1.28.2011

pensamentos catatónicos (232)

Janelas Partidas

Um grupo de investigadores deixou um automóvel novinho em folha estacionado no Bronx, um bairro degradado em Nova Iorque. Simultaneamente, deixou um carro igual estacionado em Palo Alto, uma zona rica e pacífica da Califórnia. Em poucas horas a viatura deixada no Bronx foi completamente vandalizada, enquanto a do Palo Alto se manteve intocável.
A experiência, no entanto, não ficou por aqui. Uma semana depois, um dos investigadores partiu um dos vidros do automóvel em Palo Alto, ainda intacto, e o carro acabou por sofrer o mesmo processo que o do Bronx. Foi totalmente destruído.
A partir desta experiência desenvolveu-se a Teoria das Janelas Partidas, que diz basicamente que a destruição gera mais destruição. Se uma casa estiver intacta ninguém lhe toca, mas se essa casa exibir durante algum tempo um vidro partido, outro vidro aparecerá partido mais cedo ou mais tarde, e a partir daí a sua destruição será uma bola de neve.
A minha namorada contou-me esta teoria um dia destes e, independentemente da análise sociológica que cada um queira fazer sobre ela, acho que o Amor também é assim, uma espécie de pau que não se deve quebrar. Depois de um Amor começar a exibir sinais de abandono e mau trato, é muito difícil, para não dizer impossível, travar o processo.

18 comentários:

Malena disse...

Talvez... Mas se os danos ainda forem de somenos importância (uma pequena rachadela, por exemplo) talvez ainda seja possível... :)

bagaco amarelo disse...

malena, concordo. até porque pequenas rachadela são impossíveis de evitar. :)

Celeste disse...

de rachadela em rachadela se transforma o amor em amor prá vida! tens é que ter sempre o cimento ao pé!

maria disse...

Tal como diz o provérbio: Pau que nasce torto, tarde ou nunca se endireita; agora se rachar...é bastante difícil de "colar". :(
Bom fim de semana.

Ana disse...

li o teu post antes de sair para um trabalho: uma formação para pais.
ia pensando nele e no final falei-lhes sobre a teoria e sobre o amor. expliquei que o amor também podia ser assim mas que quando vemos a janela partida, devemos correr a repará-la. para que que o nosso amor não seja vandalizado. sobretudo por nós, ao deixarmos de cuidar dele. =)
foi o que pedi a todos que levassem para casa.

bagaco amarelo disse...

celeste, bem dito. :)

maria, :)

ana, acho que fizeste um bom pedido. :)

Stiletto disse...

Um dia disseram-me que era mais fácil construir que destruir. Por muitas ruínas que houvesse. E tinham razão.
Acho que desta vez não concordo contigo. (re) construir é sempre possível. Haja vontade... :-)

Lilith disse...

http://www.cruiser.com.br/jcsj/amor.html

Se calhar já conheces, senão pode ser que te interesse, já que tens falado tanto do amor :)

bagaco amarelo disse...

stiletto, até pode ser possível, mas não deixa de ser uma reconstrução, e isso jamais será igual à construção. :)

lilith, não conhecia, não. obrigado. :)

Mikashi disse...

muito interessante este post..vou partilhar no meu espaço, porque acho que é um tema que deve ser pensado...

Anónimo disse...

Coitado é do carro, a quem lhe partem janelas atrás de janelas e nada pode fazer senão ficar ali até ser levado para a sucata.. Arranca pah!!
MJ

bagaco amarelo disse...

mikashi, obrigado. :)

mj, lol. :)

Fatyly disse...

Gostei imenso de saber desta investigação e da respectiva teoria que concordo não só entre duas pessoas, porque nas mil vertentes de Amor(...) "travar o processo é quase impossível."

bagaco amarelo disse...

fatyly, é quase impossível, sim... :)

Cota disse...

epah essa analogia ta muita forte e verdadeira... dominas

bagaco amarelo disse...

cota, às vezes sinto-me tão pouco dominador... :)

Myann disse...

Não podia estar mais de acordo... brilhante analogia :)

bagaco amarelo disse...

myann, obrigado. :)