4.11.2010

pensamentos catatónicos (202)

Em Inglaterra, quem sobe uma escada rolante qualquer encosta-se sempre à direita para deixar passar pelo seu lado esquerdo os que querem andar mais depressa. No metro de Londres, por exemplo, há mesmo sinais a pedir que os transeuntes façam isso e, de facto, as pessoas fazem-no. É um país onde há lugar para quem quer apenas deixar-se levar pela escada e para quem que subir os degraus pelo seu próprio pé. Em Portugal é comum ver duas pessoas paradas, lado a lado, num escada rolante qualquer. Quem quiser andar mais depressa que espere.
Na vida também é assim. Há quem se deixe simplesmente levar por ela e há quem queira dar os seus próprios passos nessa imensa escada rolante que a vida é. Acredito que esta é uma das maiores incompatibilidades entre pessoas, e por isso mesmo será também a causa do fim de muitas relações. Não há problema nenhum, ou pelo menos eu nunca vi um problema nisso, desde que se suba essa escada como na Inglaterra e não como em Portugal. É só preciso ter a noção que entre quem se deixa levar e quem anda per si vai havendo uma distância cada vez maior.

28 comentários:

Fatyly disse...

Também nas escadas rolantes portuguesas existem sinais para que façam o mesmo que em Londres, mas bem ao estilo portugues poucos são os cumprem e respeitam o que lhes é pedido em prol dos outros!!!

Cada vez que descreves um pensamento catatónico fico de boca aberta (mas já fechei para não entrar mosquito) e nesta comparação 5**** apenas digo que tropecei tantas, mas tantas vezes na escada da minha já longa vida e nunca desisti de dar sempre os meus próprios passos, porque é engrandecedor "caminhar do que ser encaminhada". Adorei e oxalá que muita gente se aperceba dessa pequena mas grande diferença e que saibam ser felizes.

Jibóia Cega disse...

Nada mais verdadeiro.

PS - No metro de Paris também é assim :)

Anónimo disse...

Querido bagaco
Para quem como eu, foi casada (é; separada) com um inglês e viveu no país de sua majestade quase 14 anos, tenho a dizer te que os Ingleses também param lado a lado na escada rolante seja ela literal ou figurativa.
Beijo x
P.S.

Sofia disse...

Acabei de descobrir o teu blog e adorei, parabéns! E não podia concordar mais com esta analogia entre as escadas rolantes de Londres e as relações... beijinho

AlMachArab disse...

Tens toda a razão. Há quem se deixe levar... Contudo.., só há poucos anos ' descobri... ' o que elas, realmente querem dos homens. E está em oposição àquilo que nós, homens, queremos. Essa é a verdade nua e crua. Aceite-se ou não, é a realidade...

GiGi disse...

Mais que uma incrível capacidade de observação é a habilidade de estabelecer uma comparação dentro do contexto daquilo que foi observado. Principalmente com um desfecho em que se há uma conclusão de um fato tão simples porém com um significado tão peculiar.

Sinto-me tão pequena perante pessoas assim... Mesmo elas insistindo que não são mais que uma mera existência sem maiores significados :-))

Um beijo.
Obrigada por existir.

bagaco amarelo disse...

fatyly, tens razão... acho que é sempre melhor caminhar. :)

jibóia cega, acho que é assim em muitos, sim... :)

anónima, eu estive lá em Dezembro e reparei nisso... mas como só estive uns dias não cheguei a reparar nos que param... :)

sofia, obrigado. :)

gigi, por favor não te sintas pequenina ao pé de mim... eu sou materialista. :)
AlMachArab, no que os homens querem e as mulheres querem não sou capaz de ser tão taxativo, embora acredite na tua experiência... :)

Anónimo disse...

Honestamente, isto descreve um pouco o estado do Pais.

De facto +e complicado fazer algo quando so encontras obstaculos a todas as tuas ideias e projectos.

GiGi disse...

"eu sou materialista. :)"

Que importa? :-)

Lolablue disse...

Estive recentemente em Londres e reparei, de facto, nesse pormenor e, também, o comparei com a realidade portuguesa... Mas o paralelismo feito para a "vida", esse, não o tinha feito... Agora fiquei a pensar nisso...
Obrigada :)

Anónimo disse...

Sim, os lugares tem uma luz difrente quando estamos de ferias.
De qualquer maneira eu falava mesmo das relacões com outros ou com a vida.
Não é uma questão de Nacionalidade, ainda que entenda que as raizes de um povo possam realmente ter algum peso.
É mesmo uma questão de essência, de forca de vontade, de vontade de viver, de paixão, de determinacão e de coragem.
E olha que eu sei do que falo pois tenho uma princesa de 11 anos em casa que me surpreende pela positiva todos os dias pela sua coragem e determinacão em seguir os sonhos que com apenas 11 anos tem a audacia de sonhar e de viver, e não existe obstaculo que ela não ultrapasse e se não ultrapassa a primeira insiste insiste insiste...dia sim dia sim.
beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónimo, tens razão, sim. :)

gigi, materialista não por gostar de ter muitas coisas, materialista no sentido filosófico da coisa. :)

lolablue, eu é que agradeço a tua presença. :)

anónima, ainda bem... eu tenho uma princesa dessas mas com dez anos. :)

GiGi disse...

