7.19.2011

respostas a perguntas inexistentes (169)

peças

Lembro-me que ela não gostava dos meus cafés expressos pela manhã. Ria-se deles timidamente enquanto tapava a boca com os dedos da mão direita. "Isso é tão pequenino", dizia. Para ela fazia café de saco e enchia pelo menos uma caneca das grandes antes de sair de casa. Também fazia sumo de laranja natural e espalhava bolachinhas com doce de amora num prato grande. Foi o que me ficou dela, a forma como tomava o pequeno-almoço.
É como se a vida fosse um puzzle que se vai construindo todos os dias com a mesma paciência do tempo que passa. Os Amores são as peças maiores, aquelas que definem o desenho, mas às vezes dá-nos um gozo imenso encontrar o sítio duma peça mais pequenina. Os pequenos-almoços dela são isso mesmo, uma peça pequenina do puzzle da minha vida. Não a quero perder.
É uma pena, mas há mulheres que passaram por mim e pelas quais não me apaixonei. É um desastre, mas também houve mulheres que não se apaixonaram por mim. O Amor é como o corpo, nunca mente. Talvez ainda seja pior, porque também nunca obedece a ordens. Restam as peças mais pequenas do puzzle da nossa vida, mas que nem por isso deixam de colorir o produto final.
Às vezes pergunto-me se também eu sou uma peça dessas por aí na vida de alguém. Acho sempre que não.

17 comentários:

Anónimo disse...

Bem, certamente já alguém te disse: ó bagaço, saíste-me cá uma peça!
CR

Anónimo disse...

nada acontece por acaso. tudo terá um sentido na vida, quer seja grande ou infimo, daqueles que não sabemos que em determinado momento contribuimos com algo para outra pessoa, neste caso nem interessa saber, porque perde o valor.
a mim acontece mais os infimos momentos que não sei, nem me interessa, mas a vida encarrega-se de me dizer quando chegar o momento outros estou certa que nunca saberei, nem quero.
o facto de os outros receberem o que tenho é dádiva deles e não minha.
quando se sabe tudo, andamos mais mundanos, presentes, o que pode provocar a nossa perda...e desorinetação.

nunca queiras saber demais.

Estudante disse...

Acho curioso quando escreves sobre amores passados, porque não se nota nenhuma amargura ou rancor... digo isto porque normalmente, as pessoas se enchem de pudor ao falarem das antigas relações e normalmente, noto-lhes sempre uma certa "raiva".

Fico contente que consigas montar o teu puzzle sem estas más vibrações! :)

sendyourlove disse...

...como não?
Somos sempre peças pequenas de puzzles da vida dos que por nós passaram.
Adoro esses momentos de me lembrar de coisas pequenas que ficam... daquelas que nos põem um sorriso no rosto quando nos vêm à lembrança...

Malena disse...

Pois eu tenho a certeza que és! Para algumas, será uma peça pequenina, para outras, serás uma das maiores! Ninguém passa pela vida sem que faça parte do puzzle de alguém! :)

Helena disse...

Penso que achas bem. Se fosses uma peça de puzzle irias saber! Muitas vezes sente-se na pele.

bagaco amarelo disse...

cr, com certeza que sim. :)

anónimo, não corro o perigo de saber demais. si tão pouco... :)

estudante, os Amores que passam são todos importantes, sim. :)

sendyourlove, pois... é mesmo isso. :)

malena, isso é verdade, sim. :)

helena, se bem que duvido que algumas pessoas se sintam peças minhas. :)

Ana Rute disse...

Sabes, também levo o pequeno-almoço muito a sério. Escolho sempre uma caneca bem grande e guardo lá as imagens das refeições que partilhei pela manhã. Tenho mesmo para mim que essa capacidade de acarinhar as pequenas coisas seja uma peça fundamental do amor.

Auróra disse...

com certeza que és

Auróra disse...

com certeza que és

TLD disse...

Somos todos bagaço. Não tenhas dúvidas sobre isto. (ou pelo menos tenho a esperança que sim...AAHHAHAHA)

bagaco amarelo disse...

ana rute, acredito que si, que é. :)

aurora, obrigado. :9

tld, pois... esperança... :)

TLD disse...

Nããã companheiro. Somos mesmo. Duma maneira ou de outra acabamos sempre por marcar de tal forma alguém que passamos mesmo a ser uma dessas peças! Não tenho qualquer dúvida sobre isto.

bagaco amarelo disse...

tld, ainda bem. às vezes também não tenho. :)

Fatyly disse...

Às vezes pergunto-me se também eu sou uma peça dessas por aí na vida de alguém
..............
para mim és, porque vir aqui ler estas "maravilhas" é juntar mais colorido à minha vida, já por si gasta e cansada"

ADOREIIIIIIIII

Posso te dar um inhinho (beijinho)? (pareço o meu neto)

Anónimo disse...

sem saberes...és uma peca do meu puzzle.
beijo

bagaco amarelo disse...

anónima, beijo. :)