10.17.2008

a virgem mais velha de Inglaterra

Esta senhora tem 105 anos de idade e é considerada a virgem mais velha de Inglaterra. Chama-se Clara Meadmore e diz que teve várias amizades platónicas, mas nunca sentiu a vontade de ir mais longe ou mesmo de casar. Como quando era jovem o normal era ter sexo apenas com o marido, ainda é virgem. Como segredo da sua longevidade apresenta precisamente o facto de ser virgem, dizendo que o sexo envelhece.
Na verdade não acredito que o sexo envelheça. Antes pelo contrário até acredito que é um dos melhores e mais saudáveis exercícios que podemos praticar. Aquilo que envelhece é... casar. E ela nunca casou. Nunca teve discussões conjugais, nunca se cansou de partilhar o mesmo espaço com a mesma pessoa durante anos, nunca olhou para um homem como se ele fosse o dono da sua vida. Por isso é que chegou aos 105 anos...

31 comentários:

pedro disse...

Haverá outro homem solteiro com 105 que possa provar a tua teoria?
e virgem? hehe

Jorge disse...

Prefiro viver, por exemplo, só até os 80 e ter sexo, do que viver até os 105 e nunca ter feito... lol

Lita disse...

Concordo em absoluto contigo. No entanto... a senhora tem uma certa razão...;)
Fizeram-se alguns estudos sobre sexo e, pelo menos segundo estes:
- quem vive mais é quem NÃO tem sexo;
- a seguir vem os que têm frequentemente sexo;
- finalmente vêm os outros... os que o têm esporadicamente!

Joana Pestana disse...

Depois de ler os teus últimos posts, tenho uma dúvida :
Tu não dormes ?

Zé Nando disse...

Ela está com cara azeda, deve ser porque nunca experimentou o doce prazer do sexo.
O Sexo seguro é o comprimido mais saudável de toda a vida...
Viva o sexo!!! Sempre seguro!!!

Anónimo disse...

Aquilo que envelhece é: não rir, não dar a mão na rua, não fazer loucuras,não se apaixonar, não ter amores platónios ou menos platónicos, não dar abraços, não correr,não ... não qualquer coisa.
O medo ai o medo... ;)

Mary

Papinha disse...

O sexo é sem dúvida das melhores terapias...
Concordo com tudo o que disseste...o facto de não ter tido o dito stress conjugal é que lhe pode ter poupado anos de vida!!!

Beijinhos

MFP disse...

Há poucos dias em conversa com um médico amigo, ele dizia precisamente que "uma queca equivale a uma corrida de 3 km". Bem, também depende da qualidade da dita. (digo eu).
Concordo contigo em algumas comparações casamento/envelhecimento e eu já tenho alguns fios brancos de cabelo à custa do meu. Acho que tudo se resume em três palavras: “sentimento de posse”. A maioria das pessoas não admite, não aceita, que nada, nem ninguém, é de ninguém.
Se há coisas que me deixam danada, é por exemplo um desconhecido bater-me à porta e pedir para falar ”com o chefe de família”. Já tive algumas discussões à conta disso.
A sociedade ainda não conseguiu modificar os conceitos de “meu e minha”. Tem que haver sempre um chefe, alguém que manda. Comigo NÃO. Mas acho que é uma “luta” para o resto da vida.

bagaco amarelo disse...

pedro, não me parece... lol. :)

jorge, eu também. :)

lita, DST's à parte, não me parece que tenha sido um estudo científico... talvez do Vaticano ou assim. :)

joana pestana, durmo pois...e bastante. :)

zé nando, lol :)

Mary, eu concordo contigo. :)

papinha, sim, isto porque é senso comum que esse stress conjugal é que envelhece precocemente as pessoas. :)

mfp, eu acho que tens razão... mas gostava de confirmar isso com o teu chefe de família, lol. :)

Lita disse...

LOL
Na verdade foi. Já há uns anos, dei-o na Faculdade. SE acreditamos nele ou não, é outra história.

Anónimo disse...

Essa do chefe de família fez-me lembrar a "estória" da 1ª mulher a exercer o direito de voto em portugal, em 1911, por ser viúva e por esse facto ser "chefe de família". Mas a lei no ano a seguir foi mudada para: (...)Chefes de familia do sexo masculino... " E esta hein?" (Relembrado o querido Fernando Pessa)

Mary

Anónimo disse...

[Não resisto a comentar...]
Parece-me que a senhora tem 105 anos de espera...
E quando se espera, como no caso dela e não se alcança, a justificação fica-se pela negação dessa espera. (Tá confuso!?!)

Não há virgindade que traga longevidade. Nem sexo que envelheça. Nem casamento que mate. Parece-me...

[A senhora é inglesa... para mim isso justifica muita coisa.]

Essa senhora tem perdido a própria vida...e leva 105 anos de perda. O que me parece bem pesado.

Lembro-me das histórias da minha avó, que perdeu a virgindade aos 12, teve o primeiro filho aos 16, e o último aos 42. Casou aos 21, teve no total 14 filhos, tendo sido o meu avô o parteiro de todos eles. Tinha um marido tramado, que lhe dava muitas dores de cabeça (dizia ela...). Mas não conseguia prescindir dele, porque era o homem da sua vida (também dizia ela...). Morreu aos 86, quase como uma escolha, porque dizia que já tinha vivido tudo o que queria... e já não tinha ao lado o "seu homem", para lhe "moer o juízo".
Deixou uma semente bem carregada neste mundo, cujos frutos já vão em mais de 50...(contagem feita por baixo!Á pressa.)

