11.29.2012

respostas a perguntas inexistentes (236)

talvez amanhã

Sem perceber como, a Ana já perdeu a conta aos dias em que espera ansiosamente por um dia melhor. O seguinte, se possível. Agora tornou a dizer-me que talvez amanhã. Talvez amanhã consiga dormir até mais tarde, talvez amanhã tenha um dia no emprego sem pressões, talvez amanhã consiga dez minutos para ir ver o Sol pôr-se na praia, talvez amanhã encontre alguém.
"Alguém" é um pronome indefinido, digo-lhe eu. Tão indefinido quanto esse "talvez amanhã". Termos a vida indefinida pode ser uma de duas coisas: ou uma maravilha ou um pesadelo. A indefinição nunca é assim assim. A indefinição no trabalho, no Amor e nos nossos pequenos vícios é apenas a vida a dizer-nos que está viva. Que ainda não morreu.
Quando estamos sós, lutamos todos os dias para definir a nossa solidão, se possível terminando com ela. Quando estamos apaixonados e Amamos alguém, lutamos para que o Amor não se defina com o tempo que passa. O amor não se pode definir nem passar a ser corriqueiro. É um snobe, o sacana, e quer sempre ser a coisa mais importante da vida de cada um.
Talvez amanhã.

8 comentários:

Fatyly disse...

A ansiedade é lixada e como amanhã não sei se acordo...tento fazer e lutar hoje que acordei:)

Habituei-me a viver assim...e futuro? sei lá eu o que me reserva...

Bagaço Amarelo disse...

fatyly, o presente, às tantas, é mesmo o mais importante. :)

Mam'Zelle Moustache disse...

Olha, não sabia que o amor era francês... ;p

(esta foi fraquinha, admito...)

Bagaço Amarelo disse...

Mam'Zelle Moustache, eu percebi. :)

Mam'Zelle Moustache disse...

;)

Bagaço Amarelo disse...

Mam'Zelle Moustache, :)

Carmo disse...

Pois é... o amanhã não existe, é melhor viver tranquilamente com o hoje, ou seja pensar que o que se quer vai acontecer hoje e não amanhã.

Bagaço Amarelo disse...

carmo, cada vez tem que ser mais assim, ou uma pessoa dá em maluca. :)