Eu sei... Mesmo assim! :-))

bagaco amarelo disse...

gigi, :)

Nokas disse...

Na Alemanha também... e, a maioria cumpre.
:)
Já nas relaçoes.....

Senhor Geninho disse...

Admiro o capacidade de observação de pessoas como tu. É díficil ter a percepção de que o percurso da nossa vida pode ser tão parecido com algo tão simples como a subida de umas escadas rolantes. É preciso termos abertura de espírito para reflectirmos sobre estas questões.

Tentando fazer um outro paralelismo ao teu post, eu diria que as escadas e as pessoas que se deixam ir e se colocam lado a lado são o espelho do comodismo e da falta de ambição que tão bem caracterizam a nossa sociedade.

Eu prefiro subir pelo meu próprio pé pedindo licença aos que se deixam ficar. As oportunidades que nós desperdiçamos serão sempre aproveitadas por alguém.

Ti Coelha disse...

Bem, faço minhas as palavras da Fatyly. Ia-me preparar para deixar um comentário quando me apercebi que praticamente ia dizer o mesmo que ela. No Metro em Lisboa também há desses sinais, mas as pessoas ainda fazem melhor no "bloqueios": Umas põe-se à direita (e muito bem) e logo a seguir há uma que se encostou á esquerda. E tu vais a subir (ou porque tens pressa ou porque não tens paciência para ires a subir àquela velocidade "estonteante") e deparas-te com duas ou três pessoas a bloquearem lado a lado ou em triângulo o caminho. Tão bom...

bagaco amarelo disse...

nokas, lol... :)

senhor geninho, eu também prefiro subir pelo meu próprio pé... mas uma vez por outra encostar-me à direita sabe bem... :)

ti coelha, tenta ver isso como uma característica tuga: ninguém está atrasado para o emprego. :)

AlMachArab disse...

Ainda bem que acreditas. E, para consolidar a minha 'tese...', sou casado e, de tempos a tempos, dou 1(ou + ...) facadas no matrimónio ( a penúltima vez, há 2anos, 'andei' com + 3 mulheres, ao mesmo tempo, além da minha... mas dou 'assistência' também em casa ). Nota também que, para mim, o casamento são papéis e rigorosamente + nada. Pode, sim, é haver 'compromisso(s)' de fidelidade ou não. No meu caso, há de lealdade, mas não de fidelidade.

bagaco amarelo disse...

AlMachArab, pois... eu, se começar a dar facadas seja lá onde for, prefiro matar de vez a coisa, ou seja, acabar com a relação. mas isso sou eu. :)

AlMachArab disse...

E, para reforçar o que afirmo, algumas dessas ' facadas' duraram 2a 3anos e - não sou hipócrita... - a minha mulher sabe e sempre soube e saberá. Só que, actualmente, só sabe durante ou após. Dantes até chegava a saber antes ( porque eu lho dizia... ). Vivemos juntos 6anos. 1 mês antes de me casar ' andava' com + 4 mulheres ( nunca prostitutas.., tal como hoje).
Elas são mais inteligentes !

redonda disse...

Mas aqui, quando estamos com pressa, podemos pedir licença e deixam-nos passar :) e quiçá até pode ser que assim se iniciem diálogos e romances, ainda não vi nenhum começar desta forma, mas nunca se sabe... :)

Paula Raposo disse...

É isso mesmo!

bagaco amarelo disse...

AlMachArab, concordo que por norma elas são mais inteligentes... de resto, se não és hipócrita, acho muito bem, e respeito a tua ideia de lealdade/fidelidade. eu acho a lealdade mais importante, sim. quanto à fidelidade, se eu não consigo ser... alguma coisa está mal com a relação. :)

redonda, não está nada mal, essa de começar diálogos assim. :)

paula raposo. :)

AlMachArab disse...

Bagaço amarelo, quanto à fidelidade/relação, não é necessário haver algo de errado nessa relação. Isto, porque pode existir um prévio comprometimento/compromisso na aceitação de ambas as partes... Esse é o meu caso. Antes de assinar papéis ( vulgo casamento ), deverá haver um real e verdadeiro sentimento de cumprir com aquilo que aceitámos da outra parte... E não é assim tão difícil, penso eu...

AlMachArab disse...

À margem disso, e para esclarecer, a minha índole é: preciso de mais e outras mulheres para me realizar, dada a minha excepcional condição física ( até para a idade... ) e também porque gosto de variar ( de vez em quando... ). O mais caricato é que, até hoje, nunca encontrei nenhuma mulher melhor que a minha ( em todos os sentidos... ), mas ela também o sabe e eu também lho digo.

AlMachArab disse...

Quanto à inteligência delas.., disso ninguém tenha a mínima dúvida. Astúcia, esperteza, matreirice, enfim... tudo a somar à sua inteligência. Para finalizar, por norma... as portuguesas continuam fechadas. Esse é o maior dos nossos problemas e o que geralmente falha na conduta delas... antes, durante e até após uma qualquer relação.

bagaco amarelo disse...

AlMachArab, eu não te estava a criticar... e realmente acho que desde que não enganes ninguém e aceites que ela faça o mesmo, ninguém te pode criticar. :)