4.22.2008

respostas a perguntas inexistentes (31)

As coisas incomodam-no. Mais do que as pessoas. É como se as coisas se lembrassem sempre daquilo que as pessoas esquecem. Por exemplo, ela fechou a porta com mais força do que era habitual, disse adeus com mais intensidade do que era habitual, provavelmente para nunca mais tornar a entrar naquela casa. Agora ele olha para o cinzeiro que uma vez partiram enquanto faziam amor no sofá da sala. Ela deu-lhe um pontapé e ele caiu no chão. Tornaram-no a colar. Ela já não se lembra disso, o cinzeiro parece que sim.

6 comentários:

CCF disse...

Somos nós dentro da memória das coisas! Mas sabes, parece que para podermos viver e ser felizes temos que esquecer, que o trabalho do esquecimento é tão importante quanto o da memória.
~CC~

luadoceu disse...

quem sofre e sempre quem esta por perto, nem que seja um cinzeiro....
as coisas...sera que sentem mesmo...ou sera que as pessoas e mesmo quem sofrem,mesmo nao parecendo..e se incomodam, algo(alguem) esta mal...

joana disse...

Concordo, quando dizes que as coisas incomodam mais que as pessoas.

bagaco amarelo disse...

ccf, esquecimento... hum... acho que é mais desprendimento. :)

luadoceu, são as pessoas... os objectos ajudam :)

joana. :)

sendyourlove disse...

coisas remediadas...até podem fazer as vezes mas já não são inteiras...

bagaco amarelo disse...

sendyourlove, pois é, sim :)