11.19.2012

respostas a perguntas inexistentes (231)

A Ana é uma mulher bonita. Como a conheço há alguns anos, já tinha reparado nisso muitas vezes. No entanto hoje, quando vi o seu reflexo na montra dum pronto-a-vestir, reparei duma forma diferente. Foi como se tivesse consciencializado pela primeira vez esse pensamento. Ali, do outro lado do vidro, a sua imagem misturava-se com a inquietante quietude dos manequins e ganhava vida. 
Por um momento percebi o motivo pelo qual me costumo apaixonar por aí, de vez em quando, como quem bebe uma cerveja ou acende um cigarro na rua. Uma mulher faz com que todos os outros se assemelhem, por um momento que seja, a manequins. É ela quem ri, é ela quem chora, é ela a única que provoca no nosso corpo uma resposta emocional. Todos os outros são apenas bonecos que vestem uma roupa qualquer.
Ela estava a vestir o casaco e o reflexo dos nossos olhares cruzou-se por uma fracção de segundo. Vi-a sorrir. Tínhamos acabado de tomar o pequeno-almoço e eu só estava à espera de me poder despedir dela, numa despedida que fosse mais do que um simples acenar de mão ou um "até à próxima". Acabou de vestir o casaco e abracei-a.

- Com que então achas que é uma trabalheira... - disse eu enquanto abria os braços para a deixar fugir como se fosse um pássaro a fugir da gaiola.

Ela tinha comido uma torrada e bebido um sumo de laranja natural, eu tinha-me ficado por um café expresso sem açúcar. Mesmo assim demorámos mais ou menos o mesmo tempo a ingerir os pedidos. Ela ainda come e fala tão depressa como quando a conheci, há alguns anos atrás, e saímos juntos durante duas ou três semanas.
Esteve a explicar-me porque é que nunca mais saiu com ninguém. É que dá uma trabalheira envolver-se emocionalmente com um homem. É o trabalho de lhe conhecer o passado, o trabalho de enfrentar tudo aquilo vai descobrindo que não se gosta nele, o trabalho de desenhar o futuro a dois.

- Sozinha é tudo tão mais fácil! - concluiu

Ia perguntar-lhe qualquer coisa, mas desisti. Perante a prenda que era estar a vê-la a vestir o casaco, não me ia dar ao trabalho...

13 comentários:

Quase nos "entas" disse...

Além de bonita é esperta!!
Ou não...
ainda ando a investigar...se estar sozinho é assim tão bom como gostamos de pregar :)
mas eu...infelizmente...não me apaixono assim....facilmente
beijinho Bagaço

Mam'Zelle Moustache disse...

"Sozinha é tudo tão mais fácil!" Assino por baixo!!

Bagaço Amarelo disse...

quase nos "entas", decidi que o melhor é estar como estou, com alguém de quem se gosta mas, ao mesmo tempo, com espaço para estar uns dias sozinho... :)

Mam'Zelle Moustache, eu assino com dúvidas. :)

redonda disse...

Normalmente penso precisamente o contrário, que a dois é tudo mais fácil :)

Bagaço Amarelo disse...

redonda, eu já nem sei... :)

M disse...

Já diz o ditado,mais vale só que mal acompanhado. Quando não é esse o caso a dois é melhor.

Como sempre, muito bom. Gosto muito de passar por aqui, as vezes dá direito a umas gargalhadas, outras dá que pensar, mas é sempre muito bom. :)

Bagaço Amarelo disse...

M, obrigado. :)

Odracir Sotnas disse...

Mais vale só que mal acompanhado...
as vezes custa deixar tudo...
Mas sofrer não serve de nada se não for para valer a pena.
Um abraço

Bagaço Amarelo disse...

odracir sotnas, nunca sabemos... abraço. :)

Ana 100 Sentidos disse...

A Ana é esperta!
Dá uma trabalheira descomunal e é mais fácil. Mas a recompensa é muito maior também.

Bagaço Amarelo disse...

Ana 100 sentidos, :)

Fatyly disse...

Por um lado é tudo mais fácil sim senhora...mas por outro, há momentos que sabe bem ter companhia!

Bagaço Amarelo disse...

fatyly, é isso, sim. por isso é que é bom ter uma relação que permite ambas as opções. :)