5.14.2010

afastada professora que posou para a Playboy

Li no jornal que uma professora do 1º ciclo do Ensino Básico, numa escola em Mirandela, posou nua para a Playboy e foi consequentemente afastada pelo Conselho Directivo. Mais do que a Bruna ter sido alvo dum preconceito, aquilo que os responsáveis por este afastamento não percebem é que a Playboy, embora oficialmente seja uma revista só para adultos, é na verdade para crianças.
Quando eu era pequenino e conseguia juntar uns trocos da semanada que os meus pais me davam, era rapaz para percorrer toda a cidade a pé e ir comprá-la no quiosque mais longe possível do meu bairro. A nudez duma mulher representava tudo isso: o fruto proibido e a curiosidade por uma coisa que eu nunca tinha visto.
Agora a Playboy não me interessa absolutamente nada, assim como não interessará a nenhum adulto com uma vida emocional, cultural e sexual dentro dos generosos limites da normalidade. Eu, pelo menos, não estou a ver um gajo de quarenta anos a percorrer a pé cinco quilómetros para comprar uma Playboy num quiosque anónimo, embrulhá-la num jornal desportivo, e trazê-la para casa às escondidas só para conseguir ver mulheres nuas.
O entusiasmo que permite que se faça isso é um exclusivo das crianças e, por isso, ninguém duvide que são as crianças o público alvo da Playboy. Neste caso, a única diferença é que algumas crianças puderam ver a nudez duma mulher que conhecem e isso não me parece nada grave. Aliás, por falar nisso, a notícia também diz que a revista esgotou em Mirandela. Desta vez talvez não tenham sido apenas as crianças a comprá-la.

46 comentários:

RPM disse...

Quando eras pequenino compravas a Playboy? Pequenino com que idade?

É que o meu filho, com quase oito anos, no máximo percorreria a cidade para ir comprar cromos de futebol, com fotos de homens, portanto. Será que o miúdo é maricas? Afinal, com que idade é que os rapazes se começam a interessar pelo sexo oposto?

Mi disse...

Se acho bem que tenha sido afastada por causa disso? Não acho.
Mas também acho que ela devia ter tido o bom senso, devido à profissão que tem, de não o ter feito.
kiss

Poetic GIRL disse...

Pois provavelmente não foram as crianças a comprá-la, até que convenhamos hoje em dia podem ver mulheres nuas em tantos outros sitios, como a net sem gastar um euro. Por isso provavelmente não foram as crianças a esgotar a dita revista. Tenho pena por esta mentalidade portuguesa que critica pela frente, mas por trás é a primeira a "pecar" beijinhos

bagaco amarelo disse...

rpm, eu nuca disse aos meus pais que comprava a Playboy. :)

poetic girl, exacto... a indústria porno e erótica já não tem interesse nenhum, muito por culpa da net. :)

mi, eu até acho que não faz mal nenhum... desde que não se exiba ao sputos, claro. ;)

GiGi disse...

Devo ser anormal.
Com menos de 05 anos, sentia-me interessada pelos rapazes muito mais velhos que ficavam passeando de moto paquerando as minha vizinhas. Não um interesse maduro, talvez algo como uma curiosidade a mais.

Talvez, as crianças desenvolvam a sexualidade tão cedo quanto imaginamos. E talvez ninguém assume que isso é verdade. Principalmente porque crianças não têm preconceitos, apenas curiosidade (ou algo mais, quem sabe?).

Talvez, os senhores do Conselho sentiram-se ofendidos. Se o salário de professor for a mesma merreca que aqui no Brasil, então fez muito bem ela em partir para a Playboy. Eu não pensaria duas vezes.

Adelaide Souza disse...

Todas as acções tem consequências... o problema é que nem sempre são as que esperávamos... ce la vie!

ComoHacerElAmor disse...

Nao sei por que mais sempre que leio seu blog penso em o cantor frejat...

Malena disse...

Se não se despir na sala de aula, na escola ou no pelourinho! Que raio de gentinha...

rui disse...

Lembro-me de ser miudo e roubar as revistas "Gina" que o meu pai tinha bem escondidas e depois levá-las para a escola para a vermos, eu e os meus colegas nos intervalos.

Cresci um saudável homem de 1,80m e 102kgs de muito ginásio, sem taras sexuais e de bem com a vida.

Parece que há muita gente que não viu a "Gina" quando era miúdo...

Fatyly disse...

