7.25.2011

janela

Espreita-se muito pelas janelas. Normalmente de dentro para fora, embora em Portugal haja demasiadas pessoas a espreitar no sentido inverso. As janelas são essa fronteira que divide o nosso mundo do mundo de todos. Do mundo dos outros, aquele lá fora onde as pessoas passam umas pelas outras mas não se vêem nem se cumprimentam.
É por isso que quando o Amor se cansa de viver connosco passamos mais tempo à janela, que nessa altura se transforma na moldura da nossa solidão. Procuramo-lo entre esse mar de transeuntes sós porque sabemos que ele não pode estar noutro sítio a não ser aí, tão silencioso quanto outra pessoa qualquer.
Gosto especialmente da tua janela. Quando estou deitado e com a cabeça na almofada, que é o mesmo que dizer quando não estou em esforço, por ela só vejo o céu e a copa das árvores. Acho que as janelas dos quartos deviam ser todas assim, a dar para o mundo sem que o mundo desse para elas. Porque é isso um quarto povoado pelo Amor.

15 comentários:

Helena disse...

Um cantinho bom, esse quarto povoado de Amor! :)

bagaco amarelo disse...

helena, :)

Francisco Castelo Branco disse...

uma cervejinha ajuda a esquecer. bom blogue, caí hoje nele e vou seguir.

Parece interessante, eu tambem nao consigo compreender as mulheres

bagaco amarelo disse...

Francisco Castelo Branco, obrigado. :)

Anónimo disse...

hmmm, adoro :))

bagaco amarelo disse...

anónimo, obrigado. :)

Anónimo disse...

muito bom! exato.. porque o mundo é de todos e o nosso quarto é só nosso e não é pra ser partilhado com todos, ao contrário do mundo lá fora.
Daniela

Malena disse...

Hoje só vou dizer: Perfeito! :)

bagaco amarelo disse...

daniela, obrigado. :)

malena, obrigado. :)

Olga disse...

E não é preciso dizer mais nada. :)

bagaco amarelo disse...

olga, :)

Salsa disse...

lembrei-me do poema de António Gedeão "Aurora Boreal" de 1958.
não tem nada a ver mas tem 40 janelas.

bagaco amarelo disse...

salsa, já li isso, já, embora admita não ser um grande adepto de antónio gedeão. :)

Fatyly disse...

"Não se Vêem nem se cumprimentam" mas adoram cuscar... Longe vão os tempos em que abria a janela e via campos repletos de flores, pinheiros e gado e o comboio a passar e graças aos cogumelos de betão, hoje quando abro vejo os vizinhos em cuecas a estender a roupa... ARRRRRRRRREEEEE quem me dera sair daqui:(

Na da frente vejo a copa de uma árvore e o ceú...mas é a sala, que se precisares poderás vir e ficar com a tua Raquel e de certeza que estarias sempre em "esforço":) porque o barulho dos carros e o pló-pló-pló das tampas do SMAS e EDP é uma música da pesada!

Já agora...quando estás em esforço o que é que vês? hehehehehehehehe ai minha nossa...não respondas

Subscrevo inteiramente e adorei!

bagaco amarelo disse...

fatyly, lol lol lol. :)