1.25.2011

pensamentos catatónicos (231)

O fim

Um homem pode deixar de amar uma mulher, mas o fim do Amor dum homem por uma mulher nunca é como o fim de outra coisa qualquer. A não ser, talvez, como o fim do mundo. Do mundo dele, claro, mas no Amor é só esse mundo que conta.
O problema do Amor é que os Amores até se podem suceder uns aos outros, mas nunca se substituem. Uma amizade, ainda que parcialmente, pode substituir outra que acabou. Um emprego também pode substituir outro que acabou. O mesmo se passa com tudo, menos com o Amor.

27 comentários:

sophie disse...

Do fim do Amor de um homem por uma mulher...

Bagaço (não sei bem como dizer... Querido Bagaço, Amigo Bagaço, Sr. Bagaço... Enfim... fica mesmo só Bagaço, embora já seja(s) uma presença assídua na minha vida... Como um bom amigo que me dá sempre bons conselhos!

Bem, mas vamos lá...


Queria perguntar-te, porque aqui sou eu não entendo os homens...

Quando nos dizem que não nos merecem, para os esquecermos, e por ai em diante... (mas não dizem que não nos amam...) querem dizer efectivamente que não nos amam???

E depois nós é que somos difíceis de entender... Ou isso ou eu sou mesmo muito lerda e acredito no Amor até à última instância...

bagaco amarelo disse...

sophie, para ser sincero, e a minha opinião só vale o que vale, acho que um homem nunca diz a uma mulher que não a merece se estiver mesmo apaixonado por ela, não vá ela levá-lo a sério. :)

Anónimo disse...

Querido Bagaco: Quando se Ama Ama se para sempre ou nunca se amou...por isso é que os amores nunca se substituem...podemos Amar mais que uma mulher(homem)durante uma vida.
O Amor é só UM, as formas de Amar muitas...por isso mesmo nunca se substituem...
O Amor é uma coisa a Vida é outra.
Gostei do teu texto.
Beijo x
P.S.

Fatyly disse...

Subscrevo inteiramente o teu pensamento e ainda mais o teu comentário a "sophie".

Princesa (Des)encantada disse...

O fim do Amor é sempre o fim do mundo. Pelo menos, o fim do mundo como o conhecemos (e como o queremos, naquele momento). Acho que, neste particular, a conclusão tanto vale quando é o fim do Amor de um homem por uma mulher, como vice-versa. Enfim, as mulheres talvez chorem um pouco mais. E talvez falem um pouco mais. E outras coisas que tais. Mas, no fundo, o impacto é igual para uns e umas. Já quanto à substituição, não sei se um Amor será mesmo insubstituível, mas quando é assim como escreves - com letra grande e a significar mesmo o mundo, é certamente inesquecível.

Anónimo disse...

Oh l'amour, toujours l'amour!
CR

bagaco amarelo disse...

anónima, obrigado. :)

fatyly, pois... mas quando estamos apaixonados deixamo-nos enganar na mesma. :)

pricesa (des)encantada, só não acho que as mulheres chorem mais... :)

bagaco amarelo disse...

cr, :)

Sal Morl disse...

O Amor é o Amor, quando estão em sintonia ama-se, com o passar do tempo adoram-se e quando o Amor deixa de ser o Amor é substituido por um “gosto de ti”.
Quando o fim se aproxima, passam a deixar de ver esse Amor para ver mais uns amores, o mundo acabou com “A” mas brevemente se aproxima um “B” e assim sucessivamente!
O planeta do Amor é redondo e bem ou mal, começamos todos do mesmo ponto de partida, do coração.

bagaco amarelo disse...

sal morl, obrigado. :)

maria disse...

Sabe tão bem saber que os homens também amam com essa intensidade!!! :)

Mas custa saber que o sofrimento também é idêntico...

Que venha outro Amor, mesmo que não substitua o antigo, mas que faça maravilhas de igual modo.

bagaco amarelo disse...

maria, somos só pessoas. nós todos, digo. :)

Raquel disse...

Sempre me perguntei como é que existe tanto espaço em nós para tantos Amores. Concordo quando dizes que o fim de cada Amor é diferente e todos são insubstituíveis, mas então o que acontece àquele pedaço de Nós que fica vazio em cada um? Será que coleccionamos espaços vazios até ao fim da nossa vida? Intrigante.

bagaco amarelo disse...

raquel, esse pedaço lá fica, vazio... acho eu, pelo menos :)

Celeste disse...

volto a dizer são esses pedaços que nos fazem crescer!

CurlyGirl disse...

E ainda bem que assim o é.

bagaco amarelo disse...

celeste, e são mesmo. :)

curlygirl, exacto. :)

Mikashi disse...

Um tema sobre o qual tenho reflectido bastante... e há vazios que são difíceis de superar... por mais que tentemos encher com o que temos de melhor dentro de nós...há coisas que só fazem sentido quando partilhadas...obrigada por mais um post que espelha alguns sentimentos...eu continuo sempre por cá...já faz parte :)

bagaco amarelo disse...

mikashi, pois há... às vezes até o simples acto de ver uma montra. obrigado. :)

Neusa disse...

Sou nova por cá mas Amo tudo o que escreves! Muito bom! Clapp clap clap

bagaco amarelo disse...

neusa, obrigado. e bem vinda. :)

Cota disse...

A melhor coisa que pode acontecer num amor, são todos amores que ficaram para trás dele... É verdade, um amor só é sóbrio se conhecer a intensidade de outros amores... Não digo que sejam menos intensos, mas os amores que precedem um amor racional,são a causa desse equilíbrio...

Enfim, acho que perder um amor é saudável e talvez necessário para despertar das fantasias inerentes a um "primeiro" amor...

abraço amigo, mais uma vez, excelente texto, vida real ;)

bagaco amarelo disse...

cota, sim... concordo que, apesar de cada vez mais difícil, o último amor é sempre o melhor. :)

Alexandra disse...

Excepto numa amizade em que as pessoas se Amam.. e cada vez mais creio que nas verdadeiras amizades, as grandes, aquelas que contam, que nos preenchem a alma, que são no fundo a família que escolhemos, existe sempre Amor. E quando uma amizade assim termina, é como o final de um Amor. O processo de luto é parecido e tudo..

bagaco amarelo disse...

alexandra, :)

Alexandra disse...

Raquel, quem me dera saber se realmente vamos andar a vida toda a carregar estes vazios. É que até aparecem pessoas que desempenham função idêntica, que são igualmente importantes, que são igualmente queridas e amadas, e se tornam insubstituíveis. Mas o buraco continua lá, como se o coração alargasse para albergar aquele novo amor mas nunca tapasse o buraco que o último deixou.. Gostava de aprender a desfragmentar o coração..

bagaco amarelo disse...

alexandra, :)