Ela pode não se exibir aos putos, mas os putos e sobretudo nas idades de 7/10 anos são terríveis embora a maioria "terrivelmente...saudáveis, faz parte do crescimento e afirmação" e se já não há respeito pelos docentes imagina "o alvo" que ela não deverá ter sido! O jornal diz:" foi afastada das actividades lectivas e transferida para um serviço onde não tem contacto com os alunos" o que depreendo o que os(as)pequenos terriveis não terão dito, etc, etc :)

Eu não tenho nada contra a jovem, se o fez é porque assim o entendeu, mas sabia que poderia cavar a sua própria sepultura daí subscrever totalmente as palavras de MI.
................
"Eu, pelo menos, não estou a ver um gajo de quarenta anos a percorrer a pé cinco quilómetros para comprar uma Playboy num quiosque anónimo, embrulhá-la num jornal desportivo, e trazê-la para casa às escondidas só para conseguir ver mulheres nuas."

Não??????? engano teu meu amigo para não falar dos (e muita gente educadinha (dos quais conheço algumas peças por morarem por aqui) que apregoam "bons costumes e educação" mas que parados junto dos quiosques "babam-se nojentemente e até...não digo mais"!!!

SpyKai disse...

Este caso é uma prova que não somos completamente livres, pois a professora acabou por ser julgada na praça pública... Na minha opinião a maior parte das revistas foram compradas pelas beatas da localidade para terem matéria para o maldizer ;)

aluno anónimo disse...

Esta é uma das formas de esquecermos os roubos que este governo se prepara para fazer aos Portugueses, força professora mostra tudo mas mesmo tudo.

Um aluno anónimo do 5.º ano.

Anónimo disse...

de certo que nao foram so os miudos a compra a revista. Mas eu acho que sim ela deve ficar afastada de dar aulas por algum tempo, o facto de ela pousar nua nao tem problema nenhum se ela nao fosse professora, e tambem sei que com o tempo niguem se vai lembrar mais disso, mas enquanto se lembram e meio disconcertante para os alunos e nao deve de ser muito comfortavel para ela, eu sei que pode parecer tacanha a ideia, mas eu acho que com ideia de modernismo estamos a arriscar valores morais. Pelo facto de nos dizermos sempre os tempos mudaram agoras a raparigas comecam a ter sexo com 12 anos, os tempos mudaram agora a miudagem esta farta de ver nudismos e coisas ainda "piores". Os tempos mudaram sim, mas vamos tentar manter a nossa dignidade enquanto humanos, porque aos poucos estamos a perder essa carateristica, senso comum que nos destingue de todos os outros animais, nao e a inteligencia.

Celeste disse...

acho muito triste o facto de não poder-mos ganhar um dinheirito extra...e as mães que ponham ordem em casa! agora já não há nada a fazer!

Sui_Generis disse...

o mais engraçado é que no Facebook já criaram um grupo contra o afastamento dessa professora ;)))

Ianix disse...

Cada vez percebo menos este país. Por um lado, existem casos de professores acusados de abuso sexual de menores e são absolvidos pela justiça e voltam a exercer funções como se nada tivesse acontecido. E por outro, uma professora aparece nua numa revista para adultos, já é um crime. Neste país é só andar para trás.
Eu própria comprei a revista (mas por outros motivos), e as fotografias estão óptimas e quem não gostou, temos pena.
A essa professora, dou os meus parabéns pela coragem.

Ianix disse...

Cada vez percebo menos este país. Por um lado, há professores que foram acusados por abusos sexuais a alunos e foram condenados a pena suspensa, voltamdo a exercer funções como se nada tivesse acontecido. Por outro, uma professora aparece nua numa revista para adultos e é julgada como se fosse uma criminosa. Neste país é só andar para trás.
Eu própria comprei a revista (mas por outros motivos), e as fotografias estão óptimas. Quem não gostou, temos pena. Se calhar o que está nessas revistas não têm em casa.
A essa professora, dou os meus parabéns pela coragem.

' Claudjinha disse...

gosto dessa abordagem do publico-alvo da Playboy serem as crianças xD até faz sentido...

Atento disse...

Concordo... A favor da professorinha... Precisamos é de mais mulheres destas... pois com ela, ninguém falta a uma aula.

diogo disse...

"No meu tempo, a professora batia a pensar nos alunos. Em Mirandela, parece que são os alunos que batem a pensar na professora. "

provocação disse...

