2.03.2011

conversa 1707

Ela - O amor devia ser sempre o nosso último reduto e eu acho que nunca tive isso.
Eu - Último reduto?
Ela - Sim. Gostava de namorar com um homem que me desse razão mesmo quando eu não a tivesse.
Eu - Assim sem mais nem menos? Dava-te sempre razão e pronto?
Ela - Claro, isso queria dizer que ele gostava de mim mesmo com os meus defeitos.
Eu - Uma coisa é ele gostar de ti com os teu defeitos, outra coisa é ele gostar dos teus defeitos em si.
Ela - Não é nada.
Eu - É sim, são coisas diferentes. Eu acho que posso gostar duma mulher com o que, na minha opinião, possam ser os seus defeitos. Mas isso não quer dizer que eu goste desses defeitos. E na verdade, é o que eu espero duma mulher que goste de mim: que me aceite com os meus defeitos. Mais nada!
Ela - Mas o amor verdadeiro nem defeitos vê.
Eu - Não vê nos primeiros dias. Depois passa a vê-los num instante.
Ela - Bem, eu ainda nem sequer te amo e já estou a ver que tens esse enorme defeito de achar que no amor se vê defeitos.

19 comentários:

Andreia disse...

Mas que raio.
Credo, não concordo nada com ela. Amor é amor, tudo bem, mas não é por se amar que se deixa de ver os defeitos. Acho é que, quando amamos, aprendemos a viver com a maioria dos defeitos da pessoa, isso sim.

Mas é bom que haja defeitos, senão era tudo demasiado perfeito, e isso seria muito chato.

Beijos *

xarmus disse...

O que são defeitos para uns...podem ser qualidades para outros... e há defeitos em pessoas que encaixam muito bem com os defeitos de outras... e até há características que são defeitos nuns dias e qualidades noutros... enfim, é relativo.

Anónimo disse...

Passamos a amar não quando encontramos uma pessoa perfeita, mas sim quando aceitamos ver perfeitamente uma pessoa imperfeita.
Beijo x
P.S.

crise disse...

Pois eu não gostava de namorar com um homem que me desse razão mesmo quando eu não a tivesse ,gostava de namorar alguém que me disse-se não tens razão por este motivo e por este motivo.
Amar alguém também é ajudar o outro a preceber que não está sempre certo em tudo .
Amar alguém é aceitar a outra pessoa como ela é , inteira , com defeitos e virtudes , tudo incluído , o amor vê os defeitos sim senhor , e aceita-os ou não , conforme a intensidade desse mesmo amor , amar alguém não implica mudar o outro , ou mudar-se a si mesmo para agradar à outra pessoa , implica isso sim uma troca de conhecimentos e de valores e cedências de parte a parte qunado necessário e em nome de um amor maior .

bagaco amarelo disse...

andreia, concordo, :)

xarmus, exacto, acho que este conversa é nesse pressuposto. :)

anónima, :)

crise, :)

redonda disse...

:)
E também podem ver-se os defeitos e gostar-se desses defeitos.

bagaco amarelo disse...

redonda, concordo. :)

pois disse...

Meu caro, o seu texto fala em duas coisas distintas e interessantes: o dar razão e os defeitos. Os defeitos não têm que ver com a razão embora a perda de razão possa ser um defeito, se for muito habitual.
Pessoalmente não admiro muito a imparcialidade e costumo pender para onde inclino (dar razão) mas detectos os defeitos e concordo que gosto (não utilizo amar) mesmo com os defeitos

bagaco amarelo disse...

pois, eu admiro a imparcialidade, admiro-a tanto que sei que às vezes não o consigo ser. :)

Cármen disse...

Não percas a esperança, nem todas as mulheres são assim... u_u (embora seja deprimente.)

bagaco amarelo disse...

cármen, não perderei. :)

Nawita disse...

Um homem que me desse razão, apenas porque sim, porque me ama, seria motivo para nunca mais o querer ver.
O amor pode, no inicio, ser cego, agora dizer que o amor embrutece, isso é que não.


Quanto aos defeitos, quando amamos alguém, é no seu todo, os defeitos, as diferenças, fazem parte.

bagaco amarelo disse...

nawita, gostei dessa cautela com o embrutecimento do Amor. :)

Nawita disse...

:)
eu quero acreditar que, apesar de ser egoísta, o amor também nos deixa livres de não termos medo de dizer / fazer o que pensamos, mesmo que isso não vá de encontro ao que o outro pensa / quer, assim como aceitar as opiniões do outro.

bagaco amarelo disse...

nawita, fazes bem, até porque a questão não passa por acreditar, passa por achar que deve ser assim. :)

Fatyly disse...

Não concordo nada com ela, mas com mais maturidade talvez mude de opinião mas subscrevo totalmente com a tua visão! Maisnada:)

bagaco amarelo disse...

fatyly, isso também depende de cada um, acho eu. da personalidade e assim... :)

Rana disse...

O amor é cego, diz o ditado. Mas não é, não! Porque com o tempo, os defeitos vêm ao de cima, mesmo amando. Aceitar as diferenças, conviver com elas, compreender que nós todos temos defeitos, isso é amar. Para amar é preciso permitir e aceitar.

bagaco amarelo disse...

rana, :)