10.30.2008

um bushmills a meio da tarde

1] Está frio. Entro num café porque preciso beber um bushmills com gelo. É um café qualquer, resignado a uma posição secundária numa estrada nacional.

2] Gosto da maneira como a empregada sorri, juntando os lábios tímidos um no outro. Parece tão afectiva assim. Tento ser simpático mas a voz sai-me monocórdica e forte. Um bushmills com gelo, por favor.

3] Na mesa ao lado da minha, uma mulher já bebeu um chá e já comeu uma torrada. Agora pousou o queixo numa das mãos em forma de concha e olha lá para fora como se esperasse alguém.

4] Numa mesa do canto quatro homens jogam às cartas como se essa fosse a melhor forma de esperar pela Morte, desafiando-a com um jogo insípido qualquer. Olho lá para fora pela janela pontilhada pelos pingos da chuva. A Morte não está a chegar. Nem alguém.

5] A empregada põe o bushmills na mesa. Não tem gelo mas eu não protesto. Bebo-o mesmo assim. É um forma de compensar a minha voz grossa de há pouco. Tenho dois telefonemas não atendidos no telemóvel. Um de um número desconhecido, outro duma amiga de quem me apetece ouvir a voz. Só me apetece ouvir a voz dela porque está frio. Há mulheres frias e mulheres quentes. Esta é quente. Os homens são sempre mornos.

6] Não é a morte mas é quase. Uma família romena com duas crianças entra no café e estende a mão a todos. O homem estende-a aos jogadores de cartas, a mulher estende-a a mim, uma criança estende-a à mulher ao meu lado e outra criança, empoleirada no balcão, estende-a à empregada dos lábios juntos. São mãos que pedem mais uns minutos de vida. É curioso como a Quase Morte pode pedir vida, penso.

7] Tenho dúvidas se estou a beber um uísque ou se é o uísque que me está a beber a mim.

8] Os jogadores de cartas nem olham para o homem que lhes estende a mão. É natural. Esperam a morte e aquele homem é só a Quase Morte. Ainda respira e tudo. Que decepção.

9] Não gosto que me estendam a mão. Não é que me zangue, mas fico sempre decepcionado com o mundo quando alguém me estende a mão. De resto até percebo. Somos todos iguais e todos nos ajoelhamos perante a Fome. Perante a Morte não, perante a Fome sim.

10] A mulher ao meu lado oferece-se para pagar o lanche "aos meninos". Aproveito e ofereço-me para pagar a meias mas a todos. Depois duma conversa com a empregada, que entretanto já não parece tão afectiva, fica combinado. Eles sentam-se numa mesa perto dos homens que jogam às cartas.

11] É giro ver quatro homens à espera da Morte ao lado duma família que mendiga Vida. Melhor ainda, não é giro. É só esclarecedor. Neste momento estou zangado. Só não sei com quem. Com todos, acho eu.

12] Vou pagar e sair. Pergunto quanto é o bushmills e metade do lanche. Olho bem para os lábios dela. Desta vez não se juntaram da mesma forma. É bonita. Saio.

29 comentários:

As coisas que oiço disse...

Vê-se mesmo que é Outono. :) Ficamos mais introspectivos nestas alturas. Adorei o texto, nomeadamente os pormenores.

SierraMaestra disse...

Uma vez mais um excelente modo diferente de veres as banalidades, de facto registas vários acontecimentos que mostram a psique humana no seu todo, cru e nu de realidade...da ilusão do sorriso pseudo sincero ao cruel conviver com a real miséria humana. muito bom partilhares isto connosco

bagaco amarelo disse...

as coisas que oiço, se calhar passo a vida no Outono. :)

sierra maestra, obrigado. :)

Liliane disse...

Vc não vê às pessoas. Vc as percebe.

Lindo texto!!! Porém, o sentimento é mais ainda!!!


Beijos

provocação disse...

Os homens são sempre mornos? Os que conseguem, digo eu...

bagaco amarelo disse...

liliane, percebemos todos, cada um à sua maneira, não é? obrigado :)

provocação, pensei sempre que não ser morno é que era conseguir alguma coisa. :)

provocação disse...

Não... a maioria são frios, alguns conseguem chegar a mornos.

bagaco amarelo disse...

provocação, ok... percebo... eu á gosto de alguma algidez em algumas mulheres... é um fetiche. :)

RedPill disse...

