5.29.2012

por todos nós...

Por uma vez serei mais do que sério. Por mim, pela minha filha, por este país, por todos os que por aqui passam. Enfim, pela liberdade. Passo a transcrever uma mensagem do senhor João Penha-Lopes, pai desta menina agredida brutalmente pela PSP. Por uma vez também, peço que ninguém fique indiferente.

Esta é a minha filha.....QUE FOI BRUTALMENTE AGREDIDA PELA PSP !! Claro que foi aberto de imediato um processo crime e ela foi hoje vista por um médico do Ministério Público que ficou literalmente aterrado com o que viu, não só em todo o corpo como na mente (pois ela agora não consegue olhar de frente para um agente da PSP nem andar de comboio), e solicitou a entrega de um TAC à garganta que mandámos fazer, numa clínica privada, pois na ida ao Hospital S.Francisco Xavier, imediatamente após a agressão, não tinham equipamento para ver os tecidos moles do pescoço onde os punhos fechados de um dos agentes fizeram pressão, estando ela contra uma parede. O TAC acusou os danos. Estava a viajar num comboio de Lisboa para a área de residência e saiu na estação perto de casa onde estavam 10 agentes que se juntaram aos 3 que vinham no comboio e onde tiveram problemas com um grupo de jovens que saíram duas estações antes dela. Ela até vinha a dormitar. Saiu na sua estação e um conhecido que vinha com ela começou a ser de imediato agredido pelos agentes na gare. Quando ela gritou a pedir para pararem de bater no jovem foi imobilizada e arrastada pela estação. Foi atirada de cabeça contra as cancelas de passagem dos passageiros tendo caído. O agente que a agrediu levantou-a pelos cabelos e arrastou-a pelos braços para dentro da esquadra localizada nas imediações da estação, onde a levou para uma área vazia, a atirou contra uma parede e lhe espremeu o pescoço com os punhos fechados. Não foi feito qualquer auto. Ela conseguiu telefonar-nos do telemóvel a pedir socorro porque foi espancada e estrangulada. O agente a quem ela passou o telefone disse não saber o que se passava ou o que o colega tinha feito (com a minha filha a gritar em background que era ele que a tinha espancado) mas que ela seria de imediato libertada pois não havia qualquer problema com ela. Vamos amanhã a uma consulta da APAV para receber acompanhamento e formação sobre segurança pois parece provável que hajam retaliações segundo nos foi comunicado por diferentes entidades, o que nos obriga a ter cuidados redobrados.... E agora ? Que devemos fazer ? Aceitam-se sugestões...

facebook de João Penha Lopes

42 comentários:

innername disse...

Não percebes os homens? Eu também não, muito francamente

Bagaço Amarelo disse...

innername, neste caso não percebo tanta coisa... :)

Stiletto disse...

Credo! Isso é mesmo verdade? Às vezes apetece deixar de acreditar nas pessoas.
Grande besta!

Bagaço Amarelo disse...

stiletto, é verdade. eu não punha uma foto da minha filha numa coisa destas se não fosse verdade. :)

Arakné disse...

Fica-se sem palavras, esgota-se a Alma, o Ser Besta deixou de ser Humano... lágrimas.

Bagaço Amarelo disse...

arakné, e nós não deixamos que seja assim, não é? :)

Anónimo disse...

Odeio odiar, mas infelizmente parece que não vou ficar imune à doença...
Ah, e ainda não fazer testes psiquiatricos aos policias? Deixem entrar qualquer um, incluindo loucos e psicopatas?
O meu repudio contra este louco que agrediu a jovem.
EJSantos

DM disse...

Coitadinho do polícia, no fundo ele é a vítima!
Vão haver represálias?

Não sei qual o melhor modo de resolver a situação, mas uma pessoa com bom conhecimento da lei é capaz de dar volta à mesma. Quase de certeza que não é a primeira vez que esse "Sr. Polícia" tem esse comportamento.

Cabe ao povo deixar de compactuar com esse tipo de comportamento. Tem que pagar multa paga, não suborna. É o Sr. Polícia? não faz mal tal como nós no nosso dia a dia somos "chamados à atenção" se não nos comportarmos devidamente no nosso trabalho, estas pessoas também têm que o ser.

Onde está a democracia? Dela já só vejo o nome.

Esse "sr" só merecia que lhe fizessem algo igual ou muito pior.

Este tipo de situações deve ser divulgada.

