicente disse...

Desculpa não ter a haver com o post, mas é só para te informar, para o caso de ainda não saberes, que a Mayra Andrade vai estar no dia 9 de Junho a actuar no Centro Cultural e de Congressos de Aveiro. ;)

PiNkCaT disse...

Como sempre muito bom :)

AidaLemos disse...

Amar parece fácil, manter o amor parece cómodo; vai daí, nem uma coisa nem outra são verdadeiras. Ai, a vida! :-)
AL

AnAndrade disse...

Revi-me.
Muito obrigada. :)

bagaco amarelo disse...

teresa queiroz, pois... pode não ser sempre... mas não quer dizer que a terceira não seja... ou a quarta ou a que for preciso. :)

ritinha, é por isso mesmo... de olhos fechados é sempre mais difícil: :)

maestrina, não esqueci... acho que a primeira serve para formar e dar alguma maturidade à coisa. :)

Valter Vicente, obrigado... infelizmente nesse dia estou a voar de Dublin para Praga... o que é um mau dia para fazer isso. :)

pinkCat, :)

Aida Lemos, manter o amor, se for à força, não me parece nada cómodo. :)

AnAndrade, :)

ComoHacerElAmor disse...

Amar pela segunda vez?

Hmmmmm!

Bom isso es como facer o amor pela segunda vez , infelizmente a impreçao nao e amesma da primeira , mas da quarta a quinta sempre tem melhores notificaçoens . Pos entao o melhor es continuar amamdo e esquecer no fundo da garrafa si alguma vc començo a beber.Acredito que amar deve ser um desejo infinito .

Mena disse...

Amar uma segunda vez?
Sinceramente acho que depende da primeira vez em que te entregas..
Eu um dia dei por mim a carregar(mas para um res do chão) aquilo que pensava ser a minha vida para sempre...
Entrei na igreja e pensei que seria pra toda a vida...
e sabes?
Foi num dia de sol, em que eu deixei tudo para tras, peguei na minha filha e fugi... que acho que carreguei a minha vida... ai sim...
tive de juntar todos os caquinhos do que se chama força e coragem e fazer-me a vida com ela...
amar uma segunda vez?
É possivel... mas aquela ingenuidade com que amas á primeira?
A magia?
Desaparece.... estamos marcados, feridos... e ate passa!
Mas fica sempre a cicatriz..
beijinho grande

Giovana disse...

Lembrei um ditado popular, comum por aqui: "só se cura um amor com outro amor". Sei não se é bem verdade. Vai muito de querer dar-se outras chances, desfazer-se daquela imagem ilusória que se tinha do outro e olhar pra frente. E, como se faz isso?

Será que... Abrindo-se os olhos?

:-)

Ritinha disse...

LOL! Eu acho que de olhos fechados e mais facil... Genero montanha russa, quando abro os olhos e que entro em panico... :)

bagaco amarelo disse...

como hacer el amor, a segunda vez está mais perto do infinito do que a primeira. :)

mena, percebo o que dizes... e epercebo mesmo. por isso é que prefiro chamar oportunidade a uma alteração dessas do que um problema... e a cicatriz está lá, sim, mas pode ajudar a que não te aconteça de novo :)

giovana, é mesmo assim: abrindo os olhos. :)

ritinha, se abrires os olhos em vez da montanha russa escolhes um carrossel mais ao teu gosto. :)

A Tela disse...

Não sei se há 2ª vez. Há interesses, talvez. Amar é como a impressão: conta a 1ª. Mas há-que arriscar, pode ser que O Amor Acontece.

Lili disse...

Amar a segunda vez?
Na teoria: com a mesma intensidade que a primeira, mas com os pés bem assentes na terra e tentando não cometer os mesmos erros.

Na prática: ou amamos menos e racionalizamos mais para não cair no mesmo ou se a entrega for a mesma as cabeçadas serão, mais tarde ou mais cedo, as mesmas (ou muito parecidas).

Ainda assim, desde que não se perca o amor por nós próprios, amar vale sempre a pena - a primeira, a segunda, a terceira e até mesmo a milésima vez.

Ritinha disse...

HUm... Continuo sem estar convencida... Os carroseis sao uma seca... Da-se uma voltinha e ja esta. Agora devias ver-me na Disney na montanha russa dos Aerosmiths. Era ver-me a sair, recompor o coração dar a volta as grades e la estava eu na fila outra vez para ir nos lugares da frente da carruagem, com olhinhos bem fechadinhos e toda contente e feliz... :)
Beijinho!

bagaco amarelo disse...

A tela, claro que há segunda vez... e, se for preciso, deve haver uma terceira, quarta ou quinta... :)

lili, eu estou de acordo. :)

ritinha, lá está... a Disney a mim não me entusiasma nadinha. Sempre fui mais twister ou carrinhos de choque. :)

zeni disse...

"na segunda vez começamos por nos levar a nós, só a nós, sem passado nem futuro"

Ainda não sei se concordo com isto.
Queres desenvolver o assunto?

Percebo a ideia, mas acho que na práctica não se concretiza. Ou seja, da segunda vez entregamo-nos dessa forma, sem querer pensar no passado e muito menos no futuro, mas na práctica, somos fruto dos acontecimentos do passado e isso influencia e condiciona o nosso futuro, o que não é bom nem mau, depende das aprendizagens que fizemos.

