3.03.2011

as mulheres têm filhos para não terem que trabalhar?

"Uma mulher que vá a um entrevista pode estar de boa-fé, quando diz que tem dois filhos, mas também o pode dizer de forma intencional, porque sabe que isso pode ser um obstáculo"

Cristina Rodrigues, coordenadora da comissão de recursos - IEFP (Público)

A técnica dos partidos da direita parlamentar (PS, PSD, CDS) para combater o desemprego tem sido sempre a mesma. Em vez de se criar investimento público para criar emprego digno desse nome, culpabiliza-se o desempregado, apontando-lhe o dedo pela sua incapacidade e falta de vontade de trabalhar.
A verdade é que o sistema económico neoliberal precisa de desemprego para sobreviver, para que os privados possam negociar em condições mais vantajosas com aqueles que dependem exclusivamente do seu trabalho para viver. Aliás, um país de dez milhões de habitantes com mais de setecentos mil desempregados revela isso mesmo: que por muito que se queira ter um emprego, as probabilidades de não o conseguir são muitas.
Aquilo que eu ainda não tinha visto, era esta ofensa generalizada a quem quer trabalhar e não pode, passar a uma ofensa de género, numa revelação da mesquinhez e estupidez em que este governo se transformou. Cristina Rodrigues, coordenadora da Comissão de Recurso do Instituto de Emprego e Formação Profissional, pôs ao Público a hipótese de que quando uma mulher diz numa entrevista de emprego que tem dois filhos, o pode estar a fazer porque não quer trabalhar nem quer o emprego em questão.
A primeira estupidez é que a Cristina não põe a hipótese de um homem dizer o mesmo. Portanto, para ela, os filhos são uma responsabilidade exclusiva da mulher e não muito mais do que um fardo para as famílias.
A segunda estupidez é que ninguém diz que tem filhos por não querer trabalhar, mas em qualquer entrevista para emprego se deve dizê-lo (que engraçado, eu sou homem e digo-o) porque isso, de facto, pode ter alguma influência na assiduidade no trabalho. É uma questão de honestidade.
Com este governo estúpido, põe-se a hipótese real de uma mulher (e não um homem) perder o subsídio de desemprego por dizer numa entrevista que tem filhos.

27 comentários:

biobloga disse...

Essa senhora é/pertence ao tipo de gentinha que ... me cansaaaa! ( pra não dizer outra coisa :( )

bagaco amarelo disse...

biobloga, o pior é que esta gentinha é o actual poder vigente. :)

Janine Bettencourt disse...

Por norma, é o próprio empregador, ou técnico recrutamento, que pergunta, em todas as entrevistas de emprego pelas quais passei me perguntaram: "é casada? e filhos tem?".
Infelizmente, ainda se tem a ideia de que é a mulher que falta ao trabalho para ir à escola do filho, para o levar ao médico, se atrasa ou sai mais cedo para o levar às suas actividades. O certo é que se os tempos mudaram e agora a mulher trabalha e contribui activamente para o rendimento familiar, num meia-meia com o companheiro, também no que diz respeito às responsabilidades com os filhos isso acontece.
Por comentários absurdos como o dessa sra, Cristina Rodrigues, é que as coisas andam como andam, porque infelizmente ainda há quem lhe dê ouvidos. É estúpido vindo de uma pessoa, bárbaro vindo de outra mulher. (Se calhar, não deviamos julgar os outros por nós mesmos)

bagaco amarelo disse...

janine bettencourt, pois não, não devíamos. nem devíamos deixar que a Economia nos escravizasse desta maneira. Mas deixamos... :)

Xs disse...

É só impressão minha ou a declaração dessa Sr.ª é um incentivo a que as mulheres mintam?
Estamos numa sociedade tão hipócrita que não consiga ver que o facto de se ter dois filhos significa (em regra) que se precisa de um emprego?!?

Briseis disse...

Chiça! Alguém que dê uma marretada na mulher, que isto é de bradar aos céus! Obtusidade desta devia ser punível por lei!

Maria disse...

Realmente , é por tantas pessoas pensarem como esta "senhora" que este país está no estado em que está . Com esta cambada de incompetentes, corruptos , mal - formados , etc..no governo este país nunca vai avançar , e o mais triste é que é uma mulher ,a dizer estas barbaridades .

bagaco amarelo disse...

xs, não ser proprietário e precisar de comer, beber e tomar banho, é o suficiente para precisar de um emprego. ter filhos, é condição essencial para a continuação da espécie e para o bem estar das gerações futuras, além de ser um direito biológico. só para o capitalismo é que não... :)

briseis, gosto da ideia da marretada, mas acho que um sanatório lhe ficava melhor. :)

Maria, temos que mudar de política e de de Economia... :)

Candybabe disse...

Somos um país de mentes muito pequenas... O pior é que estamos a ser geridos por elas...
Brevemente terei de pensar em ser mãe e tenho consciência, de que talvez, tenha de pensar num novo emprego, como uma amiga minha que voltou ao trabalho da licença de parto e foi despedida no dia a seguir...

bagaco amarelo disse...

candybabe, essa é uma das realidades do nosso país. sem mudar a política de fundo, isso também não muda. :)

Helena disse...

Está prevista uma manifestação para dia 12: "Um milhão na Avenida da Liberdade". Pode ser que seja significativo...

disse...

Miserável essa senhora!

Percursos disse...

