5.02.2012

respostas a perguntas inexistentes (206)

Teolinda

A Teolinda gostava secretamente de mim. Tenho a certeza. Todos os dias, sem excepção, me cruzava com ela na rua que ligava o hospital ao jardim das árvores grandes. Todos os dias, sem excepção, ela fingia que não me via e continuava o seu passo apressado a fingir que tinha para onde ir. Não tinha, e eu sabia-o. Sabia também que era por falta de coragem que ela desviava o seu olhar do meu. Às vezes sorria timidamente, outras vezes não.
Eu acordava todos os dias bastante cedo, penteava-me e fazia a barba, punha umas gotas do after-shave do meu pai e treinava um ar bem disposto no espelho do elevador. Tudo para o caso de ela ganhar coragem e decidir falar-me. Bastava que me cumprimentasse uma vez que fosse e eu dir-lhe-ia o quanto também gostava dela, mas nunca o fez. Por falta de coragem, tenho a certeza. Foi uma pena.
Ficou a chamar-se assim, Teolinda, naqueles dias em que deixou de passar por ali e eu, doente, passava os dias dum lado para o outro à espera de a encontrar. Devo ter feito aquela rua umas centenas de vezes, na esperança de passar por ela para fingir que nem a via e que ela, uma vez que fosse, não fizesse o mesmo que eu. Nunca mais aconteceu, e por isso dei-lhe o nome que sempre me pareceu ter. Teolinda.

11 comentários:

H. Santos disse...

Essa falta de coragem. Toda a gente tem uma Teolinda na vida e há outras que até têm nomes, mas continuam a ser Teolindas, porque não houve coragem para mais xD

Bagaço Amarelo disse...

h. santos, pois... acho que sim. houve uma altura que achei que era só eu. :)

Olga disse...

Nem o Red Bull resolve esse problema.

Sara Soares disse...

Quer queiramos quer não é mulher. E mulher gosta de homem com iniciativa, se está interessado capaz de chegar lá e falar.

Eli disse...

Devias ter-te encorajado...

H. Santos disse...

Não és nada o único, é quase toda a gente, homens e mulheres...

redonda disse...

E que nome é que a Teolinda poderá ter inventado para ti?
Depois de tanto esforço para parecer que te via e ignorava sem que nem uma única vez fosses ter com ela!
A não ser que ela seja míope...

Bagaço Amarelo disse...

olga, lol. :)

sara soares, o tempo ensinou-me isso. :)

eli, actualmente acho que a vida me correu pelo melhor. por isso. :)

h. santos, agora também acho... :)

redonda, no meu nome ninguém acerta... :)

Fatyly disse...

Pois e poderia ser também Teolinda para outros não é? Pois meu amigo eu também tive um ou dois que apelidei de "Meolindo" e na altura vencia o que usava o Old Spice (é assim que se escreve?) mas nunca me ligou. Só mais tarde é que descobri quando o vi com óculos...afinal sofria de miopia aguda:)

Idades maravilhosas:)

aNaMartins disse...

Gosto de ler as tuas histórias, no fundo são quase comuns a toda a gente... porquê que nunca damos o primeiro passo, o de passar a timidez. quem não arrisca não petisca. E tiveste criatividade para o nome :P

Bagaço Amarelo disse...

fatyly, lol! essa da miopia aguda está gira. acho que passei a vida a apaixonar-me por mulheres míopes. :)

ana martins, obrigado. :)