Bagaço, acho que estás a ser contraditório, "não faz mal desde que não se exiba aos miúdos?" Se pressupões um "desde que" é porque de facto faz algum mal se eles tiverem o dito acesso e, como o mais natural é que até tenham já que a revista é acessível de variadíssimas formas, é porque a profissão da pessoa em causa não se coaduna com a sua escolha pessoal em fazer fotos nua. Ou isso ou estamos todos muito abertos e eu ainda não dei por ela. Da minha parte não gostei, a senhora ou mostra as mamas ou forma crianças. Simples. Se fosse professora de um filho meu, não gostaria nadinha. Por uma questão de formação pessoal, se calhar feminista, de que a mulher não é um objecto sexual a quem se paga para mostrar mamas.

Pintas disse...

já tive uma enorme discussão acerca deste assunto....

primeiro porque na minha mais modesta opinião acho que a professora discriminada e segundo porque enquanto professora das AEC's os alunos são crianças (entre os 6 e os 10 nos), não compram a playboy......ou pelo menos na minha ingenuidade nenhum vendedor de quiosque irá vender a playboy a um miúdo desta idade.....logo os miúdos tiveram acesso à revista através dos adultos...só pode....

Aliás, eu própria à uns meses atrás cheguei mais cedo à sala para preparar uma actividade para a aula, qual não é o meu espanto quando encontro os miúdos na net a procurar no google "mães nuas".....estamos a falar de miúdos com 7 anos.....

Lu disse...

hoje em dia os profes são penalizados em tudo, até nos seus hobbies... será que nem vida pessoal já podem ter?
que interessa para quem ela posou? o que interessa é que quando está a dar aulas seja uma boa profissional, de resto... =P

Pimp disse...

Estaremos a tornar-nos americanos com todo aquele puritanismo??

C disse...

Eu, que tenho sempre opinião sobre (quase) tudo, não sei o que pensar sobre isto. Não sei mesmo. É aquela velha questão de (pseudo?) valores morais vs. liberdade individual. Neste caso, não sei muito bem onde está a fronteira entre uma coisa e outra.
Na minha ideia é deixar a moça em paz, sempre ouvi dizer que as notícias de hoje servem para embrulhar peixe amanhã.

bagaco amarelo disse...

gigi, neste caso o salário dela era essa miséria, sim. :)

adelaide souza, eu não acredito é que uma mulher que se deixe fotografar para a Playboy pense que são os seus alunos da primária que a vão ver. :)

comohacerelamor. :)

malena, exacto. :)

rui, é um bocado por aí... :)

fatyly, se são os gajos de quarenta anos que a compram então é que ela não pode mesmo ser culpabilizada. :)

spykai, pois... na minha também. :)

Um aluno anónimo do 5.º ano, isso foi o Benfica e o Papa. Isto é mesmo tacanhez. :)

anónimo, achar que ela deve ficar afastada é pôr uma moralidade barata à frente da Constituição. :)

celeste, exacto. se bem que podemos pensar que ela faz isto também por gosto e não só pelo dinheiro. :)

suis, generis, vou aderir. :)

lanix, eu não comprei mas folheei-a este fim de semana. acho que está muito bem, sim. :)

claudjinha, é um bocado assim. :)

atento, lol... mais um motivo. :)

diogo, lol lol lol. :)

provocação, não se exibir é aoi nível pessoal, se os alunos vêem ou não a revista não é um problema dela. o que eu não aceito é que uma visão pessoal como a tua, ou de outra pessoa qualquer, e que é apenas numa moral, seja mais importante que a liberdade individual de cada um e portanto do que a constituição. :)

pintas, se os putos procuram isso é só porque precisam de o fazer. não me parece um problema, sinceramente... :)

lu, estou de acordo. :)

pimp, não estamos, já o somos há bastante tempo. :)

c, a moralidade não deve ter valor político nenhum, a liberdade individual sim. :)

EJSantos disse...

É por estas e por outras que o País não avança. Então uma professora conseguiu captar a atenção dos seus alunos, e agora querem afasta-la?!...

Brincadeiras à parte: este gênero de moralismos hipocritas metem-me nojo. A perseguição à senhora é um argumento contra Portugal.
PS: vi as fotografias e gostei.

provocação disse...

