5.24.2010

respostas a perguntas inexistentes (87)

Não é só por causa da má qualidade da comida que não gosto de restaurantes fast food. É por causa da primeira palavrinha dos mesmos: fast. Sempre me pareceu que quem come regularmente este tipo de comida é quem procura a satisfação imediata das suas necessidades biológicas e, se fizer uma análise estatística à minha vida amorosa, chego facilmente à conclusão que nunca tive sucesso com mulheres adeptas de comer regularmente no Mac Donald's. São pessoas que se tornam impacientes, e depois essa busca ansiosa pelo estímulo rápido reflecte-se em tudo: nas decisões que se devem tomar em conjunto, no amor em si e até no sexo.
Sou pelos jantares lentos. Pela slow food, se lhe quiserem chamar assim. Gosto de ouvir o som da rolha a sair duma garrafa de vinho antes da refeição e de o deixar respirar; gosto do molho verde com a cebola bem picada e a salsa bem cortada; sobretudo gosto de falar enquanto almoço ou janto. As palavras têm sempre que ser um dos ingredientes duma refeição.
Hoje passei por dois rapazes e duas raparigas na praça de alimentação dum shopping em Aveiro, todos a almoçar um hambúrguer com batatas fritas e um refrigerante qualquer. Reparei que não falavam. Limitavam-se a mastigar a comida numa incompreensível luta contra o tempo. Acho tão importante andar mais devagar... tanto na comida como no amor...

39 comentários:

Pauloxis disse...

este homem, para tudo arranja uma comparacao!Mas ta bem feito e pensado sim.Tambem nao gosto de coisas rapidas, ou sao feitas com tempo ou entao é melhor deixar estar.
Aveiro é uma Naçao, o resto é paisagem

Nervos em frangalhos disse...

Pronto, quanto ao que disseste de fast food, ok. Embora faltasse falar de muitos aspectos envolvidos na escolha. Quanto ao facto de comparares fast food às relações amorosas dou-te um 10 em originalidade! E vou ficar a pensar no assunto. :)

Crente disse...

Exactamente. Escrevi uma vez um post que me recordei ao ler isto (embora não tenha sido assim há tanto tempo): comparava as relações às refeições. Hoje em dia cada vez se vive mais em "fast" e menos em "taste".. É triste.

GiGi disse...

As pessoas não percebem, mas tudo o que elas fazem reflete seu interior, principalmente quando se trata de satisfação das necessidades essenciais, como o sexo e a alimentação.

Concordo plenamente!

Anónimo disse...

Oh bagaco, tu tem cuidado, o macdonald´s ainda te contrata para lhes fazeres um menu.
" Slow food, Great love"
Lol
Beijo x
P.S.

areianegraemarbranco disse...

Lá nisso dou-te razão..sou como tu, gosto de apreciar um bom jantar/almoço. Não é apenas uma resposta às necessidades biológicas, é muito mais que isso.
Gosto sobretudo daqueles dias, que chego a casa depois de um dia de trabalho esgotante, desmotivante, daqueles mesmo mesmo mesmo horríveis. Deixo os saltos de lado, solto o cabelo, coloco um cd que me inspire e aprecio um copo de rosé bem fresco, enquanto corro a cozinha descalça preparando o jantar. Nesses dias, dias de inspiração até posso comer a refeição mais simples à face da terra, mas acabo por desfrutar imenso. É uma espécie de terapia, porque a refeição deve servir para isso mesmo, desfrutar. Se for a dois, tanto melhor. :)
Há quem goste de ir jantar com os amigos, há quem não perca uma ida ao cinema ou concerto, eu gosto de um jantar calmo com muita conversa à mistura.
À conta de clientes como eu, o Mac Donald's vai esvaziando. ;)

bagaco amarelo disse...

pauloxis, se bem que isto nem é bem uma comparação... é só um bocadinho... :) abraço

nervos em frangalhos, lol. :)

crente, é isso mesmo, sim. :)

gigi, exacto... e as necessidades principais são mesmo essas: :)

areianegraemmarbranco, sim... estar com amigos em frente a uma mesa é dos maiores prazeres que posso ter. :)

Amoreca disse...

Nem mais! Há pouco tempo li um artigo muito interessante que traçava a personalidade dos consumidores de fast food. Coisas como impaciência, desvalorização, consumismo, até doenças cardíacas, enfim, coisas da fast life.

GiGi disse...

Ontem, eu e o Lu fomos ao Shopping. Na praça de alimentação havia várias opções, desde um delicioso pastel até uma exótica comida chinesa.

Adivinha qual estava mais lotado (lotado mesmo!)? Mc'Donalds!

The Coiso disse...

Como em muitas coisas nesta vida devemos intercalar. Intercala-se pouco, na minha opinião. :) Não há nada de mal em ir ao McDonalds para satisfazer uma necessidade biológica. Acho que estou a falar de comer. Acho.

Celeste disse...

completamente de acordo!

Nuno, apenas Nuno. disse...

Não é que não concorde com nada do que disseste, mas espero que estejas ciente que o silêncio também tem um eco fenomenal e de fortes repercussões nestas coisas. Seja esse eco bom ou mau.

Lili disse...

Eu voto... no melhor dos dois mundos ;)

Aquelas batatas fritas de vez em quando, ou os gelados, deixam-me tão feliz nalguns dias! lol

Mas sim, a ter que escolher, slow food até ao fim, com tudinho o que relataste incluído ;)

Anónimo disse...

talvez pudesse apaixonar-me por ti, sem conhecer mais do que o que escreves...

Anónimo disse...

talvez pudesse apaixonar-me por ti, sem conhecer mais do que o que escreves...

Su (Glamour In Stiletttos) disse...

