4.17.2009

coisas que fascinam (84)

o beijo



É uma das fotografias mais conhecidas do mundo. A sua fama deve-se ao seu autor, Robert Doisneau, e ao sentido de oportunidade da mesma, já que ver dois jovens amantes a beijar-se desta maneira numa rua de Paris em 1950, em plena luz do dia, não era assim muito comum.
Durante anos foi o que se pensou mas, um pouco antes de morrer, Doisneau admitiu que de oportuno a fotografia não tem nada. Na verdade ele falou com os dois jovens e encenou tudo.
Pode-se pensar que um beijo encenado não vale tanto mas vale, pelo menos para mim. Se encenamos uma situação é porque queremos vivê-la, nem que seja por uns breves momentos e por isso há muito de verdade numa encenação.
A verdade que encontro neste beijo é que tudo o resto se ausenta, como se o mundo à volta dos apaixonados tivesse parado. Um beijo não é mais do que isso... mas também não é menos.

18 comentários:

bianca. disse...

Eu adoro esta fotografia!Simplesmente linda! Ha um toque especial de "quase que como por acaso"... mas não sabia da historia de ele querer tirar a fotografia assim. So me faz pensar que realmente ele sabia o que queria, e passa a ter mais valor a fotografia.

Missanguita disse...

E quantos beijos são, assim, imortais?

Moleskine disse...

Curioso...
Ainda hoje estive a pesquisar esta fotografia, para ilustrar parte de uma canção do Cohen...

"And sometimes when the night is slow,
The wretched and the meek,
We gather up our hearts and go,
A Thousand Kisses Deep."


Gostei da coincidência. : )

bagaco amarelo disse...

bianca, exacto... concordo que ainda ale mais. :)

missanguita, os nossos. :)

moleskine, que giro... e fica bem... :)

calamity disse...

:)
não sabia.
essa, juntamente com a morte de um soldado legalista, do Capa, e o beijo com o cão e o menino da Rue Mouffetard do Cartier-Bresson são das fotos dos clássicos de que mais gosto...



*

SRRAJ disse...

Encenada ou não, a foto é lindíssima.

Anónimo disse...

Também adoro a fotografia! Aliás, para comemorar a minha primeira ida a Paris comprei um poster com a foto que neste momento está no meu quarto...já sabia do facto de não ser espontâneo este beijo, mas também a magia de uma fotografia é o que nos faz sonhar, e esta a mim faz-me isso...sonhar com um amor assim, como este beijo: intenso e sem ter em conta tudo o que se passa à volta...

Anabela

bagaco amarelo disse...

calamity, eu gosto especialmente do Capa, até porque gosto de fotojornalismo... :)

srraj, concordo. :)

Anabela, é isso mesmo que a foto permite... :)

Laidita disse...

É muito bonita!

Anónimo disse...

A antecipação de um desejo é em si próprio um prazer...
Miau

jardinsdeLaura disse...

Momentos há que se querem eternos... a melhor definição duma fotografia bem conseguida!

bagaco amarelo disse...

laidita, é sim. :)

miau... exacto, r por isso tem valor. :)

jardins de laura, concordo. essa é, aliás, a ideia da fotografia em geral. :)

ลndreia disse...

Um beijo. Nada mais. *

bagaco amarelo disse...

andreia, :)

Salseira disse...

"Se encenamos uma situação é porque queremos vivêla"... concordo.

Mais, muitas vezes me digo que às vezes fingir é bom porque qundo fingimos muito uma coisa podemos, por vezes, começar a senti-la.

Desde que esse fingimento não seja uma fuga, claro está.

E agora lembrei-me:
"O poeta é um fingidor
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente"

bagaco amarelo disse...

salseira, exactamente... e sim, esses versos do pessoa são mesmo isso. :)

AR disse...

Gosto...

bagaco amarelo disse...

Ar, :)