Há vidas que se escrevem assim. Frases curtas. Frases cruas. Mas sentidas, na alma e na pele!
[Entusiasmei-me...não?...:(]

...

Mas gostei da tua análise, bagaço... és um homem com uma sensibilidade ao género (feminino).
É por isso que não tenho saído daqui nos últimos dias...
É por isso.
;)

Um beijo grande!
Ana

Fénix !!! disse...

lolol!subscrevo!

Elle.

Filomena Barata disse...

ora, pois eu acho que umas boas discussões também podem rejuvenescer! Só não vale é a matraca atrás das costas!

Pax disse...

Não deixas de ter uma certa razão...
;)

bagaco amarelo disse...

lita, hum... andaste na Católica? :)

Mary, foi a Carolina Beatriz Angelo, e foi das primeiras mulheres de que falei neste blogue, precisamente nesta etiqueta. :)

Ana, entusiasma-te à vontade. eu gostei de te ler. e tens razão: esta senhora perdeu a vida. a tua avó, duma forma ou de outra, não a perdeu, embora não deva ter sido muito fácil...
Infelizmente a estatística conta e sim, há casamentos que matam. :)

fénix, :)

filomena barata, lol... essa é uma das perguntas que eu tenho que fazer logo no início duma relação: "achas que uma discussão pode rejuvenescer?" se a resposta for sim... fujo a correr. :)

pax, pois não. :)

Joana Pestana disse...

Ainda bem que sim.
Estava só a brincar... por causa das horas em que as tuas mensagens têm sido publicadas.

Lita disse...

;)
LOL
Faculdade de Psicologia mesmo!!!!

bagaco amarelo disse...

joana pestana, eu sei... eu durmo a horas e a espaços um cadito diferentes da maior parte das pessoas... :)

lita, ena! estou espantado. :)

Anónimo disse...

Não resisto a contar a história (verdadeira)dos meus avós...
O meu avô costumava-me contar, meio constrangido meio orgulhoso, que tinha namorado com a minha avó 14 anos(dos 18 aos 32)e que só a tinha conhecido (sexualmente) na noite do casamento. E que se assim não fosse, não teria casado com ela, porque se ela "cedesse" com ele também poderia ceder com outro! :)
Os tempos hoje são outros, já nao existe este peso ligado à virgindade feminina (e ainda bem), o qual estou certa que deverá ter condicionado e complicado muito a vida a várias mulheres...
Mas a vida, as pessoas e a sociedade dão muitas voltas.
No tempo das nossas avós a virgindade era algo a manter a todo o custo até ao casamento, no das nossas mães podia ser que sim ou que não, na nossa juventude (estou na casa dos 30) essa questão quase não se colocava e agora fazem-se operações de reconstrução do hímen...
Cada vez menos compreendo as pessoas, sejam elas homens ou mulheres... :)
Sónia

bagaco amarelo disse...

Sónia, tens razão, sim. Isso é a pesada herança da nossa cultura judaico-cristã, fortalecida o século passado por um gajo que devi ter caído da cadeira logo à nascença... :)

redonda disse...

Isto fez-me lembrar a história do senhor que quando fazia 100 anos era rodeado por jornalistas interessados em descobrir o seu segredo. Na altura em que lhes respondia: "Nunca bebi uma gota de álcool na minha vida" ouviam-se uns cantares estranhos ao fundo. O senhor então prontamente tranquilizava os jornalistas: "Não se preocupem, é o meu pai, a esta hora costuma estar mais bêbado que um cacho"

Sobrevivente disse...

O que mata é 'viver mal', ou deixar de viver. Tudo o resto, só nos acrescenta algo, e por isso, nós somos, muito mais que qualquer outra coisa, o somatório das nossas vivências.

A propósito deste post, lembrei-me de uma canção.

Bebel Gilberto - Samba e Amor

De preferência ouçam. Torna a experiência mais agradável.

Fica aqui a letra.


Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho muito sono de manhã
Escuto a correria da cidade, que arde
E apressa o dia de amanhã

De madrugada a gente ainda se ama
E a fábrica começa a buzinar
O trânsito contorna a nossa cama, reclama
Do nosso eterno espreguiçar

No colo da bem-vinda companheira
No corpo do bendito violão
Eu faço samba e amor a noite inteira
Não tenho a quem prestar satisfação

Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho muito mais o que fazer
Escuto a correria da cidade, que alarde
Será que é tão difícil amanhecer

Não sei se preguiçoso ou se covarde
Debaixo do meu cobertor de lá
Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho muito sono de manhã

Lino Centelha disse...

Virgem aos 105 anos... Viver tanto tempo para quê?
No entanto parece que é tudo bom menos o casamento... Pergunto-me: quando apoiamos o casamento de pessoas do mesmo sexo é por maldade?

bagaco amarelo disse...

redonda, lol... já tinha ouvido uma versão disso, já... e sim, tem a ver. :)

sobrevivente, gosto do Bebel, sim :)

lini centelha, é uma questão de igualdade, se os heterossexuais sofrem os homossexuais também têm que sofrer... mas não é por mal. :)

Maria Manuela disse...

Antes nova mas usada do que velha e imaculada !!!


:)

bagaco amarelo disse...

maria manuela, lol. :)

Naturezas disse...

Concordo em pleno Bagaço , sortudos dos gays. Lol .

bagaco amarelo disse...

naturezas, lol. :)

MYA disse...

E vai morrer virgem, de certeza ! :)))

bagaco amarelo disse...

mya, suponho que sim... :)