6.30.2011

conversa 1795

Ela - Ando triste e não consigo enfrentar isto sozinha.
Eu - Mas fazes alguma ideia do motivo pelo qual andas triste?
Ela - Não. Pode parecer bizarro mas não faço...
Eu - Não acho bizarro. A tristeza não tem sempre uma explicação óbvia.
Ela - Preciso é que o meu marido e o mundo me ouçam, acho eu.
Eu - O teu marido e o mundo?
Ela - Sim, o meu marido e o mundo.
Eu - O mundo, portanto. O teu marido faz parte do mundo.
Ela - Pois faz, mas mesmo assim digo que é do meu marido e do mundo que preciso.
Eu - Tecnicamente é a mesma coisa.
Ela - Não é nada. Sinto-me sozinha apesar do meu marido, que só fala em trabalho e nos amigos dele. O mundo é outra coisa.
Eu - Ah! Percebo...
Ela - Às tantas afinal até faço ideia do motivo que me põe triste.
Eu - Pois...
Ela - Pois...

16 comentários:

Malena disse...

O problema é que o marido NÃO faz mesmo parte do mundo! Pelo menos do dela...
:)

Senhor Geninho disse...

Às vezes o grito de ajuda chega mais cedo do que julgamos aos ouvidos de quem nos pode ajudar.

bagaco amarelo disse...

malena, exactamente! :)

senhor geninho, isso é bem verdade. :)

*Lili* disse...

Vejamos se a situação fosse entre um namorado e uma namorada (que pode ser o caso)... verificamos que aquela pequenina chama do amor se está a desligar, e parecendo que não, ela sabe de onde vem essa solidão essa tristeza... ela sabe que se trata da sua relação... apenas não o quer admitir porque tem medo de a perder :( (curiosamente estou a ler um livro precisamente assim! e é engraçado (teoricamente, porque não tem piada nenhuma) como um pessoa pode tão facilmente se desligar de uma relação...) Enfim ...

http://realdreams-liliana.blogspot.com/

bagaco amarelo disse...

lili, sim... passa por aí. :)

Sofia disse...

Ás vezes só é preciso saber fazer as perguntas certas a nós próprios.
Percebi isso quando fui a uma psicóloga a propósito de uma grande decisão que eu tinha de tomar sobre o meu percurso académico. Durante a consulta ela limitou-se a fazer perguntas e só no fim me disse a sua conclusão, numa altura em que eu já sabia o que fazer.
Obviamente saí de lá a pensar "Caraças, podia ter chegado a esta conclusão sozinha"!
Cumprimentos :)

bagaco amarelo disse...

sofia, os psicólogos podem ter a vantagem de não serem nossos amigos. :)

Little Knight disse...

Eu não gosto de me considerar burro mas juro que não percebi "patavina" desta conversa...

bagaco amarelo disse...

little knight, lol. :)

João F disse...

É curioso ler o comentário da Lili. Realmente pode-se desligar muito facilmente de uma relação, mas se já se está a desligar, porquê o medo de a perder? Penso que isso só leva a prolongar uma relação que vai acabar na mesma, a não ser que a outra pessoa se aperceba e consiga reavivar a chama.

bagaco amarelo disse...

joão f, tens razão... mas às vezes é por isso mesmo. não percebemos muito bem o que nos está a acontecer. :)

Pearl disse...

Engraçado, foi esta "solidão acompanhada" que acabou por me conduzir ao divórcio...
:o)))

Fatyly disse...

e percebeste mesmo? aqui está um sinal de alerta de alguém tão perdida... muito complicado...

bagaco amarelo disse...

pearl, é normal, isso. :)

fatyly, percebi... :)

Helena disse...

Por vezes ter consciência já é meio caminho para a resolução. :)

bagaco amarelo disse...

helena, concordo. :)