O "não há nada a fazer" não nos serve quando somos tratados desse modo.

Tratem disso e muito força!Quem quer respeito tem que se dar ao respeito! E quem pensa que está protegido por um título tem que entender de uma vez por todas que não é assim!

Beijos, DM

PS:qaundo falo em Sr. Polícia estou a ironizar e tenho consciência que nem todos têm este tipo de comportamento, ok?

Quase nos "entas" disse...

Pois..tens ai uma luta desigual....
Podes baixar os braços e resignares-te tentando proteger a familia o melhor possivel...
Podes tentar lutar com todas as forças, por todos os meios disponiveis, revistas TV jornais que adoram este tipo de noticias , e seguir em frente com a queixa....
Eles têm cunhas mas não são imbativeis!!!
Força

*Lili* disse...

Que horror, agora fiquei escandalizada. Mas isto é um facto , já não vem de agora...
Mas , se não confiamos naqueles que supostamente nos devem proteger em quem raio vamos confiar?!?!?
Loucura total...chamem-lhe homens chamem...são capazes de ser mais irracionais que qualquer outro animal...

H. Santos disse...

Cada vez gosto mais dos bichos, as pessoas são do pior... Se fosse minha filha, esse guarda tinha a parte dele, nem que fosse a ultima.

Bagaço Amarelo disse...

ejsantos, é um pouco como eu me sinto... :)

dm, isto, no fundo, é uma luta constante que tem que ser de todos... essa é que é essa. :)

quase nos entas, acredito que ando há anos numa luta desigual. Não faço outra coisa na vida. :)

Lili, eu sei que os polícias não são todos assim. Aliás, acho que isto prejudica muito os que não são... :)

H. Santos, eu sou pai e consigo imaginar o sentimento que está por trás disto. Só que não pode ser assim... a inteligência tem que prevalecer. Contra a violência não pode haver violência. :)

BS disse...

A comunicação social já foi alertada?

Menino d´Aldeia disse...

Bom dia,

Há 3 anos, a seguir ao St. Antonio, aconteceu-me algo parecido, (um bocadinho pior pois as consequências foram bem mais graves), no entanto, quando fiquei bom, um advogado com quem uma prima minha tinha falado, dirigiu-se à esquadra onde eu tinha sido agredido e foi-lhe dito que não havia registo da ocorrência e que eu nem sequer lá tinha estado. Claro que podemos sempre seguir com a "coisa" para a frente, no entanto o desgaste é enorme e a esperança de que a justiça seja feita dilui-se. Eles quando se sentem apertados continuam a ter a faca e o queijo na mão.

Um abraço...
Luís.

Ps: Nesta situação que te descrevo, deixaram-me no curry cabral (hospital) e nem sequer um telefonema fizeram para nenhum dos meus familiares nem a mim me deixaram faze-lo... tive 3 dias internado sem ninguém saber onde eu estava.

Bagaço Amarelo disse...

BS, não sei... para ser sincero não sei. tenho um link ali para o facebook do pai, que é bastante acessível. :)

menino d'Aldeia, fosca-se! começa é a diluir-se esta minha perspectiva de que não se deve recorrer à violência... :)

Anónimo disse...

Num Estado de Direito,situações destas são inadmissíveis,seus executantes devem ser punidos criminalmente,e as vítimas não deverão temer represálias. Devem dispor de todos os meios legais e usufruir do apoio das instituições que lhes possam auxiliar no apoio médico,jurídico e psicológico. Este caso deverá também ser reportado á Amnistia Internacional,dados os seus contornos especialmente violentos e censuráveis. A comunicação social pode ser uma opção para pressionar as investigações e expor publicamente o ocorrido,desde que feito com o consentimento expresso da vítima. Desejo sinceramente que a rapariga possa ultrapassar o trauma vivenciado,e que o agressor seja não só punido criminalmente como também expulso da sua profissão de polícia. Cumprimentos

Bagaço Amarelo disse...

anónimo, obrigado. :)

L. K. disse...

Esta é uma situação delicada e qualquer juizo de valor também o é. Não questiono o que aconteceu na dita esquadra mas precisava de saber muito mais. Nada justifica a brutalidade e o abuso de poder, nada justifica a violência mas é-me dificil tecer considerações acerca deste tipo de situações, porque sinto sempre que não sei a verdade toda.

