2.04.2009

a morte por amor


Suicide (Fallen Body), Andy Warhol

O trabalho realizado em 1962 por Andy Warhol, Suicide (Fallen Body), é na verdade a manipulação de uma fotografia tirada por Robert Wiles no dia 1 de maio de 1947. Pelo seu sentido de oportunidade, a fotografia foi publicada algumas semanas depois na revista LIFE com a sua história por trás:

No dia um de Maio, logo depois de deixar o seu noivo, Evelyn McHale de 23 anos de idade escreveu uma nota. "Ele está muito melhor sem mim... ... nunca serei uma boa esposa para ninguém…" Depois dirigiu-se à plataforma de observação do Empire State Building. Através da neblina olhou para a rua, 86 pisos mais abaixo. Então saltou. Na sua desesperada determinação conseguiu o que pretendia e ao chegar ao solo o seu corpo embateu numa limusina das Nações Unidas estacionada. Do outro lado da rua, um jovem estudante de fotografia, chamado Robert Wiles, ouviu um som como que duma explosão. Apenas quatro minutos depois da morte de Evelyn McHale, Wiles obteve esta imagem de violência e serenidade na morte.


Robert Wiles

18 comentários:

Jeanette Zork disse...

Impressionante...uiii que arrepio
:(

Amar é viver...penso...

mas quem sou eu?

Vida Hi-fi disse...

O que me parece preocupante é que morrer e matar por "amor" ainda se use.

ComoHacerElAmor disse...

a fotografia é a arte de pegar um instante numa imagem jamais esquesida.

Doce Veneno disse...

Tocou-me.

Imagem esplêndida.

Como a morte consegue ser algo tão sereno...

Beijo

bagaco amarelo disse...

jeanette zork, eu não sei o que é. mas acho que as pessoas têm o direito de fazer o que quiserem à vida... mesmo que seja acabar com ela. :)

vida hi fi, ainda se usa, sim... se calhar é o motivo que mais facilmente nos tira do sério. :)

como hacer el amor, :)

doce veneno, nesta fotografia parece, sim. :)

Vida Hi-fi disse...

E será que esse motivo se chama realmente Amor?...Essa justificação faz-me lembrar um pouco a motivação de algumas mortes ao longo dos séculos - em nome da Fé...
Já quanto a tirar-nos do sério... inteiramente de acordo! ;-) Mas, nesse caso, que em vez de gerar morte que gere vida!

Olga disse...

Ela não se matou por amor. Matou-se por ter uma baixa auto-estima, daí escrever que não daria uma boa esposa para ninguém.
Quem sabe se o noivo lhe tivesse dito ou mostrado que gostava dela, esta foto não estaria aqui agora.

provocação disse...

A morte é serenidade, nós é que a tornamos numa coisa horrível devido ao pânico que nos provoca o desconhecido juntamente com todo o apego material que temos e que não nos permite estar abertos à naturalidade das coisas....

bagaco amarelo disse...

vida hi fi, percebo a tua visão. até concordo parcialmente com ela. :)

olga,idem vida hi fi. :)

provocação, essa é uma parte da verdade, sim. :)

Usuale disse...

"Eu queria ser uma lágrima para nascer nos seus olhos, deslizar na sua face e morrer nos seus lábios."
Autor: (Victor Milech)

Fonte:
http://www.frasesnaweb.com.br/amor/3/

bagaco amarelo disse...

usuale, obrigado. :)

indigente andrajoso disse...

curioso o facto das mulheres se descalçarem antes de se matar...

ou isso ou os sapatos voaram na queda...

enfim

bagaco amarelo disse...

indigente andrajoso, descalçarem-se em voo ainda é mais curioso, lol. :)

calamity disse...

Gosto dos que não sabem viver...dizia o O'Neill.
Não sei. Nem quero saber se é coragem ou covardia. :)
Eu, por mim, perdi-lhe o direito - e nisso tenho opinião formada, É um direito - desde que tenho uma âncora pequenina :)

calamity disse...

Bagaço:
em voo pode-se fazer...uma data de coisas ;)

bagaco amarelo disse...

calamity, é verdade que em voo se pode fazer muita coisa... mas eu continuo a gostar do O'neill. :)

calamity disse...

So do I.
:D
abreijos

bagaco amarelo disse...

calamity, :)