1.04.2011

coisas que fascinam (111)

Não suportamos tão facilmente o silêncio de alguém a dois como suportamos a três. É o mesmo que dizer que a dois o silêncio pode tornar-se muito mais incomodativo do que a três. E talvez esta seja uma barreira ao bem estar em algumas relações amorosas.
Partir do princípio que o adjectivo "amorosa" é intrínseco à relação entre um homem e uma mulher talvez já seja só por si um exagero. As relações nunca são feitas exclusivamente de Amor. São feitas também de amizade e, do outro lado da nossa vontade, de mal estar e incompatibilidades. Se as relações pudessem ser feitas só de Amor, então o silêncio nunca seria um problema entre dois.
Feita que está esta introdução de pacotilha à filosofia sobre o Amor, cabe-me dizer que acho que um homem diz muitas coisas que não deve a uma mulher precisamente porque o silêncio o incomoda. O silêncio e, claro está, aquilo que ele acha que ela quer ouvir. Coisas como: "amo-te", "és bonita" ou "não há ninguém no mundo como tu".
Talvez, e sublinhe-se este "talvez", os silêncios bem digeridos entre duas pessoas que se amam sejam mesmo um prémio do tempo, digo, de alguma experiência de vida. Da idade, portanto. E digo isto porque acho que eu próprio nunca os tinha digerido tão bem.

9 comentários:

Nathalie Ouchi disse...

Fato...
O que sempre senti mais falta foi o silêncio que me era tão confortável...
Mas não é todo mundo que sabe fazer companhia em silêncio.

Fatyly disse...

"introdução de pacotilha", tu? alguma vez? erraste na profissão:)

Com o tempo aprende-se tudo e vão-se limando as arestas e concordo com oque dizes que adorei:

"os silêncios bem digeridos entre duas pessoas que se amam sejam - não, eu diria "são" - mesmo um prémio do tempo"! e é um fascínio quando dámos por isso, não é?

Pois... toma lá dois beijinhos, mas um é para aquela que te tem mudado as lentes do coração:) A Raquel, pois claro:)

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Clap, clap, clap :)

bagaco amarelo disse...

Nathalie Ouchi, é verdade. é uma coisa que se aprende. :)

fatyly, obrigado. é mesmo isso que a raquel me tem feito. :)

pipoca dos saltos altos, :)

Malena disse...

Conquistar um silêncio reconfortante axige mesmo muito amor. Falar é que é fácil! :))

Mr.Z disse...

ai está um realidade que não conheço, nunca tive uma relação tão duradoura...

mas creio que no inicio há sempre muito para contar imenso para descobrir e toda e qualquer conversa é excitante...

espero que essa fase de conhecimento dure muito tempo na minha futura relação e que a moça entenda se um dia se fizer um pouco de silencio loool...


aprende-se muito aqui caro amigo...
nao passo um dia sem vir ler,

bagaco amarelo disse...

malena, olha... isso é verdade. calar sem conforto também é fácil. :)

mr.z, obrigado pela tua presença... e acho que quem aprende mais sou eu... :)

Anónimo disse...

Lembro-me muito de conversas que tive em silêncio, apenas com o olhar, com alguém que foi muito especial na minha vida; é um prémio sem dúvida, só não tenho tanto a certeza que seja um prémio do tempo.
CR

bagaco amarelo disse...

cr, ainda bem que o tempo não nos diz o mesmo a todos. :)