Bagaço Amarelo disse...

l.k. se formos por aí acabamos a não opinar sobre o que quer que seja. Isto não podia ter acontecido nem sequer com um suspeito de um crime qualquer... :)

Olga disse...

As nódoas negras vão passar com o tempo mas o que fica cá dentro nunca passa. Resta aprender a viver com isso e tentar não deixar que o medo e a raiva nos consuma. Esse processo é lento e difícil. O mais importante é que ela consiga desabafar e ter alguém que lhe dê apoio, que a compreenda.

Iza disse...

As pessoas que lhe fizeram isso são animais. Ou melhor, são piores que animais.
Eu utilizo os comboios urbanos de Lisboa e sinceramente estou bastante chocada e até amedrontada. Cada vez que vir um polícia, vou lembrar-me disto.
Revolta-me que hajam polícias que usam a violência só porque sim, porque lhes apetece. Vai contra tudo o que eles defendem e tudo o que a população espera deles. Nós queremos protecção, não mais uma fonte de perigo!

Fatyly disse...

Fiquei deveras chocada,

compete ao médico do Ministério Público fazer o auto, verificarem se o fez mesmo, pedirem cópia....mas atenção NÃO DESISTIREM DA QUEIXA E VÃO ATÉ ÁS ÚLTIMAS CONSEQUÊNCIAS porque numa cesta cheia de maçãs (PSP) há sempre algumas podres (ESTES PULHAS) e ainda há bem pouco tempo quatro levaram prisão efectiva.
SE já fizeram a queixa a Judiciária já deve estar no cumprimento do seu dever!

Poderiam estar numa missão quase impossível, podiam levá-los presos, seguirem todos os trâmites normais SEM ESTA BRUTALIDADE!

"Não foi feito qualquer auto." mas existe uma gravação em telemóvel. SE ficaram com ele compete ao MP pedir à operadora tal gravação.
Oxala que a APAV vos ajude! e a meu ver se várias entidades disseram que poderá haver retaliações...então meu amigo...ESSAS MESMAS ENTIDADES é que deverão dizer o que deverão fazer e accionar todos os mecanismos de protecção.

Agora? tratar da filhota, falar com ela, dar-lhe imenso colo, respeitar os seus medos, ser acompanhada psicologicamente e vocês como pais também- nesta altura ela não será receptiva a qualquer formação sobre segurança. UM passo de cada vez!
Falar com a comunicação já é algo que muitos não querem, eu também não queria...mas respeito quem o faça.

Que devemos fazer? Vocês é que devem saber...bem como os familiares do seu amigo que também foi agredido...e ninguém viu e deu ouvidos aos gritos??? Maldita sociedade...

mas eu, como mãe e pai, também pedia à operadora a gravação, ia à estação por volta da mesma hora da ocorrência e perguntava se alguém tinha visto o que ocorreu, percorria toda a zona por onde ela foi arrastada a ver se via algo "de prova" e pelos meus pés ia à esquadra saber- SEM MEDOS, - PORQUE É UM DIREITO PÚBLICO - os nomes dos agentes que estavam de serviço nesse dia fatídico.
SE te atenderem mal, bate o pé, mas para tudo isso vai com alguém que possa testemunhar!

Todo o ser humano endoidece e por exemplo na malfada Linha de Sintra (quase que diria que tinha sido nesta) os agentes são insultados, injuriados, gozados, para não falar da quantidade de detenções que fazem quer na linha quer nos arredores...e apresentados ao juiz são soltos e voltam a aprontar o que não devem! Já chegaram à conclusão que o desgaste é tal...que têm que mudar constantemente para não chegarem à loucura desses.

COM ISTO NÃO QUERO JUSTIFICAR O QUE OCORREU COM A TUA MENINA E MUITO MENOS PERDOAR-LHES...mas...não ficaria apenas no FACEBOOK, mandaria este texto para todo o Governo incluindo o PR, por email? não, PORQUE FAZEM LOGO DELETE, eu mandaria em caRTA registada com aviso de recepção para todos, mas todos SEM EXCEPÇÃO (SE FOR PRECISO FAZEMOS UMA COLECTA PARA PAGAR A DESPESA NO CORREIO) e não só para o idiota do Administração Interna que diz que a criminalidade baixou...isto é o quê? Baixou porque ele e os seus familiares não sentiram na pele...o que é andar de comboio ou ser apanhado no meio de um vendaval de rusga ou raio que os parta!

