2.22.2011

conversa 1721

Ela - Eu já não amo o meu marido nem o meu marido me ama a mim, é a verdade.
Eu - E já falaram nisso?
Ela - Não, acho que nunca vamos falar, assim como também nunca nos vamos separar.
Eu - Porquê?
Ela - Porque somos muito amigos.
Eu - Quem acha que a amizade e o Amor são coisas parecidas, na minha opinião, está muito enganado.
Ela - Talvez não sejam bem o mesmo, mas confundem-se.
Eu - Eu não confundo nada. Acho que a amizade cabe no Amor mas o Amor não cabe na amizade. É mais ou menos isso.
Ela - Talvez. Estás a aconselhar-me a separar-me do meu marido?
Eu - Não, não estou. Estou a dizer-te que acho que estás a optar por viver com um amigo e por não viver um Amor. Não te estou a dizer que isso é bom nem mau.
Ela - Pois estou, mas como antes do meu marido vivi um Amor violento, que me ia destruindo, agora acho que estou muito bem assim.
Eu - Acho isso estranho.
Ela - O quê?
Eu - Acho que a amizade cabe num Amor mas a violência não. Nunca chamaria Amor a uma relação violenta.
Ela - Mas eu chamei, não devia ter chamado mas chamei. E sinceramente acho mesmo que Amor pode ser violento e ser Amor na mesma.
Eu - Achas?
Ela - Acho. O Amor é o expoente de todos os nossos sentidos. Nunca foste violento com uma mulher que amasses?
Eu - Já tive discussões mas nunca agredi nenhuma e tenho a certeza que nunca o vou fazer.
Ela - Lá está. Já tiveste discussões.

19 comentários:

Briseis disse...

Hum... cheira-me que só passando por elas é que se consegue entender a confusão que vai naquela cabeça... não lhe invejo o dilema!

bagaco amarelo disse...

briseis, a mim cheira-me que às vezes as fronteiras entre Amor, Amizade e o que mais houver, não assim muito óbvias. :)

Joana disse...

Bagaço, concordo plenamente: A amizade cabe no Amor mas o Amor não cabe na amizade! E muitas vezes custa nos ver isso ou, simplesmente, muitas vezes não queremos ver ou acreditar nisso...

Cumps.*

bagaco amarelo disse...

joana, também acho que é verdade, mas às vezes dá jeito fingir... e isso até é legítimo. :)

Eli disse...

Às vezes, a maneira como vemos correctamente o "Amor" pelo outro também depende muito do outro. Se o sentimos, mas depois não se verifica aquilo a que podemos chamar comunicação/sonsolidação, a pessoa até pode gostar muito mas sente-se presa à "ausência de atitudes" da outra pessoa.

Ena, agora a minha veia (só veia) de psicóloga falou alto!

lol

:)

bagaco amarelo disse...

eli, pois é... mas há tantas variáveis nessa equação (personalidade, fase da vida, idade...) :)

Eli disse...

Por isso é que às vezes reparo que as pessoas não amam porque não querem. Amar é dar e está sempre tudo a pensar no que pode receber (ganhar) com a relação...

:)

bagaco amarelo disse...

eli, o que me parece é que só queremos o bem dos outros quando ele nos faz felizes, e portanto só damos quando isso nos faz felizes. é sempre dum egoísmo brutal, isto. :)

Fatyly disse...

"Acho que a amizade cabe no Amor mas o Amor não cabe na amizade." isto já foi mote para muitas discussões (no bom sentido) porque discordo, já que o Amor cabe na amizade porque se assim não fosse, quando existe mesmo amor não é por acaso que quando se separaram porque o Amor morreu ficam amigos, mas o mais aberrante é por vezes "darem uma escapadinha" (aqui fico com os cabelos em pé":)

Discussões há sempre e por vezes são saudáveis...mas violência fisica jamais admitiria mas compreendo "o medo e o silêncio" que muitas e muitos sentem e aguentam, aguentam até...que deus me guarde!

bagaco amarelo disse...

fatyly, esse é outro amor, esse que cabe na amizade. :)

Framboesa disse...

Violencia física e amor, nem cabem na mesma frase... pelo menos o "meu" amor não o permite (embora ás vezes me apetecesse mandar-lhe com um tacho acima) (pensando bem não) (xiça, até fiquei com dor na consciencia...vou ligar-lhe a dizer que o amo muito)

bagaco amarelo disse...

framboesa, também acho isso. :)

maria disse...

Isto do Amor tem tanto que se diga...e sinta...

A Amizade tem tanto que se diga...

Do Amor de Amizade, então...

bagaco amarelo disse...

maria, tudo tem muito que se lhe diga, por isso é melhor começarmos já a dizer qualquer coisa, a ver se chegamos lá um dia. :)

Rana disse...

Um casamento saudável tem sempre pequenas discussões. Mas, violência física ou verbal, jamais.
Amizade é bem diferente do amor e não se pode confundir. Amor é amor e mais nada.

bagaco amarelo disse...

rana, :)

Nawita disse...

Os casais percorrem um longo caminho juntos, criam-se laços, outros que os amorosos e da paixão, são verdadeiros cúmplices, por vezes a paixão esfria, aí as pessoas têm que ver se tudo o resto, aquilo por que passaram e alcançaram, é suficiente para manter o casamento.
Custa-me aceitar ver alguém a viver um casamento sem paixão, sem o amor eros, mas infelizmente isso acaba por acontecer, o que não quer dizer que o mesmo casal não se volte a apaixonar um pelo outro (já aconteceu, eu vi).

Quanto às relações violentas, acredito que haja amor entre alguns casais que não sabem viver sem violência, existe também muita doença.

lili disse...

Se vai continuar a procurar o amor eterno, vai acabar sozinho.

bagaco amarelo disse...

nawita, concordo, mas quem não sabe viver sem violência, que aprenda. :)

lili, pois vai... :)