2.10.2009

respostas a perguntas inexistentes (52)

Dá-se demais. Tem a sensação que se dá constantemente demais. Trabalha demais, preocupa-se demais, pensa demais, corre demais. Apenas vive de menos. Separou-se há alguns anos e, desde então, a vida tem sido apenas um adiar constante, qual cenoura fugitiva dum asno ansioso.
Dá-se demais. Hoje acordou da mesma forma que amanhece todos os dias: apenas porque a Terra gira em torno de si mesma e não há forma de o impedir. Logo à noite vai anoitecer mais uma vez, na cidade e nele, e não há forma de alterar esta rotina do cosmos.
Dá-se demais. É a terceira vez que lambe a colher ainda com restos do pastel de nata que devorou durante o café da tarde. Há muito tempo que não sentia o sabor de nada e ainda nem se tinha apercebido disso. Apercebeu-se agora, quando uma mulher se levantou da mesa ao lado e lhe sorriu antes de sair.

13 comentários:

RPM disse...

Tá combinado. Quando o encontrar, dou-lhe um bocadinho meu.

bagaco amarelo disse...

rpm, telefona-lhe. :)

joaninha versus escaravelho disse...

Isso é um vazio que ele sente lá no fundo? Quase no estômago?...
A solução que conheço para isso é a paixão ou a aceitação do "eu sozinho também estou muito bem".
Esta segunda é a minha preferida (princípio para se estar bem com alguém).
Acalma até chegar a primeira. :)
Porque é que muita gente julga que só pode ser feliz com alguém ao lado?

bagaco amarelo disse...

joaninha versus escaravelho, o problema é esse: haver duas soluções. ou seja, não há nenhuma. :)

Nokas disse...

(...)"cenoura fugitiva dum asno ansioso" (...)
Admito que nunca tinha posto as coisas nesta perspectiva ;)
bjos

joaninha versus escaravelho disse...

Não percebeste.
Enquanto não te apaixonas, acreditas em ti...
Repito que, saber estar só é fundamental para se saber bem o que se quer do outro.
As relações falham muito porque esperamos sempre demais do outro ou porque queremos que o outro seja igual a nós. Ou por motivos externos. Sei lá, pode ser tanta coisa! Acho...
Se calhar é por isso que não me apaixono. Ainda não encontrei o "perfeito". Mas o perfeito segundo os meus valores.
Também pode não haver... é um risco.
Mas, por agora, sinto-me bem assim.
E não penso muito nisso. Nem procuro... :)

Anónimo disse...

Quando o encontrar, se o reconhecer, dou-lhe o meu melhor sorriso...dizem que faz milagres...talvez lhe dê um calorzinho no peito...

Maria João

bagaco amarelo disse...

nokas, lol, estou espantado por nunca o teres feito. :)

joaninha versus escaravelho, se te sentes bem assim, ainda bem. eu gosto de alguns defeitos nas pessoas. só alguns, claro, até porque eu também os tenho: :)

maria joão. :)

joaninha versus escaravelho disse...

Desisto! Por vezes sinto-me uma habitante do Burkina Faso. :)

bagaco amarelo disse...

joaninha versus escaravelho, lol. tens razão. deixa lá, não te chateies. é o que dá eu estar numa reunião chata a actualizar o blogue o mesmo tempo. pelo menos adoro burkina fasso. :)

joaninha versus escaravelho disse...

Eu sei. E estava a ver se te chateava porque decidi ir aqui http://desciclo.pedia.ws/wiki/Burkina_Faso
e fartei-me de rir.
Vai lá ver qd puderes.

Anónimo disse...

A cenoura não foge...o asno é que está tão ansioso que pronto, sente que é ela quem foge. Ela está lá à espera que ele esteja pronto.
E como tudo leva o seu tempo...um dia o asno vê e agarra a cenoura,e são as pequenas (grandes) coisas que o vão preparando. Como um sorriso!
Moura

bagaco amarelo disse...

joaninha versus escaravelho, eu adoro o mali e burkina fasso por causa da música, essencialmente. se bem que gosto de quase toda a música do deserto... :)

moura, não foge... mas também não se aproxima. :)