Aliás, se pensarmos no quão erótico e sensual uma refeição pode ser... misturar-lhe a palavra mcdonald's é como referir o nome Snickers quando queremos falar de bom chocolate.

E não só pela questão do tempo, mas pela qualidade e exigência daquilo que comemos. E claro, quem exige comida mais requintada, também exige um romance mais trabalhado.

EJSantos disse...

Gigi disse: "As pessoas não percebem, mas tudo o que elas fazem reflete seu interior"
Excelente comentário para um excelente post.

E concordo com muito do que aqui foi dito.
E um dos maiores prazeres desta vida consiste em passar um serão com os amigos e familia, uma boa refeição, bom vinho, boa conversa...

EJSantos disse...

Gigi disse: "As pessoas não percebem, mas tudo o que elas fazem reflete seu interior"
Excelente comentário para um excelente post.

E concordo com muito do que aqui foi dito.
E um dos maiores prazeres desta vida consiste em passar um serão com os amigos e familia, uma boa refeição, bom vinho, boa conversa...

bagaco amarelo disse...

amoreca, lá está. a ciência explica sempre aquilo que intuímos. ou não... :)

gigi, acho que é assim no mundo todo... :)

the coiso, pois... se pensarmos a um nível macroeconómico e no que o MacDonalds representa para um modelo económico mais injusto, assim como para o fim da biodiversidade, eu até acho que faz mal, sim... mas isso sou eu. :)

celeste, :)

nuno, apenas Nuno, tem sim... por isso é que este silêncio de que falei aqui me fez pensar nisto. :)

lili, o problema é que o macdonalds contribui para um mundo pior em todos os sentidos. :)

anónimo, obrigado. é mais fácil apaixonarmo-nos por quem não conhecemos, sim. Quando passamos a conhecer, às vezes, torna-se mais difícil. :)

su (Glamour In Stiletttos), eu concordo. :)

ejsantos, consiste sim... estou ansioso pelo próximo fim de semana, lol. :)

Natália Augusto disse...

Sem dúvida. Cada momento da vida é para ser apreciado com muita calma.
Só se vive uma vez!

bagaco amarelo disse...

natália, isso mesmo: só se vive uma vez. :)

Cristina disse...

Eu também gosto de um bom jantar e de uma boa conversa.
A vida é para ser vivida e apreciada com calma, saboreá-la.

Malena disse...

ODEIO fast-food! Até o cheiro me enjoa! a comida e o amor devem ser apreciados com vagar e cuidado! Nada como os suspiros e as caras de deliciados, sinal de satisfação! :))

bagaco amarelo disse...

cristina, exactamente... :)

malena, estou contigo. :)

Fatyly disse...

Francamente tocante...e teria muito a dizer mas não me apetece falar! Parabéns e continua a ser assim.

Anónimo disse...

Essas pessoas que tu vens a comer com tanta satisfacao esses fastfoods, por norma tentam compensar a falta de outros prazeres na vida, e nao falo so de sexo ou amor, mas uma boa conversa regada com um bom vinho enquanto se prepara o jantar, a companhia de alguem com quem gostamos de comer lentamente e fazer intervalos, so para olhar nos seus olhos, e sorrir. Essas pessoas escolheram como companhia uma satisfacao fisiologica, e por norma sao pessoas amargas, ou entao sao apenas jovens que ainda nao descobriram os verdadeiros prazeres da vida.
Anonima Catarina

Paula Raposo disse...

Tens toda a razão. Também sou pelo slow...

bagaco amarelo disse...

fatyly, obrigado. :)

anónima catarina, acredito que tem a ver com isso, sim. :)

paula raposo, ganha-se uns anos de vida... :)

Cat disse...

E tempo para slow food?

bagaco amarelo disse...

cat, eu vou arranjando. :)

lânternamágica disse...

blog porreiro pá...não te arrisques é a ficar tão complicado como elas hiihihihihih :))

lânternamágica disse...

blog porreiro pá...não te arrisques é a ficar tão complicado como elas hiihihihihih :))

bagaco amarelo disse...

lânternamágica, acho que isso não é um risco para ninguém, lol. :)

K disse...

Vá, aqui já estás a ser um pouco extremista - e alguns comentários tornam-se mesmo hilariantes!
Então o que dizer de alguém que padece de gula, que ocasionalmente não resiste ao mcshit, mas que no entanto prefere indubitavelmente o "gourmet"?
Além de que te contradizes num post aí em baixo quando mencionas mergulhos....;]
É que mesmo no amor, e nas relações, é assim: apreciamos a degustação demorada, memorizar cada sabor com deleite, porém por vezes também nos apetece atirarmo-nos ao prato com toda a voracidade!

bagaco amarelo disse...

k, o erro é aceitar o que se escreve numa visão determinista. :)

K disse...

Epá, boa resposta! Gostei! ;D
Porém não foi o caso. Estava mais a meter-me contigo, que me pareces por demais fléxivel e ponderado (além de que já leio este blog há algum tempo para ter o mínimo de noção das coisas), e um pouco por influência dos comentários acima.
Continuo é a gostar dessa resposta! Acho que vou usá-la! eheheheh

bagaco amarelo disse...

k, usa sim... eu uso-a bastante por ser um princípio de vida. o probabilismo em vez do determinismo. :)

K disse...

Eu confesso que por vezes, provavelmente devido à minha teimosia e outras coisitas mais, caio no determinismo. No entanto, pendo naturalmente para o probabilismo - consigo ser bastante calma e ponderada...principalmente se o assunto não for comigo ahahahahahah!

Já tu espelhas bem esse probabilismo! ;] (e tens muita razão!)

bagaco amarelo disse...

k, a ciência diz que o probabilismo é que está certo... no entanto eu jogo euromilhões, mesmo sabendo que não há quase probabilidade nenhuma de acertar. lá está... :)