7.31.2011

a estupidez de género

Não sei explicar bem... mas há qualquer coisa que me emociona na estupidez dos homens. É uma estupidez sincera, honesta, própria de quem está abandonado por todos e até por si mesmo. É uma estupidez que resulta da soma dum cérebro e dum coração estéreis. Zero mais zero é igual a zero. É simples. É bonito.
Há homens que são estúpidos e homens que não são estúpidos, claro. Tão claro como haver também mulheres estúpidas e mulheres não estúpidas. A diferença é que a estupidez das mulheres refere-se sempre à sua condição humana, enquanto a estupidez dos homens se refere muitas vezes à sua condição de género, ou seja... de homem. Estou a dizer que há muitos homens cuja estupidez ultrapassa largamente a estupidez da mulher mais estúpida do mundo. Só isso. E já não é pouco.
A semana passada, por exemplo, um grupo de homens no túnel da Estação de Campanhã seguia de perto uma mulher com um vestido de Verão. O mais baixo, líder incondicional da estupidez colectiva, cujo rosto avermelhado de tinto por digerir o distinguia como macho alfa, coçava a barriga enquanto lhe gritava qualquer coisa como "Ai se eu te apanho na Cordoaria!". Atrás dele, submisso à baba do chefe, um outro homem concordava em voz alta com um "É mesmo boa! Olha-me aquelas mamas!".
Passei por eles e reparei que um terceiro elemento não dizia nada. Queixo caído e dentes do maxilar inferior sobressaídos, nadava certamente na própria baba que lhe caía pelo canto dos lábios enquanto coçava lentamente os testículos presos nas calças de fato de treino azuis. Num ápice percebi a inteligência daquele monumento à estupidez. É a responsabilização da mulher pelo estado vegetativo do homem. É isso a estupidez de género. Uma mulher consegue pôr um homem estúpido como nunca nenhum homem conseguiu pôr uma mulher estúpida. A culpa é delas, portanto. São elas a semente da estupidez. Os homens são o fruto. A consequência.
A ausência de Amor é como a ausência de alimento. Altera-nos, estupidifica-nos. Estamos esfomeados e, portanto, impulsivos. Queremos sempre tornar as emoções inteligentes mas não é possível. Não é certo. A inteligência não é a essência do Amor, não é o seu substrato. Shakespeare tentou demonstrar essa inteligência em "Romeu e Julieta" através duma paixão sem face, dum Amor nascido num baile de máscaras, e ele próprio acabou por o conduzir à morte. Faltou-lhe o mais importante: a estupidez de género. Só está ao alcance de alguns demonstrá-lo. Destes homens que vi em Campanhã, por exemplo.

15 comentários:

Moi disse...

Excelente!
Não tenho mais nada a acrescentar a este teu texto.

Beijo
Bom fim de semana

bagaco amarelo disse...

moi, obrigado. :)

LM disse...

Quem me dera ter tido a inteligencia- e a antecipação- de escrever este texto! ;)
(MAs posso roubar frases para colocar na minha biblia, posso?)

João Pedro disse...

O cenário descrito é mais do que comum infelizmente. Mas não penso que todas as mulheres consigam controlar a sua embriaguez provocada pela ausência de amor, se fores a uma discoteca direccionada para trintões e quarentões vais encontrar certamente imensas cinquentonas à procura de carne e a fazerem as figuras mais deprimentes. Até arrepia só de pensar.

bagaco amarelo disse...

lm, na boa. :)

joão pedro, pois... mas nem é bem disso que estou a falar. ao engate também já andei. :)

Anónimo disse...

Ainda não compreendestes que os homens são de extremos, ou muito inteligentes ou muito estupidos?
:-)

Gosto de pensar que sou inteligente. Aliás, algumas pessoas já o disseram. Espero que esteja, certas! :-)
MAs o meu QI pode ficar afectado por um bom decote...

De qualquer forma generalizações são sempre perigosas. Já vi homens a comportar-se como chimpanzés perante a entusiasmante visão de uma bela mini-saia. Mas também já vi muita mulher a babar-se perante machos alfa.

Enfim, desde que não desrespeitem as outras pessoas, não emito julgamentos sobre essas pessoas. O que sabemos nós da vida dessas pessoas?

Um abraço. EJSantos (o Eduardo Santos no teu facebook).

bagaco amarelo disse...

ejsantos, nunca vi uma mulher a babar por um macho alfa destes que aqui descrevo. a sério... :)

Fatyly disse...

Tiro-te o meu chapeú e aplaudo de pé!

bagaco amarelo disse...

fatyly, obrigado. :)

Anónimo disse...

Ivar, não estou a falar de rafeiros. Estou a falar de alfas a sério. E desses, já vi muita boa mulher a babar-se, garanto-te. E

EJSantos

bagaco amarelo disse...

ejsantos, acredito bem que sim... não ponho isso em causa. eu também, às vezes, só vejo que quero. :)

Invisible Woman disse...

"O mais baixo, líder incondicional da estupidez colectiva, cujo rosto avermelhado de tinto por digerir o distinguia como macho alfa" - esta descriçao está fantasticamente fantástica, brilhante mesmo!!! Agora sim, saberei distinguir um macho alfa no meio da manada! Ahahah!!!

bagaco amarelo disse...

invisible woman, lol. :)

Gigi disse...

Dá licença pra usar um palavreado feio, LOL
Enqto lia esse texto, lembrei-me de uma frase dita por um amigo de meu esposo: "falta de sexo faz a porra subir pra cabeça errada". Acho que com o "macho alfa" acontece bem isso!

bagaco amarelo disse...

gigi, então e o palavreado feio? Onde está? :)