AnNa disse...

Acho que na segunda vez, ou na vez que for, será sempre melhor!
Cada relação, ainda que falhada, é sempre uma lição para a nossa vida. Aprendemos a ser mais ponderados e mais atentos às atitudes, às palavras, aos olhares, aos sorrisos, às expressões... A tudo, em geral, que nos rodeia.
Dói quando perdemos e achamos que não passámos de um falhanço. Mas sabe tão bem saber que tivemos a coragem de erguer a cabeça e enfrentar as adversidades! É tudo uma questão de amor próprio e força de vontade de ser feliz!
A felicidade que tanto procuramos e ansiamos não está noutro lado senão dentro de nós.
Acho que deste uma boa explicação!
Agora é deixar que o coração lhe sare as feridas. =)
O amor nem sempre tem um final feliz, mas ñ é por isso que devemos perder a vontade e o gosto de amar. =D

BeijinhO! *

subtilezas disse...

já não se acredita da mesma forma. mas ainda não desobri se isso é bom ou mau. amar é sempre bom, da primeira, da segunda ou da terceira. já não se cometem é loucuras com tanta facilidade, nem se muda de vida. mas ama se. txiii bagaço a mayra cá e tu lá fora?! não está bem!

bagaco amarelo disse...

zeni, o nosso passado influencia-nos sempre, sim... mas na segunda vez é possível ter a percepção de que devemos aproveitar melhor o presente e pensar menos nele, assim como criar menos expectativas em relação ao futuro. na segunda vez sabemos que o facto de em determinado momento podermos desfrutar dele é uma sorte... :)

AnNa, exactamente... e o melhor é nem pensar no final. :)

subtilezas, vou no dia 6... taslvez ainda dê para ir ao porto no dia 4. em Aveiro não tenho hipótese. :)

Helenikon disse...

Amar como da primeira vez penso que não dá. Ainda bem.

sendyourlove disse...

...gostei da tua amizade...
... mas não sei se as vezes depois da primeira são mais fáceis...trazemos a desilusão de um falhanço e o medo de voltar a cair...

sendyourlove disse...

...gostei da tua amizade...
... mas não sei se as vezes depois da primeira são mais fáceis...trazemos a desilusão de um falhanço e o medo de voltar a cair...

angelasoeiro disse...

http://falabras.blogs.sapo.pt/

:)

zeni disse...

Sobre isso não podia estar mais de acordo!

bagaco amarelo disse...

helenikon, também já pensei isso. :)

send your love, há que ver isso como uma oportunidade e não um problema... :)

angela soeiro, ena... não conhecia. obrigado :)

zeni, :)

Salseira disse...

Não sei se é mais fácil ou não. Acho que umas vezes é e outras não. Acho que em algumas coisas é e noutras não.

Transportamos o nosso passado e temos que estar mais atentos a que ele não interfira.

Podemos ter aprendido a viver mais o momento. Mas se calhar perdemos mais capacidade de entrega.

Talvez...

O que sei é: ainda bem que é possível amar uma segunda vez. :)

bagaco amarelo disse...

salseira, boa... tens razão no que sabes. :)

Bichana disse...

Amar pela 2ª vez...não é que não seja bom, mas não tem a mesma magia.
Boa sorte para o teu amigo.

bagaco amarelo disse...

bichana, tem outra... outra magia. :)

Icon disse...

o post está mesmo muito bom.

mas tenho de fazer um reparo a um comentário que fizeste aqui em reposta a alguém.
o dois não está mais perto do infinito que o um. isso, matemáticamente não está correcto... lol
não sei se isso ajuda alguma coisa para o teu amigo...

Filipa disse...

O problema de se amar a segunda vez é que´já tás a amar com a consciencia e razao que nao tiveste na primeira, e isso, não é amar.Amar assemelha-se ao viver. Muitos existem e muitos gostam, mas poucos vivem e poucos amam.
bjim bjim ***

bagaco amarelo disse...

icon, matematicamente não... mas para o senso comum sim. :)

filipa, não obrigatoriamente... :)

alma disse...

amar é um acto completamente inconsciente, irracional e involuntário, portanto se estamos a amar outra vez entramos novamente nessa atmosfera em que o coração tem razões que a própria razão desconhece :/
O medo de cair outra vez, de sofrer outra vez, ou de morrer outra vez (como alguém em cima comentou) é enorme mas provavelmente é um medo mais racional antes de nos apaixonarmos again...quando já estivermos "apanhados", já não há nada a fazer...como na montanha russa, já não dá para fugir, só viver a experiência.

Diz quem anseia por voltar a amar, mas está borradinha de medo LOL.

bagaco amarelo disse...

alma, por acaso concordo contigo em tudo... e sim, dá medo. :)

Icon disse...

bagaço: pois, às vezes esse tal de senso comum, engana-nos!

bagaco amarelo disse...

icon, isso é verdade. engana muitas vezes, sim. :)

Anónimo disse...

QUERO ACREDITAR QUE VAI SER MUITO MAIS FÁCIL...

Anónimo disse...

Estou a gostar deste blog.
Ainda nao tive coragem para entrar na primeira e acho que os homens sao muito mais praticos.so racinalizam depois.Mas o ultimo comentario inspirou-me.
Obrigada

bagaco amarelo disse...

:)