Bagaço, não tem a ver com a minha percepção, tem a ver com a formação do indivíduo, por algum motivo não andamos nus na rua, independentemente de preferirmos ou não. Chama-se pudor. E o pudor de um professor, ou de um juíz, é diferente da de outras profissões. E Bagaço, sou das pessoas mais livres que há no mundo, mas também te digo que mal vamos nós se a dada altura deixamos de ver as fronteiras do que é a liberdade de cada um perante a sua responsabilidade social. Por essa ordem de ideias ela pode ser professora e andar a fazer filmes hard sem que isso lhe belisque a moralidade? Pode um juíz então almoçar com um réu já que as suas escolhas pessoais em nada maculam o seu desempenho profissional? É que na ordem do "pessoal" pela constituição tem de se libertar muita gente que está como arguida devido a ligações menos próprias e que são do seu campo pessoal.
Um pouco mais de calma, digo eu.

bagaco amarelo disse...

ejsantos, pois... amim também. :)

provocação, a professora não andou nua na rua. o que eu sei é que ninguém, nem tu nem ninguém na escola, tem o direito de dizer o que é apropriado ou não para vida privada da professora. :)

Jil disse...

Nunca me considerei nem puritana nem conservadora, mas também me causa alguma irritação quem diz que somos um país atrasado (ou que o Norte é atrasado) devido a esta polémica.
A Senhora que se dispa perante quem quiser, não lhe digo o que é ou não é apropriado para ela fazer. No entanto, seria óbvio que tal teria consequências no âmbito da vida profissional, precisamente por a imagem de nudez numa revista não ser propriamente compatível com a docência. Isto referindo-me a termos práticos: que respeito conseguiria ela manter perante crianças que a viram nua? Conseguiria manter a ordem e a consideração na sala de aula? Duvidoso, muito duvidoso! Para não falar nos pais que, até podem ser os gajos mais hipócritas e os primeiros a comprar a revista, mas que também são adultos.
A parte de sermos livres de preconceitos não é sinónimo de concordarmos com tudo nem tão-pouco de considerar estas mentalidades como atrasadas porque é em Portugal. Seria assim em qualquer sítio. A Senhora sabia as consequências dos seus actos. Se procedeu como procedeu ainda assim, é já problema e questão dela. Não, não é sinónimo que seja pior professora ou pior pessoa, mas tal não releva no caso, nem serve como desculpa. Até pode ser a melhor professora que este país conheceu, no entanto, teve pouco bom senso se achou (sinceramente) que esta situação passaria ao lado. E se eu sou uma nortenha atrasada da cabeça por achar assim, então seja!

E se há coisas mais importantes deste país para discutir? De facto há. Mas todos gostamos de uma boa 'cusquicezinha'! Eheh :P

provocação disse...

Vida privada? Não estamos a falar de umas fotos caseiras! Revista com tiragem de milhares de exemplares e que é acessada na net a qualquer momento... mas tudo bem, continuo a não concordar.

Gasosa disse...

Isso é pura hipocrisia das pessoas, falsa moral. Apenas fizeram isso porque a professora não é uma celebridade.
Se a professora fosse a Cláudia Jacques, com certeza os pais ainda batiam no peito e diziam: a professora do meu filho é a Sr.ª D. Cláuda Jacques, ela é tão importante que até pousou para a Playboy!!!

bagaco amarelo disse...

jil, a mim choca-me ninguém se chocar com a professora estar a recibos verdes e a ganhar 500 euros por mês... de resto, quem sou eu para decidir o que ela deve fazer ou não nas suas opções pessoais? não sou ninguém e não tenho nada a ver com isso. :)

provocação, sim, vida privada... é uma opção dela e ninguém tem nada a ver com isso. :)

gasosa, exacto, lol. :)

Jil disse...

Lá está um pequeno pormenor que eu desconhecia, quanto ela ganha ou não ganha. E também não me parece que tenha relação com o cerne da questão! Se ela queria ganhar uns dinheiros extra porque era pobre ou porque quer viver uma vida ostensiva, isso é com ela. Lá está... está-se a considerar coisas que não importam. E se ganhasse muito, era menos digno posar? Aí já seria reprovável?
Eu não tenho falsa moral nem reprovo o que ela fez. Aliás, como já disseram, é a vida privada dela e como se costuma dizer: a minha liberdade acaba onde começa a do outro. Respeito muito isso.
Simplesmente não creio que tenha tido bom senso se realmente pensou que não haveria consequências, só isso. Há e haveria em qualquer outra profissão: políticos, advogados, psicólogos. Se a mentalidade geral é atrasada? Talvez, em qualquer canto do mundo. Para já, apesar de não me considerar conservadora, de até partilhar os teus ideais políticos, é uma perspectiva com a qual concordo.
Mas enfim, estas polémicas valem a pena pelo diálogo e discussão que trazem à mesa e todas as opiniões deverão ser respeitadas, naturalmente :)

L u i s P e s t a n a disse...

