3.27.2011

respostas a perguntas inexistentes (138)

um sorriso estúpido na cara

Quando eu pensava que um homem só se conseguia apaixonar a sério uma vez na vida, que é o mesmo que dizer quando eu era criança, via, por causa disso, o Amor como uma fatalidade. Apaixonámo-nos, logo gastámos todos os créditos da vida para paixões, da mesma forma que num jogo de computador qualquer. Foi por isso que a minha segunda paixão foi um alívio. Ufa!
Nessa segunda paixão eu andava sempre com um sorriso estúpido na cara, e a Márcia dizia todos os dias que eu andava com um sorriso estúpido na cara. Eu respondia-lhe que era por estar apaixonado por ela, omitindo que era por ela ser a minha segunda paixão e, à conta disso, ter-me apercebido que depois dela poderia apaixonar-me outra vez e outra vez. Tantas vezes quantas fosse preciso.
Acho que lhe ganhei o gosto, porque comecei a apaixonar-me de cinco em cinco minutos por todas as mulheres que passavam por mim. Apaixonava-me pela mulher que me servia o café num balcão qualquer, pela mulher que me perguntava as horas na rua, pela mulher que via os horários dos comboios da estação, pela mulher que se sentava perto de mim no cinema ou pela mulher que dava pão aos patos num lago qualquer. Sempre com um sorriso estúpido na cara.
Quando eu pensava que um homem se conseguia apaixonar na vida todas as vezes que fosse preciso, que é o mesmo que dizer quando era um jovem adulto, via, por causa disso, o Amor como um usufruto. Apaixonámo-nos, logo tínhamos que aproveitar essa paixão. E não fazia mal nenhum que o fruto da minha paixão não correspondesse a esse meu desejo nem que essa paixão durasse apenas dez minutos, porque as paixões sucediam-se umas às outras, à velocidade do vento.
Um dia vi a minha sombra morrer no chão que eu pisava. Tentei reanimá-la para que ela se levantasse mas não consegui. A Raquel disse-me que eu estava com um sorriso estúpido na cara. Eu respondi-lhe que era por estar apaixonado por ela, omitindo que era por ter percebido que depois dela não me apeteceria apaixonar-me outra vez. Voltei a ser criança, sempre com um sorriso estúpido na cara.

22 comentários:

memyselfandi disse...

Os que conseguem andar com um sorriso estúpido na cara nesta altura da vida são uns privilegiados. A sério que acredito nisto! Incluo-me nos privilegiados (sorte a minha) =) e, ainda que o sorriso possa desaparecer, percebermos que somos capazes dele já nos faz sentir muito bem! Adoro sorrisos estúpidos na cara das pessoas! =) Obrigada, Bagaço. Fazes-me sempre tão bem à alma!

bagaco amarelo disse...

memyselfandi, também acho isso. obrigado. :)

Paloma disse...

revejo-me nisso! =) Muito bonito, sim senhor.

Eli disse...

Eu também lhes perdi a conta...

E aquela capacidade de nos apaixonarmos várias vezes pela mesma pessoa?!

:)

bagaco amarelo disse...

paloma, obrigado. :)

eli, pela mesma pessoa com intervalos pelo meio? Pois... sei do que falas. :)

Helena disse...

Tão profundo e tão assustador simultaneamente... Espero que continues sempre com esse sorriso na cara bem como a pessoa que para ti olha e te ama: "Estupidamente apaixonados" :)

bagaco amarelo disse...

helena, :)

van disse...

estudos comprovam que o amor eterno chega a durar seis meses. agora "de cinco em cinco minutos" é caso para dizer que temos um novo recorde!

(epá gosto mesmo do seu/teu blog(:)

bagaco amarelo disse...

van, pronto... foi um exagero, sim. e prefiro o "teu", está bem? :)

Stiletto disse...

Gosto disso, de andar com um sorriso estúpido na cara. :-)

bagaco amarelo disse...

stilleto, eu preciso dele... até porque sem ele acho que fico só estúpido. :)

Fatyly disse...

Este texto deveria ir parar a todas as caixas electrónicas dos nossos políticos e às de milhares de portugueses...para ver se essa paixão (eu aplicaria outro adjectivo) fizesse o efeito que tão bem descreves e levantasse o astral e se tornassem menos serumbáticos e "mais crianças sorridentes".

Custa sorrir? Nãoooooo e ADOREI!

Mulherómem disse...

Há créditos que não se gastam nunca, ás vezes as slots é que começam a falhar.;)
Bonito blog, parabéns.

Maya Gaarder disse...

"E aquela capacidade de nos apaixonarmos varias vezes pela mesma pessoa.." Mas sem intervalos pelo meio. Tão bom que é. Depois de tantos anos, olhar para a pessoa por quem me apaixonei quando tinha 15 anos, e apaixonar-me outra vez. E outra e ainda outra :)

van disse...

allright(:

sophie disse...

Adorei...

É tão bom voltar a ser criança e andar com um sorriso estúpido na cara... E é tão bom não querer Amar mais ninguém que a pessoa que se Ama...
A Raquel é uma mulher de sorte...
:)

Olga disse...

Neste momento também tenho um sorriso estúpido na cara, não porque esteja apaixonada (infelizmente) mas porque gostei de ler o que escreveste. :)

bagaco amarelo disse...

fatyly, obrigado, :)

mulherómem, quando as slots falham, dá-se uma pancadinha, lol. :)

maya gaarder, boa! :)

van, :)

sophie, sorte tenho eu. obrigado. :)

olga, obrigado. :)

cristina disse...

E é tão bom esse sorriso:)

bagaco amarelo disse...

cristina, :)

Xs disse...

Mereces uma ovação de pé por este post.
Adorei

bagaco amarelo disse...

xs, :)