7.12.2011

respostas a perguntas inexistentes (167)

“Você sabe com quem é que está a falar?” é a pior pergunta que alguém me pode fazer. É, aliás, a única pergunta que me faz olhar para um indivíduo como sendo extremamente pequenino, por ser alguém que ainda não percebeu que tem exactamente a mesma importância de todas as outras pessoas à face da Terra, ou seja, nenhuma.
Não termos importância nenhuma à partida é o que nos permite escolher. Somos todos iguais mas acabamos por dar mais importância a uns do que a outros. O Amor precisa da generalização dessa falta de importância na nossa espécie. A amizade também. Eu dou toda a importância do mundo a quem Amo, apesar de saber que tem a mesma que um membro duma tribo qualquer de Burkina Fasso de que nunca ouvi falar. Ainda bem que o posso fazer.
Hoje alguém me perguntou indignado se eu sabia com quem estava a falar, após um normal protesto meu por me ter passado à frente na fila do supermercado. Que sim, pensei eu. Sabia muito bem com quem estava a falar. Estava a falar com alguém que nunca Amou verdadeiramente ninguém, porque se alguma vez fingiu que o fez foi apenas para tentar ser reconhecido. O desamor é isso, termos um umbigo demasiado grande.

19 comentários:

Helena disse...

Há muitos unbigos por aí...demasiado grandes. Salva-nos o Amor que não fingimos. :)

bagaco amarelo disse...

helena, eu quero acreditar que há poucos... :)

Fatyly disse...

À minha frente e como já disse, só passa quem eu deixo (quase sempre deixo) e felizmente que são muito poucos os que se armam em chicos espertos, que mediante algo que se lhe diz dá a resposta que te deu. Para esses dou sempre a mesma: pode passar à vontade porque eu quero e claro que sei "com quem estou a falar",com uma peça de arte que fugiu do Museu MFEC. Como? Diga? Siga sfv é do Museu da Falta de Educação e Civismo! Resposta? népias!

Não vejo as coisas dessa forma, porque há quem tenha de facto "um umbigo demasiado grande" por mil razões e não pelo "desamor"!

Helena disse...

"Olhe que não, olhe que não" ;)

Sofia disse...

Essa pergunta é horrivel, é como uma valente corrente de ar...!
Beijinho

bagaco amarelo disse...

helena, lol. :)

fatyly, o desamor é uma consequência. :)

sofia, é horrível sim... considero-a doentia. :)

Malena disse...

Dizes isso tão bem que eu fico sem dizer nada! :)

bagaco amarelo disse...

malena, obrigado. :)

Estudante disse...

:) ui, umbigos...

redonda disse...

Pelo que eu me lembro, só ouvi uma vez essa frase e foi uma senhora ao telemóvel que reproduzia uma conversa que tinha tido, mas não percebi se lhe tinham dito isso ou se era ela que o tinha dito...

redonda disse...

Lembrei-me de uma anedota também com essa frase...vou tentar reproduzi-la. Havia um soldado que estava a servir como telefonista e a ser gozado pelos colegas. A certa altura atende um telefonema e pensando que era outra vez um colega para gozar com ele, começou a gozar primeiro. Só que, azar, era um general, que se identifica e lhe pergunta, sabe com quem está a falar? Ao que o soldado lhe devolveu a pergunta: E sabe com quem está falar? Quando o General lhe disse que não, retorquiu óptimo e desligou...

Anónimo disse...

Você sabe com quem está a escrever?

;-)

EJSantos

sendyourlove disse...

"-Sabe com quem é que está a falar?"
- Sei! Alguém a quem digo "Gosto de ti" porque existe e é meu semelhante.

Anónimo disse...

Coitada da pessoa, se calhar estava amnésica e fez-te essa pergunta para ver se a reconhecias.
CR

bagaco amarelo disse...

estudante, :)

redonda, está boa... é a inversão da ideia. :)

ejsantos, :)

sendyourlove, nem o quero considerar meu semelhante, embora de facto o seja. :)

cr, lol. :)

ana disse...

E se essa pessoa lê-se este texto ia ficar uma semana a comer chocolate e gelado x)

bagaco amarelo disse...

ana, lol. :)

Olga disse...

E quem fala/escreve assim não é gago! Infelizmente também conheço umas cavalgaduras, digo, umbigos assim! :)

bagaco amarelo disse...

olga, :)