4.24.2008

conversa 685

Ela - Acho que os divórcios, mais do que facilitados, deviam ser obrigatórios.
Eu - Obrigatórios?
Ela - Sim, qualquer casal depois de alguns anos de casamento tinha que se divorciar. Obrigava as pessoas a mudar de parceiro e éramos todos mais felizes. Já viste o que é andar uma vida inteira com o mesmo homem ou com a mesma mulher?
Eu - Há quem goste.
Ela - Não há nada. Há quem finja que gosta. É doentio...
Eu - E se alguém quisesse mesmo continuar com o mesmo parceiro?
Ela - Olha, o casamento podia ser uma espécie de contrato temporário, renovável passados alguns anos se ambos o quisessem. Acabava-se até com o divórcio.
Eu - Ah!
Ela - Achas que estou a ser estúpida?
Eu - Por acaso acho que não. Essa ideia não é assim tão estúpida como à primeira vista pode parecer.

18 comentários:

i disse...

Com um medidor de alegria tipo aparelho para ver a pulsaçao.
Se registasse valores preocupantes de alegria ao aproximar a hora do fim do contrato: divórcio automático!
:)

vita disse...

lol..essa tua amiga tem umas ideias giras..tem tem..;))

A Outra disse...

Por acaso, já houve quem fizesse essa proposta. Não me lembro onde, mas foi noutro país (Alemanha, acho eu) em que uma psicóloga lá afirmou que um casamento devia ter tempo estipulado de 7 anos com opção de renovação ou não após essa altura. 7 anos... os temidos 7 anos....
Interessante perspectiva da coisa.
Mas, como diz a tua amiga, se é doentio querer-se ou gostar-se de(ou fingir-se gostar) estar sempre com a mesma pessoa, a melhor solução não seria não casar sequer??? Não? Se ninguém é (ainda) obrigado a divorciar-se, então é mais certo ainda que ninguém é obrigado a casar-se...

solo disse...

há anos que defendo essa teoria.

o casamento devia ser como o IRS, de declaração anual, em cada ano entregava-se a intenção de o continuar, ou não, dependendo dos "rendimentos" desse ano =)

moi chéri disse...

não é nada, nada estúpida.
parece-me até muito bem! acabava-se com uma série de chatices...

mariana disse...

Cá em casa no outro dia surgiu exactamente a mesma ideia, quando discutiamos a questão da nova lei. Os casamentos deveriam ter validade de alguns anos, após os quais se poderiam renovar ou não. Faz muito sentido nos dias de hoje e evitar-se-iam confusões, anos de disputas e outros que tais.

*
mariana

bagaco amarelo disse...

i, lol, até era giro ver o pessoal cada vez mais feliz. só isso já justificava a medida. :)

vita, pois tem. E futuristas... :)

a outra, sim, lembro-me de qq coisa. a questão é que acho que ela acha doentio gostar-se sempre da mesma pessoa, mas não acha durante determinado tempo. :)

solo, lol, isso era fixe, e havia os casados por conta de outrem e os casados por conta própria. :)

moi chéri, pois acabava... ainda acabo a fazer um abaixo assinado. :)

mariana, ena... estou a ver que isto é uma ideia a germinar em vários sítios... :)

Pedro disse...

Estou a gostar do modo dessa tua amiga pensar!LOL
Pelo menos acerca desse assunto.
Abraço

Afrodite disse...

Hmmm...continuo a pensar na laranja :)

Abreijos

bagaco amarelo disse...

pedro, eu por acaso acredito que se poia levar isto a sério. :)

afrodite, lol. abreijos. :)

i disse...

Pior, pior, era se cada vez que o dia de trabalho corresse bem ao maridinho e ele voltasse contente... levasse com o rolo da massa!
:)

bagaco amarelo disse...

i, mas não levava... ela tb andaria feliz. :)

maria_arvore disse...

Ah! Finalmente mostras uma mulher que eu compreendo. ;)

bagaco amarelo disse...

maria árvore, não há forma de não compreender esta mulher. :)

mi disse...

O casamento e um contrato. pergunta: as pessoas precisam de assinar um contrato para serem felizes? se sim e ate ja sabem o prazo que melhor serve a grande maioria dos intervenientes... alterem. A forma contratual, a meu ver, teve apenas a preocupacao de regrar os bens materias. Gosta-se e deixa-se de gostar das pessoas (pq se muda, pq o outro muda, pq mudam ambos em sentidos diferentes...) e o contrato nd tem a ver com isso. A nao ser q algumas vezes proporcine uma sensacao de protecao dos materias, outras serve para desenvolver uma verdadeira guerra. eu prefiro minimizar o numeros de contratos na minha vida:)

bagaco amarelo disse...

mi, eu acho que o casamento actual é só um contrato, sim. Com o diabo, lol. Também acho melhor minimizar o número de contratos :)

i disse...

Seria um mundo feliz!
...
Pena ter de casar para se poder ter um divórcio feliz!
:)

bagaco amarelo disse...

i, lol, há sempre um senão... :)