Maldita crise, malditos políticos e politicas, malditos vendilhões do templo que implementaram esta crise que estão a levar tudo e todos à loucura numa "inversão de valores" e ao descrédito total de quem nos deveria proteger e afinal ataca-nos.

UM grande abraço e principalmente à tua filha! FORÇA, vai passar...porque tudo passa...mas até passar...QUE ÓDIOOOOOOOOOOO meu deus!!!!

S disse...

É inacreditável!!! tenho pena que isso tenha acontecido e acho que devia ser feita queixa na policia, mesmo parecendo um contrasenso têm que fazer queixa dos agentes em questão, identificá-los e apresentar devidamente uma queixa por agresão e abuso de poder, sem dúvida!!!
S

Bagaço Amarelo disse...

olga, essa é a verdade... há coisas que nunca mais passam. :)

isa, vivemos num estado de direito e não podemos ter medo da polícia.por isso é que isto tem que ir para a frente. e atenção, os polícias não são normalmente assim. Estes que estragam a imagem da corporação é que têm que sair... :)

fatyly, obrigado. esta foto não é da minha filha, nem aconteceu com a minha filha. mas como também sou pai, sinto-me angustiado como tal, como pai. :)

s, é inacreditável, sim. penso que as queixas já estão feitas. :)

Manuel disse...

Fiquei desiludido ao ver isto aqui.

Ando há muitos anos nesta vida, muitos mesmo. Nunca nenhum polícia me tratou com menos respeito do que eu merecia. Trabalho na área, nunca faltei ao respeito a qualquer cidadão, nem aos que me faltaram a mim (e não foram poucos). Portanto, não acredito, minimamente, nesta história.

Acho que deverias informar-te das duas versões antes de escolher publicar uma. Aparentemente o caso até está a ser investigado, ao publicitar o mesmo só se estraga o trabalho das pessoas.

Se é para publicar, que se procurem publicar os dois lados da história.

Gosto do blogue, continuarei a ler, mas este post desagradou-me muitíssimo e achei-me no dever de o dizer.

Eli disse...

Ontem fiquei a pensar no que deveria escrever aqui. Passou-me pela cabeça que não devo julgar todos por uns poucos que fazem esse tipo de coisas... Hoje, lembrei-me, ao relembrar este testemunho, que se os que nos deviam proteger agem desta forma, então, quem nos irá defender (deles ou não)...

Há muito aqui. O que é certo é que deveriam ser julgados por tudo: violência, abuso... etc.

redonda disse...

Como é possível isto acontecer?
O que o pai, ou ela, se já for maior de idade, podem fazer, é apresentar queixa no Ministério Público.

Bagaço Amarelo disse...

manuel, isto já saiu em vários jornais e não vi nenhum desmentido oficial, mas o facto de nunca teres sido mal tratado por um polícia não serve de base sustentável a absolutamente nada. Eu também nunca fui mal tratado por polícia nenhum, mas sou pai e sei que ninguém mete a fotografia da filha num jornal só porque inventou uma história. :)

eli, pois deviam... e estes hão-de sê-lo. um amigo meu, que é polícia, já me explicou mais ou menos porque é que isto acontece de vez em quando... :)

redonda, ao MP, ao IGAI, à própria psp e à PJ. :)

Sérgio disse...

"...mas sou pai e sei que ninguém mete a fotografia da filha num jornal só porque inventou uma história." Este é o argumento que valida a veracidade da história?
E os pais que matam os próprios filhos são o quê?
Em resumo tu, porque és pai, acreditas que qualquer pai que ponha a fotografia da filha no jornal está a contar a verdade mas não aceitas que outros, porque são polícias, não acreditem na referida história. Pois eu estou como o Manuel todas as moedas têm duas faces por muito que se quira só olhar para uma delas.

Bagaço Amarelo disse...

sérgio, não, não é esse o argumento. eu não tenho é que explicar tudo só porque alguém, a quem não apetece acreditar, não acredita de facto. eu, antes de escrever isto aqui, estive à conversa com o pai e com um amigo meu da psp. bastante tempo, até... :)

Anónimo disse...

Eu gostava de saber como tudo começou, parece-me muito pouca informaçao para fazer juizos de valor de qualquer das partes.

2w

Bagaço Amarelo disse...

2w, :)

Miss Keatch disse...

