4.09.2010

respostas a perguntas inexistentes (78)

Um homem, só, dedica parte do seu tempo a imaginar uma mulher e um amor. Imagina-se com ela numa conversa, num silêncio, numa cama, num sofá, na areia duma praia solarenga, num café que se prolonga pela noite, num automóvel avariado numa estrada despovoada. Enfim, imagina-se e deseja-se assim. Há um dia em que percebe que essa mulher que imagina não existe, e considera que deu um passo em frente para conseguir iniciar uma relação que andava hesitante. Há uma noite em que percebe que ele próprio não existe tal como se imagina, e aí deu de facto um passo em frente para conseguir iniciar uma relação que andava hesitante.

16 comentários:

Fatyly disse...

A perfeição não existe e nada como dar um passo em frente para avançar no quer que seja. A hesitação é tal e qual a era que domina o muro e corrói, mas avançar, chamo a isso coragem porque todo o homem ou mulher nasce e vem com alguma deficiência de ou no fabrico e pior, do pior sem manual de instruções.

Gostei!

Vera disse...

Lá está, muitas vezes o que nós criamos (e não só os homens) são ilusões, do que a pessoa é, de como seria, a realidade é diferente e viver na realidade é melhor.

Pintas disse...

mas nunca se perde nada em tentar...e se for um erro, também é com eles que aprendemos e crescemos

Miauuu disse...

LINDO!

Malena disse...

Só depois de aceitarmos o outro e nos aceitarmos como seres reais podemos partir para a felicidade, que também não é aquela que imaginamos, é real e falível.

Closet disse...

resumindo, não somos mais do que aquilo que imaginamos ;) tentamos ser felizes mesmo assim! bjs

Closet disse...

resumindo, não somos mais do que aquilo que imaginamos ;) tentamos ser felizes mesmo assim! bjs

bagaco amarelo disse...

fatyly, a perfeição não existe não... e ainda bem, na minha opinião. a única noção de perfeição que conheço é a da religião e detesto-a. :)

vera, criamos ilusões, sim. às vezes até nos emocionamos com elas. :)

pintas, exactamente. :)

miauuu!, :)

malena, exacto. e ainda bem que é falível. :)

closet, eu acho que nem somos o que imaginamos a não ser, talvez, quando o imaginamos. :)

Anónimo disse...

Não existem ilusões, pois enquanto as sentimos são verdadeiras.
Beijo X
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónima, boa! gosto disso. :)

Anónimo disse...

ANALISE por Fernando Pessoa

Tão abstracta é a ideia do teu ser
Que me vem de te olhar, que, ao entreter
Os meus olhos nos teus, perco-os de vista,
E nada fica em meu olhar, e dista
Teu corpo do meu ver tão longemente,
E a ideia do teu ser fica tão rente
Ao meu pensar olhar-te, e ao saber-me
Sabendo que tu és, que, só por ter-me
Consciente de ti, nem a mim sinto.
E assim, neste ignorar-me a ver-te, minto
A ilusão da sensacão, e sonho,
Não te vendo, nem vendo, nem sabendo
Que te vejo, ou sequer que sou, risonho
Do interior crepúsculo tristonho
Em que sinto que sonho o que me sinto sendo.

Beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónima, ei. eu tenho uma história pessoal com este poema... de certeza que tu és anónima? :)

Anónimo disse...

Bem...eu também tenho uma historia pessoal com este poema!
Mas a julgar pela tua foto, sou anónima sim :)
Beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónima, ufa! :)

Anónimo disse...

Espero que a tua historia tenha sido tão bonita quanto a minha.
Agora temos 2 historias com o mesmo poema.
Que esta seja igualmente bonita.
Beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónima, foi uma bonita curta metragem. :)