5.25.2012

coisas que fascinam (145)

a galope 

O símbolo dos correios era (acho que ainda é) um homem a cavalo com uma corneta. Fazia jus às cartas de Amor que se escreviam. Entre Aveiro e Setúbal, por exemplo, eram dois dias a cavalgar para lá e dois dias a cavalgar para cá. Escrevia-se uma carta e, quando se estava mais ansioso, escrevia-se outra ainda antes de ter recebido a resposta da anterior. Eram cartas que levavam tudo de quem as escrevia. Suores, nervos, medos e sobretudo saudade. Não admira que o cavaleiro fosse a abrir caminho e levasse uma corneta para anunciar a sua chegada.
As cartas de Amor encolheram-se com o tempo. Ficaram reduzidas a mensagens de telemóvel ou emails escritos à hora do almoço, naqueles dias em que se fica a comer uma sanduíche em frente ao computador do escritório. É uma pena. Uma carta de Amor era um investimento total numa paixão que se tinha, um sms é uma espécie de aposta no casino. Se der deu, se não der não deu. Gastou-se a moeda.
Eu decidi montar um cavalo e galopar de novo. Há uns dias, durante umas arrumações lá em casa, a Raquel mostrou-me uma pilha de cartas de Amor que recebeu durante a vida. Não as li, mas gostei de as ver ali arrumadinhas numa caixa colorida, como se alguém as tivesse deitado e ajustado o lençol para que dormissem bem. Não é possível guardar assim um email. Mesmo que se imprima, falta-lhe o cheiro, a cor, o nervo, a vida. 
A galope, portanto.

19 comentários:

Lilith disse...

As cartas que recebi também as tenho guardadas. Bem arrumadinhas. Honestamente às vezes tenho saudades de receber uma carta, um postal...

Bagaço Amarelo disse...

lilith, também eu... também eu... :)

Margarida disse...

É por isso que gosto de enviar e receber postais.
Não tem tanta carga emocional como uma carta seja de Amor ou de Amizade, mas sempre dá para aquecer o coração e tornar a comunicação mais pessoal do que um sms ou um e-mail.
A galope, sempre!

Bagaço Amarelo disse...

margarida, concordo. :)

Ju disse...

...e aqui se nota uma das grandes "desvantagens" (se é que assim se pode chamar) de todas estas tecnologias que nos invadem todos os dias.
Dou te razão: as coisas perderam o brilho, as cores, a beleza... Ficam as memórias.

Bagaço Amarelo disse...

ju, sou um nostálgico da tecnologia analógica... :)

Rita Esteves disse...

É verdade sim. Mas repare, hoje em dia há outras possibilidades. A carta de amor, por email tem uma gama de potencialidades que a tradicional já não tinha. Podemos sempre inovar, enfeitar, pôr uma imagem mais sugestiva, mais íntima, mais, mais.....
Não concorda?

Bagaço Amarelo disse...

rita esteves, eu até sou pela fotografia química. :)

aNaMartins disse...

sem dúvida que uma carta, um postal ou fotografia impressa, guarda muita mais emoção e sentimento do que um e-mail ou sms. perdeu-se um bom hábito mas que às vezes o retomo porque gosto de escrever!
Já não há cartas de amor..

Quase nos "entas" disse...

é verdade, com a tecnologia perde-se alguma magia.
Hà pouco tempo por causa de mudanças de casa, descobri assim uns tesourinhos.....de rir pela inocencia mas de louvar pela "então" realidade do amor ;)

memyselfandi disse...

Também ainda guardo algumas! E guardarei! =)

Eli disse...

Arrepios...

Já escrevi milhares de cartas...

c. disse...

Não podia concordar mais :)
Sou uma viciada em cartas e postais, não há alegria como aquela de abrir a caixa do correio e encontrar uma carta onde ainda se pode sentir o calor de quem a escreveu. E sim, também eu guardo com carinho caixas e caixas de cartas de amores passados. Mesmo (ou especialmente?) daqueles que correram mal...

*c

Salsa disse...

ainda escrevo cartas, algumas envio-as outras guardo-as para entregar em mão.

só te pergunto:
á quanto tempo não escreves uma carta e a envias por correio?

Fatyly disse...

Eu tinha resmas e inclusive postais...mas a guerra pulverizou tudo e hoje devem estar a servir de adubo:)

Hoje e em épocas festivas recebo imensos e só guardo das filhas, da minha mãe e dos netos, porque quem se lembra de mim apenas nessas alturas...vai te embora oh melga!!!!

Cada neto tem um caderno A4 onde colo ou agrafo para lerem por detrás, tudo o que me dão. Também é ali que escrevo os diálogos que vou tendo com eles, anoto coisas que lhes acontece e um dia serão para eles. Fiz isso com as filhas que levaram quando saíram do ninho.

DE resto não guardo nada nem aqui...nem na porcaria do telemóvel... para quê? Já basta ter de guardar toda a facturação incluindo o IRS de 5 anos...

Bagaço Amarelo disse...

anaMartins, guarda pelo que é, sim, mas também pela forma como é entregue. :)

quase nos entas, boa. :)

memyselfandi, :)

eli, milhares é sinónimo de uma

vida emocional activa. :)

c, esses que correram mal eram os que eu queria ter e não tenho. fazes bem em guardá-las. :)

salsa, há anos... :)

fatyly, essa do IRS. é por isso que eu adoro ter uma namorada que me trata disso. :)

Manteiga disse...

é por isso que eu escrevo cartas a quem mora longe. Porque um email nunca terá a força de uma carta. Fascinante a maneira como escreves :D

Fatyly disse...

Ah pois, olha que bom já viste?

e nisso sou tremendamente organizada...mal recebo e pago arquivo logo, até porque posso morrer de repetente ou ficar entrevadainha das candeias( deus mi guardi) e as filhas sabem "ás quantas ando"!

Bagaço Amarelo disse...

manteiga, concordo. é mesmo isso. :)

fatyly, que calculismo. :)