Onde andam os sindicatos que tanto gritam por qualquer coisa?

Ninguém para a defender?

Pois...."politiquices"...

bagaco amarelo disse...

pestana, por acaso tens razão... :)

Anónimo disse...

Li por alto as trocas de comentários entre a "jil" e o "bagaço".

Nao percebo porque é que se usa o argumento da "vida privada". Sou totalmente a favor de deixar assuntos da esfera pessoal à parte, mas, a partir do momento em que uma pessoa se expõe numa revista,que por sinal é pública, parece-me que o assunto deixa de ser "privado", certo?

E aí é que está errado.
Da mesma maneira que o papa, representante da igreja, tem um dever moral para com os católicos(sendo esperado dele o que se considera uma "conducta irrepresável", no sentido religioso), parece-me que também um professor tem deveres e responsabilidades...

Assumir o cargo de professor nao me parece ser um emprego qualquer. Ou seja, há responsabilidades subjacentes. Porquê? porque é uma figura bastante presente na vida das crianças (e adolescentes), tendo nas maos a capacidade extraordinária de fazer valer a sua propria opiniao. Um/a professor/a, sobretudo para os mais novos, representa uma figura em quem podem confiar. E nao me parece certo que crianças tenham que ver a professora exposta em poses explicitamente sexuais (nao vi as fotos mas suponho).

Por isso nao, nao concordo consigo/tigo(?), "bagaço amarelo"

Posto isto, aproveito para dizer que adoro ler as conversas aqui "postadas" :)

Cláudia

bagaco amarelo disse...

cláudia, pode ser "contigo. eu prefiro. o grande problema da intersecção entre a religião e a política sempre foi precisamente esse, a da mistura duma moral com a forma como nos organizamos. felizmente a separação da política e dessa moral começou já na revolução francesa. Crucificarmos uma pessoa por causa duma moral, seja ela qual for, está sempre errado. :)

Amoreca disse...

Eu acho que ela só queria ser mediatizada para mudar de vida. Já deve ter recebido paletes de propostas...

bagaco amarelo disse...

amoreca, na verdade, embora nem a conheça, espero que sim. :)

L u i s P e s t a n a disse...

Está na nossa Constituição que ninguém deve ser prejudicado ou beneficiado por qualquer que seja a sua ideologia religiosa (excepção quando vem o Papa...)

Acho que todos concordamos que a Playboy é uma religião certo? Pelo menos é "maquilhada" como as outras...

bagaco amarelo disse...

pestana, eu sou mais da Hustler, então. mas curto a tua ideia. :)

Anónimo disse...

Com os argumentos aqui apresentados, sob a máscara da pseudo liberdade individual (que segundo o bagaço deve ou deveria prevalecer à moral individual), pergunto-vos ( leitores, como eu, de comentarios), se a polémica andasse à volta de uma professora ou um professor se masturbar na aula, voces continuariam com estes argumentos?

É uma pena terem-se perdido valores e bom senso.
" A tua liberdade acaba onde começa a do outro".
Estou parva de ver que já nao há discernimento do que está certo ou nao. Lembro-me ter apanhado o comboio há uns tempos e qual nao é o meu espanto quando olho para um homem de 60 anos e o vejo a masturbar-se, com tudo de fora. Mas enfim, ele é livre nao é?

M.

bagaco amarelo disse...

M. obrigado pelo teu exemplo. demonstra bem que nem sequer sabes do que estás a falar. a professora não se masturbou nem fez nada em frente aos alunos. o que fez foi num âmbito que é, de facto, da sua esfera individual.

Anónimo disse...

Bagaço,de nada. com o meu exemplo apenas pretendo chocar e tentar mostrar o que está certo ou errado.
Desculpa a franquesa mas parece-me que repetes sempre os mesmos argumentos sem pensar nos argumentos dados pelos outros (nao falo dos meus).
Fácil é dizer que "nao percebo do que estou a falar". Só por dar um exemplo que agora parece despropositado?
É que segundo a tua lógica, o que eu disse deveria ser aceite. Se quiseres explicar-me o quao ridicula estou a ser com este exemplo absurdo, sou toda ouvidos (sem ironias).

E espero que nao leves a mal esta minha opiniao.
M.

bagaco amarelo disse...

M, não levo a mal, claro que não. E não me importo de discutir seja o que for mas dentro duma lógica minimamente inteligível,o que o teu exemplo não é. Na verdade é descabido e desvirtua a discussão, uma falácia, portanto. :)