10.29.2008

a proximidade

Às vezes, por um momento, é possível amar a mulher que não conhecemos e com quem nunca falámos. Aquela com quem nos cruzamos timidamente no elevador do centro comercial, aquela que depois passa as nossas compras pelo leitor de códigos de barras, aquela que está à nossa frente na fila para a caixa multibanco. É possível amar a mulher que atravessa a passadeira na direcção oposta à nossa ou a mulher que se senta ao nosso lado no comboio. São amores que não o chegam a ser, mas que cumprem aquilo que amores que já o foram não cumprem mais: a proximidade.

20 comentários:

Anónimo disse...

Não é nada disso: é que esses momentos são de quem tem vontade de amar, de quem se deixa levar pelo sonho estando acordado. É bonito mas nada tem a ver com amar.
Nada!

N.

Smily disse...

A proximidade às vezes é uma doença e o que existia no inicio da relação deixa de existir e sem nos apercebermos o amor esvai-se...

Mas quanto ao que vemos na rua, também nos acontece a nós, não é só aos homens.. É aquilo que podemos chamar quimica?!
É normal...

Beijinho***

Tiago disse...

Parabéns. Grande post mesmo.

100 Sentidos disse...

Tu inspiras-me, Bagacinho...

Cerejinha disse...

Também é possível deixarmo-nos amar por esse olhar fugidio, por esse fugaz roçar de corpos, por esse sorriso que desúbito se vira para o outro lado.
Também é possível deixarmo-nos amar por esses instantes que tantas vezes ficam apenas gravados na memória...

bagaco amarelo disse...

N,, tem alguma coisa a ver com amar, sim, embora não o seja. :)

smily, é normal, sim. bjinhos. :)

tiago, obrigado. :)

100 sentidos, ando a tentar fazer o mesmo a mim. :)

cerejinha, é sim. só temo que aprender a fazê-lo. :)

MFP disse...

É possível "amar" o desconhecido e "desamar" o que temos por perto. Hoje em dia já pergunto o que será AMAR? Cada um terá a sua versão para conjugar o verbo.
E já agora é possível amar também as palavras.

Ivo disse...

eu também sou assim....apaixono-me várias vezes ao dia! :P

Patricia disse...

Pensamento poderoso, este..Concordo na íntegra.;)

Maestro disse...

gostei bastante :)

bagaco amarelo disse...

mfp, eu também me pergunto... por isso acho que é possível amar o transeunte. :)

ivo, acho isso um bom sinal. :)

patrícia, :)

maestro, obrigado. :)

Lita disse...

É possível, sim... só que tem a ver com um dos lados da laranja. Amar, para mim, é quando, mesmo que seja um bocadinho amargo, também consegues amar o outro.
Mas concordo que esses momentos efémeros dão um gosto especial á vida! :)

bagaco amarelo disse...

lita, sim... percebo a tua visão. :)

mf disse...

Muito interessante este post... Sabes... Eu acho que o que nós amamos é o sonho que essas pessoas nos permitem sonhar. Quando tudo ainda são rosas numa relação, quando tudo ainda é sonho, quando a recordação que nos fica do outro que estamos a aprender a amar é somente o perfume, o calor do toque ou o sorriso...

Fénix !!! disse...

:)

Adorei e concordo!!

Ivo, estou ctg! apaixonar-me varias vezes ao dia.. tb me acontece c frequência!:D

Elle.

bagaco amarelo disse...

mf, essa ideia é interessante... e sim, concordo. só que depois surgem mais variáveis. a paixão vai-se apagando mas a pessoa vai-se tornando num vício de todos os dias... e os vícios são difíceis de deixar. :)

fénix, estamos a concordar tanto. :)

Olga disse...

É uma espécie de amor platónico. :)

bagaco amarelo disse...

platónico e efémero, olga... :)

nat disse...

Que giro! Pensava que isto só acontecia comigo :-)

bagaco amarelo disse...

nat, eu também já pensei que era maluco. depois percebi que somos todos malucos. :)