3.02.2011

respostas a perguntas inexistentes (133)

Hoje vi-a fumar dois cigarros, e pareceu-me que os dois cigarros se lamentavam de qualquer coisa num poluído choro de cinzas. Depois vi-a pegar no cinzeiro e despejá-lo num caixote do lixo comum aos vários escritórios onde trabalha, como se tivesse conseguido deitar fora algumas das suas tristezas. Vi-a em silêncio, porque qualquer coisa me impediu de passar da porta do corredor enquanto fumava. Só depois me aproximei, como se tivesse acabado de chegar.

- Desculpa o atraso!
- Já estavas aí há muito tempo a fingir que não me vias. Estou assim com tão mau aspecto? - respondeu olhando-me de frente.

As mulheres têm a mania de não me deixar fingir, e também de me deixar sem resposta, pelo menos se considerarmos que o silêncio não responde a nada. Mas até responde, porque ela depressa o entendeu como uma confirmação.

- Pronto, estou. - e vestiu o casaco para sairmos dali, como se sair dali fosse respirar depois duma apneia matinal.

Continuámos em silêncio, desta vez os dois, por entre a indiferença dos edifícios, das montras dos prontos-a-vestir e das paragens de autocarro impacientes, até uma rua onde um homem só ouvia um rádio roufenho num pequeno bar de esquina. Tomámos um café cada um e ela pôs dois pacotes de açúcar (o dela e o meu) enquanto se ria timidamente de si mesma. Regressámos por um percurso não combinado mas propositadamente diferente, e deixei-a à entrada do mesmo prédio onde a fora buscar.

- Estás melhor?
- Sim. - respondeu.
- Não estás com mau aspecto, estás com aspecto cansado. Só isso.

Ainda não sei porque é que ela me telefonou a pedir para dar uma volta de manhã, não sei porque é que voltou a fumar nem porque é tinha um aspecto cansado. Não mo disse, e se não mo disse talvez seja melhor nem saber. Sei que tenho uma amiga que só vejo uma ou duas vezes por ano, mas mesmo assim é a quem recorro por último, ou seja, quando já não tenho mais ninguém a quem o fazer. Ela também. E agora que estava a pensar nisso, acho estranho que se recorra à simples presença silenciosa de alguém e que isso funcione. Mas funciona.

17 comentários:

memyselfandi disse...

Às vezes não são necessárias palavras. Parte das vezes sabermos que alguém está lá para nós quando precisamos dispensa qualquer manifestação verbal. Um olhar. Um gesto de carinho. Caminhar ao lado de alguém para que tenha consciência que não está só pode ser esse enorme gesto de carinho. =)

maria disse...

"Presença silenciosa de alguém...".Muito curioso!

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, exacto. :)

maria, :)

sophie disse...

É bom ter alguém a quem recorrer em última instância...
É que mesmo sem palavras, sabemos que temos um ombro amigo... Aquele ombro que nesse preciso momento nos dá a força de que precisamos...

E a Amizade é isso mesmo... :)

Malena disse...

O silêncio de um ombro amigo vale mais do que mil palavras! :)

Rana disse...

Os amigos são isso mesmo. Sabemos que estão lá, podemos contar com eles, apesar de estarmos muito tempo sem falar. “Tenho uma amiga assim”.
Hoje, podemos fazer novos amigos “silenciosos” e que nos compreendem. Como o Bagaço.
Pois claro...

Lima e Tequilla disse...

Às vezes basta sabermos que temos alguém do nosso lado, que não estamos sozinhos. Às vezes isso é melhor do que falar sobre o que nos preocupa...

Anónimo disse...

fizeste-me lembrar um amigo.Ya funciona

bagaco amarelo disse...

sophie, concordo. :)

malena, às vezes as palavras, mesmo de consolo, só estão a mais. :)

rana, obrigado. :)

lima e tequilla, exactamente. :)

anónimo, :)

EJSantos disse...

É bom ter alguém a querm recorrer nos momentos de desespero.
Têm sorte, os dois, por se terem um ao outro.

bagaco amarelo disse...

ejsantos, :)

Briseis disse...

Funciona! Então não funciona??!
Muita gente precisa precisamente de uma pessoa que saiba estar em silêncio... mas parece que o pessoal tem alergia ou medo dos silêncios... Credo! És um achado, amigo Bagaco!

bagaco amarelo disse...

briseis, :)

Brisa disse...

O silêncio pode ser, por vezes, um delicioso abraço à nossa alma, quando tudo se sente mas não se tem vontade de dizer.

bagaco amarelo disse...

brisa, :)

Fatyly disse...

Não sabes porque te telefonou, porque voltou a fumar nem porque tinha aspecto cansado...ah amigo como te percebo e sabes porque nos procuram? porque necessitam de alguém que não os metralhem com perguntas e há silêncios terapeuticos que funcionam mais do que mil palavras.

Maisnada:)

bagaco amarelo disse...

fatyly, :)