5.27.2010

coisas que fascinam (104)

Ela aceitou sair comigo sem hesitar. Fiquei espantado porque, até então, nunca tinha havido nenhuma troca emocional entre nós. Nem um só pedacinho de ternura. A nossa vida era o olá de manhã e o tchau seco ao fim da tarde numa escola de que nem gostávamos muito. Apaixonei-me por ela só por isso, por ela aceitar sair comigo sem hesitações apesar do grande nada que existia entre nós. E eu que já me tinha convencido que as miúdas todas da escola se achavam especiais a partir do momento em que eram convidadas para sair, e que só isso lhes dava o direito de hesitar. Afinal não.

As hesitações vieram depois. Andámos muito a pé. Nós e o sufocante calor de Maio a anunciar trovoada, numa permanente expectativa dum abraço. Os cinco centímetros que nos separavam eram margens dum rio pouco navegável para a minha coragem adolescente. Fui esticando o tempo, fui esticando o desejo, fomos esticando as palavras. Esticámos o tempo até à hora de a levar a casa. Meia-note, tinha-lhe dito o pai.
Vi-a subir o primeiro lance de escadas e ser cruelmente engolida pelo elevador. Dei uns passos atrás e fiquei à espera que ela aparecesse numa das janelas para me dizer adeus. Apareceu numa varanda uns segundos depois e acenou-me. Foi a primeira mulher por quem esperei debaixo duma varanda. Agora lembrei-me disso...

28 comentários:

Poetic GIRL disse...

E deve ter sido alguém mesmo muito especial para a recordares assim com um carinho tão bonito. Fiquei enternecida. Nunca ninguém esperou assim por mim. bjs

MN disse...

Tão lindo... :)
M.

Lady Me disse...

:)

bagaco amarelo disse...

poetic girl, acho na adolescência só conhecemos pessoas especiais. :)

mn, :)

lady me, :)

Sílvia Maria disse...

Tão bom...
Eu prefiro acreditar que não é apenas na adolescencia que conhecemos pessoas especiais...

Celeste disse...

uma verdadeira Julieta!

bagaco amarelo disse...

sílvia maria, e não é só, não. :)

celeste, yep... :)

Fatyly disse...

Esta fase da adolescência é adorável, mas enquanto a vivemos achamos um horror porque tudo era questionável e preocupante.

Ao ler-te também recuei no tempo (tempo bem diferente da tua geração mas com coisas idênticas) e aceitei sair, também andei muito a pé mas à beira mar, fui pondo o "frango a marinar em vinha de alhos" e quando cheguei a casa às 10 horas (o meu pai nunca impôs horários, foi sim a hora que combinei com o meu grupo), entrei e em vez de dizer adeus ao "convencido" mandei uma pedrada que lhe parti a cabeça e logo aparecem os meus 4 "coniventes e testemunhas" que estavam escondidos no meu quintal, mas jurámos que nada falariamos na escola. O pobre fugiu e a sangrar.

Tudo porque nunca lhe dei confiança por ser a peça mais intragável e convencido da escola, gabava-se do que fazia e não fazia e que todas gostavam dele num estalar de dedos. Havia sim, quem gostasse muito dele...mas não era o meu género.

Agora imagina no dia seguinte no nosso ar de santos e perante todos a perguntar o que lhe tinha acontecido.

O que eu não contava é que anos mais tarde fomos parar ao mesmo trabalho, ambos casados eu com uma filha e ele já com 2 rapazes, um colega excepcional e perdemo-nos de novo no meio da guerra civil e na demanda de Luanda. Até hoje nunca mais soube nada dele e de tantos e tantas...

Quando oiço a falarem de bylling eu faço mea-culpa em tantas vinganças que fiz:))))

GiGi disse...

Não é só na adolescência que conhecemos pessoas especiais. Basta termos a sensibilidade de saber olhar para elas :-)

bagaco amarelo disse...

fatyly, lol... está encontrada a semente da violência nas escolas. :)

gigi, pois não... mas a adolescência tem a mania de facilitar isso... :)

GiGi disse...

Ou não!

Anónimo disse...

Hey, a adolescencia e linda, pena que so descobrimos isso quando ja vamos um pouco longe dela,mas acredito que todo e por uma razao tavel se tivesse-mos conhecimento do quanto bela e a adolescencia, ela nao seria tao bela e tao inocente, nao poderia ser mesmo...
Anonima Catarina

PS: parabens pela forma como narras-te o episodio estam muito bom.

bagaco amarelo disse...

gigi, :)

anónima catarina, obrigado. :)

R* disse...

Que bonito :)

bagaco amarelo disse...

R, obrigado. :)

Malena disse...

Na adolescência os encontros provocam mais palpitações, emoção e encanto... É a idade da inocência! :))

bagaco amarelo disse...

malena, exacto... e da perda dela. :)

Anónimo disse...

Bagaco querido este post tinha me escapado.

As últimas serão as primeiras. ;)

Eu vivo num 1andar, vem cá que eu jogo te as trancas :)

Beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónima, lol. :)

Anónimo disse...

ri te, ri te... lol
beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónima, rir é bom... hoje pelo menos é... :)

Anónimo disse...

:) fico feliz, gosto de ti assim.
Beijo x
P.S.

bagaco amarelo disse...

anónima, :)

memyselfandi disse...

Ó, pá! Que bonito! :)

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, :)

Ominona disse...

Com isto fizeste me lembrar a primeira também e só isso chega :)

Ob.

Abraço

bagaco amarelo disse...

ominona, é bom... :)

Claire disse...

que bonito