"Há mulheres frias e mulheres quentes... Os homens são sempre mornos." Sinceramente, isto é muito bom...
"And now something completely different", o sentimento de estar zangado que descreves... no meu caso é mais uma mistura de injustiça e de revolta (provavelmente como toda a gente). Mas temos de perceber que aquela até é uma forma de vida escolhida... uma estranha forma de vida (como diria a Amália)... ou então nem é assim tão estranha quanto isso... Who knows?

Ana GG disse...

Obrigada pelos textos que partilhas...é uma satisfação lê-los!
Támbém sou daquelas pessoas que vive num permanente Outono.

Abraço

bagaco amarelo disse...

redpil, não costumo aceitar isso como argumento, que aquela até é uma forma de vida escolhida. Isso é só apagar séculos de História, apagar as influências do neoliberalismo e da globalização... enfim... não é verdade. :)

ana gg, obrigado eu, por leres. :)

RedPill disse...

Se calhar estamos a falar de uma Cultura anterior, várias ordens de grandeza temporal, ao neoliberalismo e à globalização...
Digamos que o neoliberalismo e a globalização começaram há "5 minutos"...
Tiveste uma acção que a grande maioria das pessoas, no seu egoismo e na sua indiferença, não é capaz de igualar. Admiro-te por isso.

Abraço

bagaco amarelo disse...

RedPill, gosto do verbo admirar, se lhe tirarmos a carga divina que as religiões ocidentais lhe deram. Também te admiro.
Na minha opinião, o neoliberalismo é mesmo o pai de todas as misérias, não sendo o único culpado, é pelo menos o principal. A globalização de que falo é a que lhe lhe está subjacente. De resto, e porque sou socialista, sou a favor da globalização, só que não é esta que estamos a viver... :)

Naturezas disse...

Adorei o Texto , e até nem sou de adorar.
Bushmills, mmm deve ser um óptimo whisky , ainda n provei, mas gosto de whisky.
Não sei o que fazer com estes dias de Outono, às vezes parecem eternos, e sinto um Ódio pela lucidez, e Amor pela sua ciência.
Despersonalizo-me para acabar como nasci ... Só.
:)Desculpa , a estas horas da noite n me responsabilizo pela insónia. Bjs

bagaco amarelo disse...

naturezas, o bushmills é o melhor uísque do mercado, palavra de um gajo que se chama bagaço e que aprendeu com uma amiga que é dona do melhor bar do mudo. :) e não te preocupes, a esta hora eu estou a fazer um site de internet... :)

Naturezas disse...

Por acaso, ou coincidência, tenho um amigo que tb gosta muito de Bushmills, já me convidou por isso um dia provo :)
Mas já agora sabes onde é que se compra ?

bagaco amarelo disse...

naturezas, compras em qualquer hipermercado... cerca de treze euros
:)

Naturezas disse...

Amanhã vai haver festa LoL, patrocinada pelo Bushmills, hehehe :P

bagaco amarelo disse...

naturezas, lol... a sério que é o melhor uísque do mercado... :)

RedPill disse...

Captaste o sentido que quis dar à palavra ;)
Sempre quis provar o Bushmills Single Malt 16 anos (envelhecido em 3 tipos diferentes de barril).

bagaco amarelo disse...

redpill, pois... mas esse custa uns cinquenta euros a garrafa... :)

Brida disse...

"Há mulheres frias e mulheres quentes. Esta é quente. Os homens são sempre mornos."

só esta frase já merecia um post... gosto muito de como observas. e escreves.

bagaco amarelo disse...

brida, :)

Anónimo disse...

Eu diria que os homens são mornos porque são quentes umas vezes e frias outras... Mas eu tenho mau feitio! :)
Sónia

Anónimo disse...

Eu diria que os homens são mornos porque são quentes umas vezes e frias outras... Mas eu tenho mau feitio! :)
Sónia

nat disse...

Os homens nao sao sempre mornos. Só sao sempre mornos para os outros homens (heteromente falando). Para mim as mulheres também sao mornas (ou whatever).

Acredita que para a maiorias das mulheres (obviamente que nao as dos teus posts ;-) os homens sao das mais variadas temperaturas, cores e cheiros :-) Na verdade, nunca mornos...

bagaco amarelo disse...

Sónia, lol... isso não é mau feitio... é espírito científico. :)

nat, podes ter razão... acontece que eu sou homem. :)

nat disse...

oops pois é ;) Na verdade pensei que o teu "sempre mornos" fosse num sentido "universalmente falando" :-P

E esqueci-me de dizer que o post está fantástique!
:)

bagaco amarelo disse...

nat, lol... considera uma perspectiva universal de um homem... :) obrigado