10.10.2008

pensamentos catatónicos (146)

Às vezes anda-se por aí, em direcção a lugar nenhum. Tange-se o homem triste que plastifica documentos e que está sempre na mesma posição, tange-se o manequim do pronto-a-vestir que vai mudando de roupa e está sempre na mesma posição, tange-se o parquímetro que conta o tempo e está sempre na mesma posição. Depois chega-se ao destino, ao lugar nenhum onde uma vez lhe demos a mão e nos deitámos a ver o céu estrelado. Nada está na mesma posição.

9 comentários:

Anónimo disse...

Tenta-se recriar o já não existe senão nas nossas memórias...

Sónia

bagaco amarelo disse...

Sónia, é um bocado isso. :)

Lita disse...

... nada mesmo. Nem sequer nós...

MFP disse...

"A palavra foi dada ao homem para explicar os seus pensamentos, e assim, como os pensamentos são os retratos das coisas, da mesma forma, as nossas palavras são retratos dos nossos pensamentos." Esta frase é de Moliére mas podia ser tua.
Também serve para o post "a prova dos nove".

bagaco amarelo disse...

lita, exacto...

mfp, bem... nunca tinha sido tão elogiado na vida. pelo menos que me lembre... :)

terramater disse...

Era tudo tão mais fácil se não pensássemos!(ou não)

bagaco amarelo disse...

terramater, aí está um bom pensamento, só que é um pensamento... :)

Rui disse...

Pois é, aprendemos sempre da forma mais amarga essa grande verdade de que "nada está na mesma posição" nunca. E talvez não precisássemos, não é? Vida lixada...

bagaco amarelo disse...

rui, yep... embora às vezes também seja bom... que as coisas mudem, digo. :)