11.05.2012

respostas a perguntas inexistentes (225)

Fiz um chá de hortelã esta manhã. Antes de o beber, sentei-me no sofá a aquecer os dedos das mãos na chávena fumegante. Em silêncio total. A Raquel não sabe, mas por um momento apeteceu-me que ela estivesse ali ao meu lado só para encostar a cabeça no ombro dela por uns segundos.
As cortinas da sala estavam corridas e filtravam a luz do Sol que entrava, tingindo de vermelho o início do meu dia. Liguei o computador para começar a trabalhar assim que os ovos cozessem, e perdi-me numa floresta de pensamentos e associações de ideias. Desemprego, projectos pessoais e profissionais a realizar, compromissos políticos para cumprir, uma filha para educar e uma mãe que foi operada pela segunda vez em pouco tempo.
A água estava a ferver. Saí dessa floresta para ir buscar os ovos que, ao bater na panela, emitiam um som inquieto. Os meus dedos aquecidos mergulharam então na água fria com que os arrefeci. Tirei a casca a um deles e comi-o em apenas duas dentadas. Guardei os outros no frigorífico. Estalei os dedos, confusos por dois choques térmicos seguidos, e sentei-me a trabalhar. Não consegui.
Peguei no telefone e liguei à Raquel para um número cujo tarifário é, para mim, gratuito. Falámos um minutos ou dois e desliguei. Trabalhei quatro horas seguidas. As mulheres têm a mania de não perceber o quão importantes são no funcionamento na vida dum homem, na ignição dos seus pensamentos e acções. É por isso que parecem sempre tão longe, mesmo quando estão perto.

8 comentários:

Eva Maria disse...

A maioria das mulheres que sabe disso usa esse poder para o mal. Ainda bem que a Raquel não o sabe :)

Pedaços disse...

E de repente fez-se luz...

Bagaço Amarelo disse...

eva maria, que perigo. :)

pedaços, :)

Eli disse...

Gostaria de um dia ser um clique de alguém, confesso. E... sabes... que não demorasse muito a acontecer.

Fatyly disse...

Como a maioria...infelizmente tens a camioneta cheia de areia e quando assim é...e ainda bem que existe a Raquel.

Fiquei a pensar no comentário de Eva Maria e dou-lhe uma dose de razão, embora e felizmente acho que não é pratica da maioria das mulheres.

Força amigo p'ra frente é que é o caminho!

Bagaço Amarelo disse...

eli, percebo isso tão bem: :)

fatyly, da maioria não é certamente. :)

Alice in Pigland disse...

gostava de perceber melhor isto:

" As mulheres têm a mania de não perceber o quão importantes são no funcionamento na vida dum homem, na ignição dos seus pensamentos e acções. É por isso que parecem sempre tão longe, mesmo quando estão perto."

Bagaço Amarelo disse...

alice in igland, afastam-se de um homem porque não percebe o quão perto está um homem perto delas. :)