1.05.2011

coisas que fascinam (112)

a fragrância do Amor

Comi hoje o último bombom. Um que sobrou heroicamente da época festiva que agora termina, e que encontrei acanhado numa caixa quase esquecida na cozinha. Trinquei-o tentando prolongar-lhe a doçura que me ia pulverizando a língua e a alma, com a certeza amarga que era o último. Tenho a certeza que foi o bombom que me soube melhor de toda esta enorme montanha de doces que ingeri em poucos dias, não só por ser o único mas também porque o saboreei isoladamente. Fiquei a olhar para a caixa vazia, como se naquele pequeno espaço ainda dançasse a doce fragrância do chocolate.

Acho que o Amor, quando acaba, deixa nas coisas esta mesma fragrância. Nas caixas, nos automóveis, nas casas, nas ruas, nos cafés e principalmente na cama. E que não se vai de vez. Antes fosse. É uma espécie de dança doce que sabe como se fosse amarga. E não acredito em homens apaixonados que passem incólumes por esta dança fantasma.

Acredito, no entanto, que tal como no chocolate a fragrância do Amor é igual quando se vai e quando se vem. E que um homem pode adocicá-la assim. Se não com outro, então com amores de ficção, que também ele sabem cheirar ao que é preciso. Lembro-me que a última vez que o perfume do fim do Amor povoou a minha rua e a minha cama, o fui confundindo com o aroma da locutora de rádio que nunca cheguei a ver, da escritora que nunca cheguei a ouvir ou doutra mulher qualquer que nunca cheguei a ler.

8 comentários:

CurlyGirl disse...

Apesar de a caixa da vida ter muitos bomboms iguais, há sempre uns que sabem melhores que outros. E nem sequer depende deles, mas sim de nós.

Fatyly disse...

Tu e as tuas metáforas de encantar!

ADOREI!

Mr.Z disse...

No fundo somos todos iguais e todos temos as mesmas preocupações...

"Lembro-me que a última vez que o perfume do fim do Amor povoou a minha rua e a minha cama, o fui confundindo com o aroma da locutora de rádio que nunca cheguei a ver, da escritora que nunca cheguei a ouvir ou doutra mulher qualquer que nunca cheguei a ler."

Também eu já pensei nisso e também eu esqueci todos esses "aromas", disfarçando-os com outros

bagaco amarelo disse...

curlygirl, :)

fatyly, obrigado. :)

mrz, somos todos iguais, sim. :)

Ana, Dona do Café disse...

é por estas coisas que sou tua fã e pronto.
Gosto de quem me faça suspirar quando acabo de ler alguma coisa... tu consegues. :)
A*

bagaco amarelo disse...

ana dona do café, obrigado. :)

sophie disse...

"Acho que o Amor, quando acaba, deixa nas coisas esta mesma fragrância. (...)É uma espécie de dança doce que sabe como se fosse amarga."

Muito bom... Como sempre!!!



Um 2011 cheio de coisas que nos fascinam a todos...

E cheio de tudo aquilo que mais desejares!

bagaco amarelo disse...

sophie, obrigado. um bom 2011 para ti. :)