Verdade... Mentira... Verdade... Mentira... O meu irmao é da PSP e até ele tem receio de alguns dos colegas; mas felizmente nem todos os polícias sao animais e arrisco a dizer que a maioria nunca teria uma atitude destas; nao duvido da veracidade, duvido da capacidade da escola da PSP para fazer exames psicológicos profundos aquando da aceitacao dos formandos; e duvido da sua capacidade da PSP para continuar a estudar as pessoas que trabalham nos seus servicos; este é um trabalho de risco, mal pago e com um nível de stress impressionante e pelo que já percebi a maior parte dos polícias só quer acabar o turno e ir para casa em seguranca ter com a família; mas claro que há sempre os doidos que precisam de aliviar o stress com violencia... espero sinceramente que se faca justica e que essa criatura receba a punicao necessária pelo crime que cometeu e espero acima de tudo que seja expulso da polícia para que todos possam respirar melhor e nao ter medo de quem lá está supostamente para os proteger.

Como dizia o senhor Einstein:

"Only two things are infinite, the universe and human stupidity, and I'm not sure about the former."

Bagaço Amarelo disse...

miss keatch, tens razão. quando alguém não tem argumentos usa sempre esta arma do "deve ser mentira". e é claro que ninguém está a dizer que os polícias são todos uns parvalhões. claro que não são. Só alguns. :)

Sweet About Me disse...

Eu acredito que a história seja verdadeira, mas também acredito que haja a versão da policia. E provavelmente uma versão que só esteve lá sabe. Tanto a filha como o policia podem vir a distorcer a história por pressões externas. De qualquer maneira, também sei que há policias bons e policias maus. Também sei que por muitos disparates que a miúda possa eventualmente ter feito não é razão para exercer brutalidade. Isto faz-me lembrar a manifestação do 25 de Abril em que pelo facto de uns atrasaditos terem partido para o vandalismo já justificava a força brutal da policia em tudo o que se mexia. Supostamente os policias são treinados para resolver problemas sem terem de recorrer à violência extema.
Infelizmente não posso dizer que fui sempre impecavelmente bem tratada por policias que isso não é verdade. Há policias muito estúpidos nessas ruas que pelo facto de terem uma farda acham que podem tudo. Como há outros que são policias com P grande e dignificam muito bem a sua farda. Pelo facto de serem policias não são uma classe intocável.

Bagaço Amarelo disse...

Sweet About Me, concordo. :)

Anónimo disse...

Claro que a violência é preocupante e desnecessária; mas a Benedita estaria a comer pipocas no comboio e deitou as cascas pró chão? ou por estar a dormir com os pés em cima do banco foi alertada pelos Srs. Polícias e os amigos não gostaram e a conversa azedou?
Com isto não quero de maneira nenhuma aligeirar a situação, quero apenas alertar que por vezes estas coisas têm um rastilho e esse rastilho nos jovens ás 5.30h da manhã vindos de uma discoteca costuma ser curto.
PR

Bagaço Amarelo disse...

PR, essa coisa das cinco e meia da manhã não faz sentido nenhum. é, aliás, um preconceito absurdo. as pessoas podem andar até à hora que quiserem na farra e não são criminosas por isso. eu ando. :)

Anónimo disse...

@Bagaço Amarelo estamos a falar Adolescentes, certo? ainda com as hormonas aos saltos e que em conjunto "fervem em pouca água"
Quanto a tudo o resto, claro que podemos andar na rua até á hora que nos apeteça, ainda vivemos num Estado de Direito, temos é que cumprir regras e respeitar a liberdade dos outros.
PR

Bagaço Amarelo disse...

pr, estás a partir do princípio que ela não respeitou as liberdades dos outros sem mais nem menos, só porque é uma adolescente. mas mesmo que, pode ter as hormonas aos saltos, os adolescentes passem uma barreira de vez em quando, é completamente inadequado este comportamento da polícia.

Anónimo disse...

Não, não estou. Se calhar sei um pouco mais que tu acerca desta história. Claro que a actuação da Polícia de uma agressividade desmedida, mas não devemos ouvir APENAS a versão dos jovens.
PR

Bagaço Amarelo disse...

pr, ou sabes menos. para mim um polícia não pode agredir uma miúda destas em circunstância nenhuma. ponto. É uma estupidez, mesmo que ela tenha (e não o fez) feito asneira. Um polícia tem que estar preparado para lidar com isso sem violência. Se não estiver, então não deve ser polícia.