6.03.2011

pensamentos catatónicos (251)

Uma pessoa que Ama tem a vantagem de conseguir ser feliz às vezes, mas tem a desvantagem de não conseguir evitar a tristeza outras vezes. As pessoas que não Amam andam sempre mais ou menos.
Ninguém nasce sem a capacidade de Amar. É uma coisa que se treina quando se quer desistir confortavelmente da vida. Normalmente começa-se por abanar os ombros sempre que alguém nos pergunta como estamos e cuspir entre dentes um "assim assim". Depois, a pouco e pouco, vai-se perdendo a capacidade de saborear alimentos, de desejar o calor de um abraço ou de agradecer a um desconhecido que pára o carro para nos deixar atravessar a rua. Enfim, não sorrimos mas também não choramos. É uma vida confortável, embora seja um conforto de merda que normalmente acaba sentado horas a fio em frente a um televisor onde se vai desperdiçando a vida.
Os portugueses, enfrente-se a verdade, estão cada vez mais assim, pessoas que estão sempre mais ou menos. Os sorrisos rareiam nas ruas das cidades e quando surgem são tratados como se fossem ervas daninhas, tão espontâneas quanto indesejadas. Torna-se difícil ser-se alguém que Ama, que ora está triste ora feliz, porque a tristeza e a felicidade são sentimentos que precisam de mais alguém.

19 comentários:

Miss Keatch disse...

Lindo... a vida, o experimentar de todos os sentimentos faz-nos "ser" alguma coisa mais do que pele, carne, ossos e músculo, dá-nos alma! O português sempre teve o dom da melancolia mas isso é diferente da perda irremediável de sorrisos...mas temos de desejar continuar a ser coisas com alma, senão é mesmo fácil tornar-mo-nos só coisas.

Anónimo disse...

A claridade destes pensamentos assombram-me. Obrigado.

*Lili* disse...

Eu confesso que sempre que vivo a vida, vivo com alegria, tento nunca ir me abaixo sem necessidade pois sei que tudo o que se perde recupera-se novamente, e o mesmo funciona para o amo, podemos perde-lo vezes sem conta (E sofrer muito com isso) mas sabemos que estará de volta mais tarde ou mais cedo . Mas é verdade que agora o ser humano vê-se na situação do mais ou menos... o que não me agrada muito sinceramente :(

http://realdreams-liliana.blogspot.com/

Malena disse...

Eu gosto de estar! E estar é sentir intensamente! :)) Serei estrangeira?? ;)

Sofia disse...

Desistir de amar é, acima de tudo, desistir de nós próprios e desistir da vida porque, de facto, amar deixa-nos felizes e , acima de tudo, dá-nos força para viver. Mesmo a infelicidade provocada pelo amor é preferível à passividade com que por vezes encaramos a vida.
Cumprimentos =)

Selénio disse...

Indeed...

Posso "roubar"? Com as devidas referências, claro!

Cumprimentos

Anónimo disse...

É triste, mas é verdade. Mas a esperança é a última a morrer. Também passei por uma fase da minha vida muito cinzenta e monotoma. Felizmente conheci aquela que é hoje a minha mulher...
EJSantos

Anónimo disse...

É triste, mas é verdade. Mas a esperança é a última a morrer. Também passei por uma fase da minha vida muito cinzenta e monotoma. Felizmente conheci aquela que é hoje a minha mulher...
EJSantos

bagaco amarelo disse...

miss keatch, exacto. :)

anónimo, obrigado eu, pela presença. :)

lili, :)

malena, és da minoria esclarecida. :)

sofia, exactamente. :)

selénio, só te agradeço. :)

ejsantos, boa. :)

Malena disse...

Será por votar BE?? ;)

Anónimo disse...

Caro bagaço...
Não há palavras melhores para comentar o teu texto que as do poeta...
http://youtu.be/TaLnz0SUxe8

Gostei muito
Joana

bagaco amarelo disse...

malena, espero que isso seja cada vez mais português. :)

joana, obrigado. também gostei muito. :)

Menina Princesa* disse...

Olha é mesmo istoooo :) a sério, ando há 3 dias a tentar explicar ao meu "namorado" que não é que ele não preste como teima em dizer, ele simplesmente se acomodou nesta de "não acreditar no amor, e nas relações, e nas mulheres" e parte-me o coração vezes sem conta, uns dias diz-me que eu tenho uma paciência de santa e que sabe que me vou fartar dele... outros diz que não presta e que eu mereço tudo...
E eu vou na minha ingenuidade dizendo que se não presta só tem de querer mudar... e que o q ele tem é medo.. mas sinceramente já me faltam palavras e argumentos.. logo eu que sou tão boa a argumentar... :(

Um beijinho,

p.s- vou mostrar lhe este teu texto. Não poderia estar mais perto do que eu lhe quero transmitir. :)

Pep disse...

vi há tempos num filme (Dan in Real Life, muito interessante) que "amor/amar não é um sentimento, é uma habilidade" e de facto é verdade! qd se falta aos treinos e se deixa a "coisa" passar ao nosso lado demasiadas vezes, falhamos nesse exercício e deixamo-nos ficar nessa cadência fácil de quem evita e se deixa ir, mas não será irreversível e deve haver sempre tempo e possibilidade de inverter o processo, individualmente; já colectivamente... tenho as minhas dúvidas, mas várias individualidades compõem o colectivo e se as perspectivas mudam a nossa forma de ver e estar na vida, então pequenas ideias podem mudar a maneira de ver, de estar e influenciar. é uma questão de querer e fazer acontecer!

gostei muito do blog, não conhecia!
parabéns

bagaco amarelo disse...

menina princesa, nunca acreditei que alguém pudesse não prestar. :)

pep, essa é a minha visão da coisa. também vi esse filme e acho que até falei dele aqui. :)

Fatyly disse...

Fazes um diagnóstico real da doença que sempre atacou os portugueses e nesta altura então nem se fala. ARRREEEE e de facto cada vez me sinto menos portuguesa porque nunca consegui sentir, absorver, amar, partilhar tudo o que engloba a VIDA numa de "assim-assim"!

bagaco amarelo disse...

fatyly, :)

Helena disse...

A capacidade de Amar...na sua plenitude :)

bagaco amarelo disse...

helena, :)