Caro Bagaço :)

Aqui em Inglaterra é proíbido fazer essa pergunta numa entrevista, a vida pessoal dos empregados não diz respeito aos patrões tão simples como isto, assim como é proíbido perguntar se é casado, está em união de facto, viuvo ou solteiro. E acho muito bem que não possam perguntar, não lhes diz respeito, estão a contratar uma mãe/pai ou estão a contratar um/a engº/ª ? Não lhes diz respeito. Assim como é impensável uma pessoa perder o subsidio de desemprego por dizer numa entrevista que tem filhos... Fico muito triste com a estupidez cavalgante dos dirigentes do país...

bagaco amarelo disse...

helena, sim... também era preciso acabar com a ignorância e o que ainda há de medieval na sociedade... :)

bá, a senhor é um veiculo do que é o governo. :)

percursos, aqui também é proibido. só que se faz na mesma. esse é o problema... :)

Anónimo disse...

Bem, pelo menos pararam de chatear os professores.

Cármen disse...

Isso é, de facto, estúpido, mas repara que há mesmo pessoas que fazem de propósito para não conseguir o emprego, durante o tempo que ainda lhes sobra de subsídio de desemprego; mas talvez tenha sido por isso que a senhora disse "pode", quer para um lado, quer para o outro. O que está mesmo em questão, na afirmação dela, é saber se ela o disse ironicamente ou se realmente estava a analisar os dois lados da questão.

bagaco amarelo disse...

anónimo, não te convenças. :)

cármen, esta mulher sabia que estava a falar com uma jornalista
do Público. Além disso, estou-me nas tintas para o facto de, eventualmente, uma pessoa querer recusar um emprego porque lhe pagam ofensivamente mal. estou preocupado é com os motivos que levam a haver desemprego e pseudoemprego em quantidades astronómicas, e esses motivos chamam-se bancos, seguradoras, offshores, sucateiros, armandos varas, bpns, etc, :)

Fatyly disse...

Esta Comissão de Recurso do Instituto de Emprego e Formação Profissional alguma vez funcionou bem? Os funcionários que fazem o inquérito estarão eles habilitados para tais funções? Quantos já empregaram e para que servem os cursos de formação em 80% não servem para nada? e estágios não remunerados?

Números, só números e queimar dinheiro dos nossos impostos.

Já me dei ao trabalho de ir a um só para ver o funcinamento daqueilo tudo...e acredito que a maioria é só tretas e mais tretas e é triste essa Cristina Rodrigues ter descoberto a pólvora que lhe deveria rebentar nas trombas e consequente destruição de muitos que só falam de barriga cheia!

De há 20 anos para cá todos os governos têm sido estúpidos...mas mais estúpidos foram quem os deixou mamar à conta pondo-os no poleiro.

Sinceramente não existe em nenhum partido uma opção credível, porque todos eles têm "ratazanas velhas e maçãs podres"!

bagaco amarelo disse...

fatyly, não se pode dizer isso dos partidos que nunca estiveram no poder. é injusto. podes dizê-lo do CDS, do PS e do PSD, que têm lá estado e o país está como está. Eu, pela parte que me toca, nunca votei em nenhum deles... :)

Narizinho Lunático disse...

O que verdadeiramente me revolta é o facto de tais declarações serem proferidas por um elemento do IEFP, nada mais nada menos, do que a entidade pública responsável por construir soluções para o desemprego existente em Portugal! Quando os responsáveis do IEFP pensam assim, não admira que as entidades empregadoras sejam a vergonha que todos nós sabemos! Isto lembra-me a história de um Presidente de um Centro de Formação (IEFP) afirmar perante um funcionário que tinha a ambição de frequentar um curso superior, que estudar não valia a pena... É assim que pretendem fazer a diferença?! Sim, é! A diferença nas contas bancárias deles, altamente chorudas!

bagaco amarelo disse...

narizinho lunático, tens toda a razão. :)

Ruiva disse...

Mulheres com opiniões como esta fazem-me sentir vergonha de pertencer ao género e é por isso que cada vez acho mais sentido a que se realizem acções feministas para alertar as cidadãs e os cidadãos contra este tipo de maxismo ultrapassado e caduco facilitador das politicas absurdas neo-liberais e castrador de uma sociedade mais justa e onde a paridade entre homens e mulheres impere.
E sim, estes 3 partidos são sempre os mesmos no poder... E que tal mudar-mos, para variar? Só para ver o que acontece? E então saber-mos se realmente são todos iguais...

bagaco amarelo disse...

ruiva, concordo plenamente. :)

Laranja disse...

Qualquer dia não se pode ter filhos, isso sim...e depois queixam-se que a população portuguesa está envelhecida. Porque será?

bagaco amarelo disse...

laranja, pois é... pois é... :)

Luis disse...

Boas!

Bagaço, acho que o comentário dessa Srª é, no mínimo, parvo.

No entanto, não concordo a 100% com a tua análise da coisa... Existe realmente muito desempregado com boa fé e que procura emprego, mas o contrário também é verdade.

Sei de uma papelaria que recebe uma média de 5/6 pedidos por mês para "carimbar o papel do desemprego". Não vão lá pedir emprego, vão lá pedir um carimbo...

O Governo tem que mudar? Tem, e rápido!!!
Serve de alguma coisa mudar drasticamente o Governo e os Governantes sem mudar a mentalidade mesquinha e de chico-esperto do Tuga? Infelizmente não...

Abraço!

bagaco amarelo disse...

luis, eu estou-me nas tintas para esse caso da papelaria. sei que isso é verdade mas acho muito bem que alguém não queira trabalhar 40 ou mais horas por semana para ganhar menos de 500 euros por mês. e estou cansado de moralismo de tanga à volta disto. :)